O economista Ricardo Amorim quer te ajudar a passar por esta crise

Em meio à pandemia do coronavírus, o economista Ricardo Amorim está aproveitando as redes sociais ele segue trabalhando e ajudando a gente a entender os impactos dessa crise na economia. Muito respeitado em seu meio, ele tem milhares de seguidores e, por isso mesmo, o “Obrigada, estou apenas olhando” foi buscar em uma de suas entrevistas orientações com relação às finanças pessoais.

“Ainda acredito que o ajuste do mercado financeiro ainda não acabou”, diz Amorim. “Mas quem tem dinheiro e souber usá-lo, aplicá-lo com calma, sem correr riscos exagerados, dentro do seu perfil de risco, para prazos de investimento longo, vai ter uma dessas oportunidades que só batem na porta uma ou duas vezes por década.”

Olha só, temos duas dicas: uma para você que tem dívidas com bancos, este é o melhor momento para renegociá-las. A outra é se está sobrando $$ para investir. Vamos juntos, entender como podemos enfrentar esta crise  e ainda nos beneficiarmos dela?

1 – Pessoas físicas com dívidas: “Vai para o banco conversar e renegociar prazos. Os bancos já abriram essa possibilidade”. Então é hora de aproveitar, gente! Procure o seu gerente e encontrem, juntos, uma melhor forma de honrar seus compromissos e, ao mesmo tempo, escolher uma maneira que não vá impactar ainda mais as finanças da sua família.

2 – Quem tem dinheiro para investir: “Questão básica é que uma ou duas vezes por década surgem oportunidades únicas de ter ganhos muito maiores em prazos muito menores e com risco muito menor. No Brasil surgiu em 2008, com a crise financeira global, surgiu uma com o impeachment da ex-presidente Dilma e agora está surgindo uma terceira. Do que estou falando? Qualquer produto comum que entra em liquidação as pessoas correm para a loja. Caiu o preço de um sapato ou bolsa, vai ter um monte de gente querendo comprar esse sapato ou bolsa se custar 40% 50% ou até 90% menos do que custava antes. Nos investimentos é o contrário. Ações, fundos imobiliários, títulos de renda fixa pré-fixado, indexado a inflação – particularmente os de prazo mais longos – estão com descontos de 30% a 70%, dependendo do ativo. Acredito que ainda ficarão com descontos um pouco maiores porque a perspectiva econômica ainda é muito complicada e a solução para a saúde também. O ajuste do mercado financeiro ainda não acabou. Mas quem tem dinheiro e souber usá-lo, aplicá-lo com calma, sem correr riscos exagerados, dentro do seu perfil de risco, para prazos de investimento longo, vai ter uma dessas oportunidades que só batem na porta uma ou duas vezes por década”

Gente, não tá fácil não. Os rumos ainda são muito incertos, afinal, nunca vivemos um momento como este. Mas não é saída de ministro que vai abalar a nossa fé. Temos que manter os nossos olhos voltados para Deus e para as promessas que Ele nos faz todos os dias. Vamos nos lembrar do que encontramos lá em Mateus 7: 7-8 que diz: “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. Porque, aquele que pede, recebe; e, o que busca, encontra; e, ao que bate, abrir-se-lhe-á”. Eu creio e você?  Fique bem, é só uma fase e como tal, também vai passar. 😉

loja mimoo complexo tatuapé

Você conhece a Mimoo? Lá, tudo é grátis!

Nesta quinta-feira (26), em São Paulo, conheci a Mimoo, a primeira loja dentro de um shopping center onde todos os produtos são GRATUITOS! Sim, isso mesmo que você leu, GRATUITOS! E diante de uma novidade tão bacana, eu não poderia deixar de divulgar aqui, no “Obrigada, estou apenas olhando”!

Se existe uma forma de economizar, a gente divulga e ajuda a espalhar a notícia! É puro serviço de utilidade pública para quem gosta de aproveitar uma promoção hehehe Hoje, fui até o Complexo Tatuapé, para visitar a decoração de Natal inspirada no universo de Harry Potter (eu amo HP) e andando pelos corredores eis que me deparo com a vitrine da Mimoo e o slogan que deixa qualquer um curioso para entender melhor do que se trata: “a primeira loja do Brasil onde tudo é grátis”.

