Profissional autônomo: seu 13º pode vir das moedas de troco

Dia 179/365:

Faz algum tempo que junto moedas. E hoje conversando com a Liliane Rossi, jornalista e profissional autônoma como eu, veio a inspiração para o post de hoje do ‘Obrigada, estou apenas olhando’.

Profissionais autônomos não têm férias e nem 13º salário, garantias legais apenas para aqueles que trabalham com carteira assinada ou funcionários públicos. Isso vale também para a dona de casa que não tem salário ou para os estudantes que ainda não começaram sua vida profissional. Guardar dinheiro vale para todo mundo e dá resultado, a Lili tá garantindo.

Gente, no ano passado entre moedas e notas de R$ 2,00 e R$5,00 de troco, ela e o marido juntaram R$ 600,00! Em dezembro, eu estava comemorando que consegui juntar pouco mais de R$ 100,00… Imagina, R$ 600,00 é quase um salário mínimo. “Moeda a gente guarda há muito tempo. Em 2014, fomos viajar para Ilha Bela, no fim do ano, com o dinheiro com as moedas: juntamos R$ 800,00”, lembra Lili. Uau!

Desprezar as moedas e o troco – do mercado, do posto de gasolina, da banca de jornal (tem gente que vai ainda em banca de jornal), do pedágio, do restaurante – não é um bom negócio para o nosso bolso. Aliás, se fizermos isso, estaremos perdendo dinheiro.

Nada de aceitar balinhas como troco. A partir de agora peça as moedas. Nenhum estabelecimento aceita balinhas como pagamento, por quê nós temos que aceitar como troco?

As moedas que consegui juntar em 2017 foram para a poupança. As da Liliane e do marido viraram presentes de fim de ano. Como profissionais autônomos não temos 13º garantido, então o jeito é improvisar. Mas Lili avisa que é preciso perseverar e se manter firme para só abrir o cofre no fim do ano. “Não pode mexer! Ao longo do ano dá vontade sim, mas ter que se manter firme”, aconselha. Sim, temos que nos manter focados, esse é o segredo, né, Lili?

Caprichar na ceia de Natal, viajar, comprar presentes para si mesmo ou para a família ou quem sabe ainda guardar na poupança. Toda ajuda é valida. Guardar essas moedas significa entender que, por mínimo que seja, todo dinheiro tem valor e deve ser aproveitado e valorizado.

Faça disso uma experiência coletiva, como a Lili e o marido. Torne o cofrinho uma prática para toda a família. Mesmo porque o objetivo final pode trazer um impacto para toda a família, como uma viagem, por exemplo, ou a ceia de Natal. Nada mais junto que todos que vão participar, sintam-se responsáveis pelas economias.

Vamos começar agora. Não deixe para amanhã. Vá até sua bolsa e veja as moedas que estão lá perdidas e guarde. Se ainda não tem um cofrinho, faça como eu: uso uma lata de bombons. Fiz um furo na tampa para parecer um cofre (temos que trabalhar o psicológico). Não basta abrir a lata e colocar as moedas dentro, tenho que jogar pela abertura e ouvir o barulhinho delas se avolumando hehehe

Mais uma ideia para o nosso dia a dia! Tenho certeza de que é Deus quem NOS inspira a buscar estas histórias. E elas vêm: surgem quando a gente menos espera. Ou no meu caso, cutuquei a Lili pra saber como estava a sua reserva e ela contou esta história bacana. Que Ele continue NOS inspirando e NOS mostrando os melhores caminhos para poupar, economizar e ajustar a nossa saúde financeira. 😉

Um comentário sobre “Profissional autônomo: seu 13º pode vir das moedas de troco

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.