Guardar dinheiro em casa ou no banco?

Dia 73/365:

O ‘Obrigada, estou apenas olhando volta no tempo para lembrar dos nossos avós que guardavam dinheiro debaixo do colchão (literalmente).  Apesar deste hábito não ser mais tão comum e nem rentável, ainda existem pessoas que preferem guardar dinheiro em casa.

Muita gente não confia nos bancos, principalmente aqueles que viveram o confisco da poupança pelo então presidente Fernando Collor de Mello, em 16 de março de 1990. Lembra dele? Um dia após tomar posse como o primeiro presidente eleito no país, de forma direta. Se a gente soubesse, não? Os nossos historiadores têm um trabalho danado para explicar a lambança que nossos políticos já fizeram com a história desse país heheh

Além dos desconfiados, há também aqueles que recebem em dinheiro e preferem mantê-lo em casa ou na carteira. Existem também aqueles que têm dívidas com os bancos e, por isso, não podem depositá-los… Estes últimos precisam resolver a sua situação o quanto antes para poder “limpar” o nome na praça.

Guardar todo o dinheiro em casa não é bom, mas ter uma reserva financeira em casa, pode ser uma boa estratégia de economia. Para fazer uma pequena reserva financeira, guarde o troco dos gastos na rua, como o do cafezinho, do pão, do jornal… Que tal fazer um cofrinho para juntar essas economias?  Coloque toda a família para ajudar a rechear o cofrinho.

Eu tenho um cofrinho para guardar moedas. Guardo o ano todo. Às vezes, me assalto e pego algumas para o parquímetro. Mas sempre dou um jeito de repor. No final do ano (já está chegando a hora), troco as moedas no comércio do meu bairro (os comerciantes adoram) e uso esta reserva para comprar um presente pra mim. Estou pensando em guardar o valor deste ano. No ano passado consegui juntar R$ 107,35. Este ano, tenho certeza de que a reserva será bem maior… heheh

Durante o curso de Reeducação Financeira, Pedro Braggio lembrou do Método dos Envelopes. Não me lembro desta época. Mas ele contou que as pessoas recebiam seus salários em dinheiro e separavam a renda em envelopes de acordo com cada finalidade. “Desta forma, ficava muito mais fácil saber quanto tinha para gastar em cada área”, explicou. E é verdade mesmo. Se você separar, por exemplo R$ 200,00 para ir a padaria durante todo o mês, vai saber que só poderá contar com aquele valor e vai controlar e acompanhar os gastos.

Engraçado me lembrar dos envelopes, pois, isso é exatamente o que faz o aplicativo do Pedro Braggio. Os próximos alunos do curso de Planejamento Financeiro 2018 vão aprender a usar o aplicativo que permite estabelecer valores para cada tipo de despesa. E, diariamente, conforme você atualiza o sistema, ele vai te informando sobre suas reservas. É muito legal e ajuda de verdade.

Desejo sorte aos próximos alunos do curso e às meninas que foram sorteadas com o desconto, que aproveitem com sabedoria. E que Deus continue NOS abençoando e nos orientando em nossas melhores escolhas. 😉

 

 

4 comentários sobre “Guardar dinheiro em casa ou no banco?

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s