Questionei uma pessoa na fila para saber se tinha alguma pegadinha. Mas não, o slogan era verdadeiro. A moça me explicou que era necessário baixar o aplicativo Zipz, buscar o shopping, encontrar a loja da Mimoo. “Esta loja posta opções de produtos gratuitos todos os dias. Você acompanha, escolhe o produto, reserva o resgate e vem buscar: é muito fácil”, ela explicou.

E é mesmo, baixei na hora o aplicativo, preenchi com meus dados e encontrei o brinde: uma água Miscelar, da Nívea, de 400 ml, um produto novo da marca. Mas aí fiquei curiosa para descobrir de que forma que a Mimoo lucra com esta proposta. E descobri, pesquisando na internet, que a ideia da Mimoo é uma iniciativa de marketing de experiência que tem o objetivo de divulgar novos produtos de empresas parceiras como a Nívea, Unilever, Nestlé, Jeunesse e Eudora. Estas são as que entenderam e apostaram na proposta até o momento. Que venham muitas mais! heheh

Na Mimoo, a relação é de ganha-ganha, ou seja, todos ganham:

  • O consumidor ganha produtos gratuitos para conhecer e experimentar antes de comprar, minimizando assim o risco de erro;
  • A indústria ganha, pois se relaciona com o consumidor de um jeito novo e moderno para construir sua demanda e atingir seus objetivos de venda e construção de marca;
  • O meio-ambiente ganha, pois deixa de receber resíduos de milhares de produtos descartados e queimados ainda dentro do prazo de validade.
  • O supermercado e a farmácia ganham, pois vendem melhor nas lojas localizadas nos bairros onde a Mimoo se encontra.
  • O shopping center e suas lojas ganham, pois que atrai mais público e melhora a experiência dos seus consumidores.

Legal, né? Por enquanto, você encontra a loja da Mimoo nos shoppings Metro Tucuruvi, Mais Shopping (Santo Amaro), Complexo Tatuapé e Grande Plaza Shopping (Santo André). Vamos torcer para a ideia se espalhar por todo o Brasil. Mas se você for de São Paulo ou estiver passando por lá, vale a pena passar em uma das lojas da Mimoo e viver esta experiência de entrar, pegar o produto e sair SEM PAGAR NADA! A sensação é incrível!

Que Deus abençoe esses empreendedores fantásticos e também às nossas carteiras que mantenham nossos cartões de crédito bem seguros lá dentro hehehehe 😉

E na hora de comprar material escolar…

Outro gasto impossível de fugir, caso você tenha filhos na escola, é a compra de material escolar.  Gente, a regra do IPTU e IPVA também vale para este tipo de compra: você só vai conseguir economizar se pagar à vista. E como encontrar os melhores preços? Batendo perna ou usando o seu wi-fi (pra pesquisar on-line) e lendo as dicas do ‘Obrigada, estou apenas olhando” hehehe

Gente, uma coisa é fato: não é preciso ser pobre ou rico para economizar, guardar dinheiro ou pechinchar. Todo mundo pode e deve fazer isso. O que acontece é que aqueles que têm mais acesso às informações, conhecem as melhores oportunidades e sabem onde estão as ferramentas que podem trazer este tipo de vantagem que vai fazer uma diferença enorme no fim do mês, como aplicativos, descontos, oportunidades de compras coletivas, por exemplo.

Reúna outros pais da mesma classe dos seus filhos (oportunidade também para se aproximar das pessoas ao vivo e em cores, saia um pouco das redes sociais e viva suas amizades ao vivo) e montem um grupo de compra coletiva: divida tarefas entre os participantes como a pesquisa de preços em lojas e atacados e garanto que vão economizar muito!

Reaproveitar também é uma opção para o material escolar. Se a escola devolveu o que sobrou, faça uma triagem do que pode ser reaproveitado. Se a escola não devolveu e seu filho vai continuar estudando lá, reúna o grupo de pais e verifiquem com a diretoria se será possível utilizar o material remanescente do ano passado.

Algumas dicas que todo mundo sabe, mas na hora que precisa esquece. Não vou ensinar nada novo para vocês, apenas lembrá-los o que vocês já sabem:

1. Antes de comprar, avalie a lista: observe bem a lista de material escolar. Cuidado com as exigências abusivas. Confira se são solicitados itens de uso comum, como produtos de higiene e limpeza, ou itens usados na área administrativa. Para organizar-se melhor, procure classificar também os livros didáticos, os literários e os materiais de papelaria. Sempre que tiver dúvidas, questione a escola.

2. Pesquisar: é a palavra de ordem para conseguir bons preços e produtos de qualidade. Não compre na primeira loja. Não compre no dia em que está fazendo a pesquisa. Leve sempre papel, caneta ou o celular e vá anotando, fotografando tudo que você precisa comprar.

3. Reaproveite: não é vergonha nenhuma reaproveitar o que sobrou do ano passado. Veja lápis, canetas, papéis, cadernos, uniformes, mochilas… Acredito que uniformes não será possível reaproveitar, porque as crianças crescem e crescem numa velocidade que a gente não consegue acompanhar, não é mesmo? Mas outros itens tenho certeza de que é possível fazer um arranjo. Importante conversar com a criança também. Explicar pra ela os motivos de utilizar a mesma mochila do ano passado, por exemplo.

4. Organize um grupo de compra coletiva: reúna os pais de alunos da turma dos seus filhos e monte um grupo de compra coletiva. Aproveite para liderar o grupo e disseminar nos outros pais a ideia do consumo consciente. Esta dica está no post que escrevi há algum tempo sobre o Homem-Desconto. Depois de reunir os pais, busque as lojas que vendem no atacado. Como vocês vão comprar em grandes quantidades, alguns produtos mais simples, como lápis e canetas, podem sair com até 90% de desconto.

5. Esqueça os personagens: cadernos e mochilas de personagens de desenho animado ou super-heróis só vão complicar as suas compras. Os valores são absurdamente mais altos que aqueles sem o glamour dos personagens. Se optar por não comprar estes personalizados já vai conseguir economizar bastante..

6. Compre à vista: você já sabe que este é o nosso mantra, né? Sempre que possível, compre à vista. Se for parcelar, verifique se é o mesmo valor. Apenas pagando à vista você consegue negociar pedindo desconto. Peça, hein, ninguém vai lhe oferecer desconto por conta dos seus belos olhos azuis hehehe (os meus são castanhos, nessa eu já teria perdido heheh).

7. Livros? Tente trocar: outra opção com o grupo de pais é propor para a escola uma feira de livros. Assim você doa os do seu filho e tenta trocar pelos livros que ele vai usar este ano. Vá em grupo conversar com o diretor (a) da escola. Todo mundo vai sair ganhando, eu tenho certeza, você vai ver. Você, os outros pais e a escola que vai ser vista pelos pais como uma instituição que se preocupa com o consumo consciente e, ao mesmo tempo, é empática com as famílias de seus alunos.

Espero que estas dicas (que eu tenho certeza você já sabia) te ajudem nesta saga do material escolar. Ah, sobre as mensalidades, converse com o diretor, peça desconto, não aceite os valores como a última palavra. Se tiver mais de um filho na mesma escola, este desconto tem que ser maior. Repito, peça! Ninguém vai oferecer desconto pra você. Participe das reuniões escolares e fique atento às datas de concursos de bolsas. Normalmente, elas ocorrem em outubro para o próximo ano letivo. Participe da vida escolar do seu filho, tenho certeza que você só vai tirar proveito disso, em todos os sentidos.

Mesmo as compras necessárias precisam ser conscientes. Ajude os outros pais a enxergarem também. Vamos juntos disseminar estes conceitos e esta nova maneira de enxergar o consumo e a forma de nos relacionarmos com o dinheiro. Eu sei que você pode. Deus espera isso de nós: que façamos sempre o melhor, que busquemos a prosperidade em todos os sentidos e que ajudemos uns aos outros. Aproveite as dicas e seja feliz (gastando pouco)  😉

Não dá pra fugir. Impostos? Tem que pagar!

As pessoas se estressam para pagar os impostos. E sabe porquê? Por que elas não conseguem enxergar no dia a dia de suas cidades o dinheiro pago revertido em benefícios e serviços para o povo.

A minha cidade – Jundiaí/SP – é muito boa. Gosto muito de morar aqui e aproveito os serviços que o município oferece, os parques, os cursos gratuitos e, às vezes, o sistema de saúde, sem contar os investimentos em saneamento básico e a geração de empregos e oportunidades, ou seja, não tenho reclamações, graças a Deus né?

Não estou rasgando dinheiro, mas ao invés de reclamar por ter que pagar os impostos, agradeço a Deus pelo teto pra morar. Mude a perspectiva você também, talvez fique mais fácil: olhe em volta e veja as belezas da sua cidade, do seu bairro e, se as coisas não estiverem como deveriam, você tem todo o direito de ir até o vereador que recebeu seu voto ou à prefeitura e reclamar. Você tem direito: você paga pra ter esse direito. Então acompanhe, cobre, reivindique, faça valer os seus impostos.

Hoje paguei o IPVA à vista. Aproveitei o desconto oferecido e paguei com a minha reserva financeira. Sim, aquela acumulada ao longo de um ano sem compras. Optei por pagar este mês o IPVA porque o meu IPTU vence só em fevereiro). Ainda bem né? Um imposto por mês hehehe

Você sabia que 50% do seu IPVA volta para a prefeitura que tem que investir no sistema viário do município?

Pois é! Mais um motivo para pagar e depois ir lá e cobrar! Vamos exercer a nossa cidadania, meus amigos. Pagar impostos é um dever (tá eles não precisavam ser tão altos), mas é nosso direito exigir que esses impostos sejam bem investidos.

Vamos fazer de 2019 um ano maravilhoso, com cidadania, prosperidade financeira e muita fé em Deus, o arquiteto de tudo isso! 😏

E para colocar as finanças em dia, use a fórmula 50/30/20

No dia 2 de janeiro (isso mesmo, já no segundo dia do ano), começamos a falar sobre poupar. Mas não dá pra falar em poupar, sem ter dinheiro para poupar. Para isso, você precisa ajeitar suas finanças e fazer as suas despesas caberem no seu orçamento. E o “Obrigada, estou apenas olhando” vai te ajudar nesta tarefa, que parece difícil, mas não é não: eu garanto!

Você já ouviu falar da regra de ouro das finanças pessoais, a Fórmula 50/30/20?  Quando aprendi sobre ela no ano passado, muita coisa mudou na minha vida. Assim que entendi como ela funcionava, resolvi incorporar no meu dia a dia. Mesmo porque não adianta aprender sobre algo, saber que vai melhorar a sua vida e não se apropriar dos ensinamentos e transformá-los em hábitos não é?

A Fórmula 50/20/30 chega no melhor momento de nossas vidas: ano novo! Assim dá pra você se estruturar, organizar as finanças e se planejar para viver uma relação mais harmoniosa com o dinheiro ao longo de 2019.

Para que você entenda como funciona, vamos começar com um exemplo bem simples. Vamos simular o uso da fórmula em um salário de R$ 1.500,00. Destes, R$ 200,00 foram para pagar impostos (ah, os impostos do governo heheh), sobraram R$ 1.300,00, valor líquido que será depositado na sua conta corrente e é com este valor que você vai contar.

Agora imagine que dos R$ 1.300, 00, R$ 650,00 (ou seja, os 50%) vão para pagamento dos gastos essenciais da casa (água, luz, telefone, internet, tv a cabo, condomínio, aluguel, transporte). Da outra metade do salário, você separa 30% para o momento relax da vida: passeios, compras, diversão e os 20% restante, você separa para a sua reserva mensal.

Nossa, parece que não vai dar, né? Mas tem que dar heheh Se você está gastando além disso, precisa rever os valores:  me lembro que na época que fiz as contas, troquei a operadora do celular e consegui reduzir os gastos com telefone móvel em 50%, graças a Deus.  Faça uma pesquisa com as operadoras e veja qual oferece as melhores vantagens com a menor mensalidade. Tenho certeza de que vai encontrar alguma que atenda as suas necessidades.

Apesar de ser conhecida como uma regra de ouro, ou seja, uma regra que os educadores financeiros garantem sucesso na aplicação, não é uma regra fechada. Você pode adaptá-la ao seu estilo de vida, mantendo, claro, a consciência sobre seus gastos e sobre o fato de que a poupança é fundamental para que este planejamento todo renda bons frutos no futuro!

Você vai conseguir! Junte as orientações da Fórmula 50/30/20 de hoje à planilha que divulgamos ontem e você tem as ferramentas para organizar a sua vida financeira. Aproveite esta oportunidade e vamos dormir tranquilos, sem dívidas e com dinheiro no bolso e investido. Lembre-se, eus é bom e Ele espera que você consiga viver bem em paz e prosperidade! 😉

 

Planeje seu orçamento doméstico: baixe esta planilha

Planejar o orçamento doméstico leva tempo, a gente sabe. Não é da noite para o dia que você vai conseguir se organizar financeiramente, principalmente, se você têm gastos além da sua receita. Mas o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ vai te ajudar e esta é a melhor época para decidir que é possível fazer diferente não é?

O primeiro passo é tomar a decisão. Decida! Por você, pela sua paz de espírito e, se for casado (a), pela sua família e filhos. Lembre-se, as crianças aprendem muito mais pelo exemplo do que pelas palavras…

Pode ser hoje? Pode! Ou melhor deve! Agora, arregace as mangas e mãos à obra: anote tudo numa planilha, em papel ou no computador, tudo que vai entrar como receita no próximo mês: salário, renda, rendimentos extras (como aluguéis, comissões…). E todas as despesas fixas: faça uma estimativa média das contas de água, luz, telefone e tv a cabo, condomínio, escola das crianças, transporte… E se tiver contas parceladas, aproveite também para relacionar os valores de acordo com os vencimentos das contas.

Para planejar 2019 – Vamos disponibilizar uma PLANILHA EXCLUSIVA  Orçamento Doméstico – Obrigada, estou apenas olhando 2018, desenvolvida por um profissional da área de finanças de um renomado grupo empresarial de Jundiaí. Ela vai te ajudar a enxergar todos os seus gastos, planejar as despesas futuras por anos à frente, inclusive, como um consórcio, por exemplo. Isso vai te ajudar a notar que com o passar do tempo, você ficará no azul, com o fim de despesas sazonais, como cartão de crédito, por exemplo.

Não se esqueça de anotar todos os gastos do mês e considerá-los nos meses subsequentes, caso sejam gastos parcelados. Ela está preenchida com alguns valores fictícios para que você entenda como deve usá-la. A planilha é auto-explicativa e o melhor é que se você preencher uma vez, o rendimento ou a despesa se repetirá nos próximos meses, só fazer as previsões. Assim, a primeira vez vai dar um pouco mais de trabalho, mas as próximas anotações ficarão mais fáceis, você só vai atualizando.

Você vai conseguir!  Deus é bom e quer que encontremos o melhor caminho para a prosperidade que Ele NOS prometeu 😉

Vamos economizar em 2019?

Durante 2018 ouvi muito sobre a dificuldade de poupar. Frases como “nossa, como você consegue?”, ou “não sobra dinheiro para guardar”…. Mas com o “Obrigada, estou apenas Olhando”, aprendi que poupar/guardar dinheiro é uma questão de decisão, a mudança tem que começar na sua mente. E, por isso que o #DesafioDas52Semanas vai continuar. Ano após ano até você decidir participar, aderir e fazer isso parte da sua vida de uma vez por todas… heheh Sou persistente!

Início de ano, melhor época para começar um desafio, fazer promessas, definir metas, traçar estratégias para chegar ao seu objetivo e por que não começar bem agora? Quer mudar de vida? Realizar um sonho… Qual o seu sonho? Quer viajar? Quer fazer uma especialização? Uma faculdade? Trocar seu carro, aparelho celular? É só sonhar e realizar!

A primeira coisa a fazer é definir quanto você vai precisar para realizar o seu sonho. E aí, você vai até a tabela (que vou disponibilizar no fim deste post) e veja com qual valor vai encarar o desafio. Se for com 1,00, ao final das 52 semanas, você terá: R$ 1.378,00. Com 2,00, R$ 2,756,00; com 3,00, R$ 4.134,00; com 4,00, R$ 5.512,00; e com 5,00, você conseguirá juntar (sem contar os juros e correção se deixar na poupança), R$ 6.890,00. Agora, se você já participou o ano passado do desafio, quem sabe ousar um pouco mais e começar com 10,00. Aí, você vai conseguir na última semana de dezembro, o equivalente a R$ 13.780,00. Legal né?

E se você precisa do ‘Obrigada, estou apenas olhando’ para encarar este desafio, nós vamos ajudar. Estaremos juntas a cada semana, numa contagem regressiva até lá.

Você sabe como funciona? Estipule um valor para início e guarde um pouquinho toda semana, seguindo uma planilha. Elaborei uma planilha que é adaptável, do lado direito você vai encontrar um espaço para preencher o valor do seu desafio. Altere ali de acordo com o valor que você vai querer começar. E aí, a cada semana, acrescenta o valor definido ao montante da última semana.  Se você começar com 5,00, por exemplo, suas semanas ficarão assim:

Primeira Semana: R$ 5,00
Segunda Semana: R$ 10,00
Terceira Semana: R$ 15,00

E por aí vai… Ao final, na última semana, você terá que guardar R$ 260,00. Por isso, avalie bem o seu orçamento antes de definir o valor do desafio. Assim, você consegue cumpri-lo até o fim.  Com o #DesafioDas52Semanas, você vai perceber que poupar é mais fácil do que você imaginava. Uma dica importante: não guarde dinheiro em casa! Guarde no banco! Em casa, a gente já conversou e você já sabe que perde os juros da poupança que, apesar de serem baixos, já é alguma coisa.

Para seguir o desafio, você vai precisar de disciplina e organização. Gastos supérfluos podem te atrapalhar nesta missão. Então, vá se policiando para não perder o foco.

Vamos começar numa quarta-feira… Então este será o dia com o nosso compromisso de separar o valor a ser guardado. Lembre-se, é um desafio semanal, mas você pode, por exemplo somar o valor do mês e depositar de uma vez só no banco.

A cada semana, além de lembrar sobre o desafio e os valores que você vai precisar guardar. Acompanhe pela página do Facebook, tá? Vai ser demais! Quem aí tá confiante? Que Deus NOS ajude: mostrando os melhores caminhos, NOS afastando das tentações com os supérfluos e NOS protegendo sempre! 😉

Baixe a planilha Desafio 52 semanas – Obrigada, estou apenas olhando e bom trabalho!

Como economizar com os filhos pequenos

E o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ segue fazendo escola e orientando as amigas. Dia desses (não, já faz algum tempo que ela me pediu), a Fabiana veio me pedir ajuda. Conheci a Fabiana e o Renan, seu esposo, quando estava fazendo uma matéria sobre compra de apartamento e eles foram os felizardos que estavam comemorando o sonho da casa própria.

Hoje, eles têm uma linda bebezinha em casa. Fabiana veio me confidenciar que não sabe como dizer não para si mesma quando o assunto são presentes para a pequena. Se você também é do tipo que tudo que vê quer comprar para os filhos, essa matéria pode te ajudar.

Com ou sem filhos, não é fácil fazer com que o dinheiro dure até ao fim do mês. Mas com crianças em casa, os imprevistos podem acontecer com mais frequência. Mas é possível vencer este desafio. Pesquisando sobre o assunto mães e filhos, descobri uma pesquisa realizada pelo SPC Brasil e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) que aponta que seis em cada dez mulheres (64,4%) não resistem aos apelos dos filhos quando eles pedem brinquedos, roupas e doces.

Sempre fico encantada em poder ajudar as pessoas que me procuram,  mas senti dificuldade na hora de escrever. Tenho um ‘filho’ peludinho e de quatro patas: seu nome? Harry Potter. Mas como desafio lançado é desafio cumprido, saí à caça de amigas com filhos e conversei com a Luciana Sanfins, jornalista, repórter do São Paulo para Crianças e sócia da Nós Filmes.

Ela explicou que o pequeno João, de apenas dois anos, está no caminho para se tornar um adulto consciente do que pode e não pode. “Ele pede pouca coisa, mas quando pode e, se não podemos comprar (seja por falta de $$, por não haver necessidade ou qualquer outro motivo) explicamos para ele e beleza. Na maioria das vezes ele entende: faz parte do aprendizado, imagino que quando ele for mais velho, irá pedir mais. Mas a nossa postura será a mesma”, completa.

Apesar de conscientes a Lu e o marido, Ivens, viram as contas aumentar e, muito, por causa do João. Acredito que isso também esteja acontecendo com a Fabiana e o Renan: gastos com farmácia, comida, leite, roupas, calçados, material escolar… “Fizemos um planejamento – não de longo prazo – mas tivemos que revê-lo, reduzimos plano de celular, tv e telefone, internet, cancelamos cartões de crédito, até fizemos um empréstimo para pagar contas atrasadas e alguns planos foram adiados, como uma pós-graduação”, enumera as mudanças no dia a dia da família.

Esta é uma boa opção, gente, rever os gastos: olhar onde pode reduzir e até o que pode cortar para viver com mais tranquilidade. “Todos os meses temos que ‘se virar nos 30’ para dar conta de pagar todas as contas”, brinca, lembrando que quando o assunto são fraldas, qualquer planejamento financeiro vai para o espaço.

Comentei com a Luciana sobre a pesquisa do SPC Brasil que aponta que muitas vezes, nem é necessário que os filhos peçam o presente para recebê-lo: 59,6% das mães compram produtos que não são necessários para os filhos apenas pelo prazer de vê-los usarem coisas que gostam. Para ela, não é uma opção saudável para a criança (e nem para os pais, vamos combinar, né gente? Quem aguenta comprar tudo que vê pela frente: comprar é legal, pagar que fica difícil depois heheh)

O perigo para a criança, alertou Luciana, é o fato dela entender que sempre terá tudo que quiser, que tudo é fácil e pior, pode não valorizar suas próprias conquistas. “A dica que eu daria é: seja 90% racional (analise se há necessidade de comprar e se o $$ está dentro do orçamento) e 10% emocional (podemos agradar e dar mimos aos filhos, claro, mas isso precisa ser moderado) ❤ E sempre explicar o porquê deu ou não deu para ele entender como as coisas são na vida”, aconselha. O coraçãozinho foi ela que colocou na resposta que me enviou via WhatsApp. Achei fofo!

Apesar de já saber pedir, João não faz chantagem. “Pelo menos ainda não (hehehe). Às vezes chora um pouco, mas passa. Só precisamos explicar a ele, quando é não, de uma maneira que ele entenda. Seja sincera e não queira enganar a criança. Assim os pais começam a criar uma relação de confiança e respeito desde cedo”, comenta. Ah, ela jura que só até agora só comprou algumas roupas estilosinhas pra ele, porque gostou e uma guitarra. Sim, guitarra. Ela gosta e ele começou a demonstrar interesse… Legal né?

Então vamos rever as dicas da Luciana:

  • Reveja seus gastos: reduza planos de telefone, internet, tv a cabo, celular…
  • Corte os cartões de crédito, fica mais fácil fazer planejamento com o dinheiro que está na sua mão e não aquele do cartão de crédito. Lembre-se, os limites do cartão e do cheque especial não é um dinheiro seu e o banco cobra juros altíssimos por isso
  • Diga não quando não puder e explique para os filhos de uma maneira que eles entendam: seja sincera e crie uma relação de respeito
  • Seja 90% racional (afinal, você é o adulto) e 10% emocional: imagino que não deva ser fácil, mas é possível e, no final, seu filho vai agradecer, quando se der conta de que aprendeu e se tornou uma adulto consciente
  • Cuidado com as fraldas, segundo a Luciana, o planejamento financeiro vai para o espaço hehehe

Que Deus possa orientar a sua vida, com ou sem filhos. Quando se sentir perdida, peça a ajuda dEle. Tenho certeza de que Ele terá o maior prazer em responder às suas dúvidas e orações. Abençoe sua casa, todos os dias, seu marido e seus filhos. Crie um ambiente tranquilo, harmonioso e feliz, transforme a sua casa num lar. Seja feliz! Seja próspero! 😉

 

 

Compras da semana com economia

Dia 303/365:

Faz três semanas que venho economizando nas compras do supermercado. Demorei para comentar com vocês porque queria ter certeza de que daria certo! O “Obrigada, estou apenas olhando” quer saber: com que frequência você vai ao supermercado?

Todo dia? Hehehe Brincadeira! Nas últimas três semanas fui apenas duas vezes. E consegui reduzir em 50% os gastos no supermercado por conta das mudanças que fiz.

Frutas, verduras e legumes agora só na feira! Sim, feira livre é tudo de bom. E mesmo lá tem que pesquisar, pechinchar e andar de barraca em barraca. Os preços e a qualidade dos produtos variam há poucos metros de distância.

Com R$32,00 consegui trazer as frutas, verduras e legumes para a semana toda! Gosto muito de frutas: nos lanches da manhã e da tarde e, às vezes, também elas substituem o jantar! SEM leite condensado, hein, gente! Hehehe

Mas precisei comprar macarrão, leite, bolachas e queijo (este último estava mais barato no supermercado do que na feira). No supermercado, busque sempre as marcas que estão na parte de baixo das prateleiras: normalmente, os preços dos produtos estão mais baixos do que aqueles que estão na altura dos olhos.

A gente sabe de todas essas coisas. Mas deixa pra lá por conta da correria do dia a dia: entrar e sair do supermercado com pressa resulta em compras sem pesquisa.

Mas, independente do que comprei na feira e no mercado, as compras vêm ficando 50% mais baratas nas últimas três semanas. E o melhor, na feira, a gente leva dinheiro né? É só compra enquanto tem dinheiro! Heheheh

Hoje fui numa feira em outro bairro. O mais engraçado das feiras são os maridos andando atrás das mulheres carregando as sacolas de um lado para o outro, enquanto elas pesquisam, pechincham e fazem suas escolhas.

Muita gente comendo pastel também. Pastel é tudo de bom, né gente? Só o cabelo que fica com aquele cheiro de óleo hehehe

Mas vamos seguir economizando, poupando e fazendo o dinheiro render. Hoje perdi o cartão do banco. Fiquei chateada. Não por ter perdido (esqueci no caixa eletrônico), mas pelo fato da pessoa que o encontrou não ter tido a decência de deixá-lo lá)!

Que Deus perdoe essa pessoa e continue NOS inspirando e protegendo em todos os momentos, sob todos os aspectos! Ele é grande e quer cuidar de você também. 😉

Foto da PMJ

Respire fundo, reflita e não compre!

Dia 261/365:

A greve dos caminhoneiros que está impactando o país todo, a minha cidade já está em estado de emergência e muitas outras devem estar na mesma situação pelo Brasil a fora. E o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ aprendeu algumas coisinhas observando, observando…

Uma delas é que, de fato, as pessoas compram na emoção. Já vi inúmeras reportagens sobre pessoas estocando comida em casa e acabando com alimentos nos supermercados. Uma dessas pessoas foi abordada pela reportagem com 12 pacotes de 5 kg de arroz. Questionada, a senhora respondeu, admitindo: “É, não estou pensando nos outros”.

Que bom que ela percebeu isso, mas não desistiu da compra… hehehe As pessoas são levadas pela emoção. Quando se deparam com uma bolsa, roupa ou sapato novo ficam eufóricas e esta euforia cria um sentimento de necessidade. Com a greve, a emoção que está ditando os ânimos é o medo.

No primeiro caso – nas compras pela euforia – as pessoas experimentam sentimentos como autoconfiança e otimismo exagerado, o que lhes dá a certeza de que vão conseguir pagar. Sem pensar, compram com o cartão de crédito (do banco ou da loja) e se esquecem das parcelas que ainda vão vencer de compras realizadas em outras ocasiões. Ou seja, com mais uma compra o  montante a pagar vai aumentar.

Compensar momentos de tristeza ou quando você imagina que precisa de uma recompensa também são emoções que podem desestabilizar as suas finanças.

No segundo caso – estocar alimentos – pode provocar aumento dos preços dos produtos e queda na qualidade. Cuidado, pois os alimentos podem estragar se ficarem muito tempo guardados e aí você perde o dinheiro e a comida que comprou.

Fico pensando nestes comerciantes oportunistas que estão aumentando o preço dos produtos. Qual a diferença deles para o político corrupto que ele tanto critica?

Gente, o Brasil precisa de oração. Nós precisamos pedir a Deus pelo nosso país. As pessoas não se entendem, governantes batem o pé, grevistas idem e não conseguem encontrar uma solução. Fica aqui o meu apelo a Deus que olhe pelo nosso país e tenha misericórdia de todos nós! 😉