Respire fundo, reflita e não compre!

Dia 261/365:

A greve dos caminhoneiros que está impactando o país todo, a minha cidade já está em estado de emergência e muitas outras devem estar na mesma situação pelo Brasil a fora. E o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ aprendeu algumas coisinhas observando, observando…

Uma delas é que, de fato, as pessoas compram na emoção. Já vi inúmeras reportagens sobre pessoas estocando comida em casa e acabando com alimentos nos supermercados. Uma dessas pessoas foi abordada pela reportagem com 12 pacotes de 5 kg de arroz. Questionada, a senhora respondeu, admitindo: “É, não estou pensando nos outros”.

Que bom que ela percebeu isso, mas não desistiu da compra… hehehe As pessoas são levadas pela emoção. Quando se deparam com uma bolsa, roupa ou sapato novo ficam eufóricas e esta euforia cria um sentimento de necessidade. Com a greve, a emoção que está ditando os ânimos é o medo.

No primeiro caso – nas compras pela euforia – as pessoas experimentam sentimentos como autoconfiança e otimismo exagerado, o que lhes dá a certeza de que vão conseguir pagar. Sem pensar, compram com o cartão de crédito (do banco ou da loja) e se esquecem das parcelas que ainda vão vencer de compras realizadas em outras ocasiões. Ou seja, com mais uma compra o  montante a pagar vai aumentar.

Compensar momentos de tristeza ou quando você imagina que precisa de uma recompensa também são emoções que podem desestabilizar as suas finanças.

No segundo caso – estocar alimentos – pode provocar aumento dos preços dos produtos e queda na qualidade. Cuidado, pois os alimentos podem estragar se ficarem muito tempo guardados e aí você perde o dinheiro e a comida que comprou.

Fico pensando nestes comerciantes oportunistas que estão aumentando o preço dos produtos. Qual a diferença deles para o político corrupto que ele tanto critica?

Gente, o Brasil precisa de oração. Nós precisamos pedir a Deus pelo nosso país. As pessoas não se entendem, governantes batem o pé, grevistas idem e não conseguem encontrar uma solução. Fica aqui o meu apelo a Deus que olhe pelo nosso país e tenha misericórdia de todos nós! 😉

É possível reduzir as despesas?

Dia 226/365:

Chega o fim de semana a gente tem mais tempo pra pensar, né? E hoje o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ vai falar sobre despesas. Sabe quais são elas? Sabe a diferença entre fixas e variáveis? Então, vamos aproveitar o fim de semana para entender, avaliar a situação da sua casa e começar a colocar em prática já na segunda-feira, ou agora mesmo se quiser.

A principal diferença entre as despesas fixas e variáveis é a sua periodicidade. As fixas, como o próprio nome já diz, vêm, religiosamente, todo mês. Mas não tem um valor fixo, algumas despesas têm valor que pode variar de acordo com o consumo, como por exemplo, água, luz, telefone. Mas se você e a sua família consumirem com consciência, vão conseguir ficar nos valores mínimos de consumo. Aqui entra também os custos com aluguel, condomínio, transporte, supermercado.

Embora não possam ser evitadas, as despesas fixas podem ter seu valor reduzido. Já as variáveis podem ser evitadas, reduzidas ou até eliminadas (como no meu caso). Estas são os gastos com compra de roupas, sapatos, produtos de beleza, as idas ao salão de cabeleireiro. Se você precisa poupar, uma boa dica é reduzir ou até eliminar os gastos com as despesas variáveis.

Lembra que mudando de operadora de celular consegui reduzir o valor mensal em 50%? Pois é. Consumir conscientemente energia elétrica e água em casa fará com que você reduza os valores mensais (aquelas dicas básicas e que todo mundo conhece: apagar as luzes dos cômodos que não estão sendo usados, tomar banhos mais curtos, escovar os dentes com a torneira fechada e por aí vai… ).

Então antes que a falta de dinheiro aperte e te force a cortar despesas, faça isso porque você, conscientemente, quer fazer isso. Vai ser importante pra você, para as despesas da casa, para a sua família, que vai aprender sobre desperdício e, principalmente, para o meio ambiente, que agradece imensamente.

E no supermercado, é possível? Sim! Antes de ir ao supermercado, elabore uma lista de tudo o que você precisa. Desta forma, evitará gastos desnecessários. Fique atento à disposição dos produtos nas prateleiras: supérfluos e itens mais caros estão, normalmente, sempre ao alcance do seu olhar. Lembre-se de que as pessoas têm maior tendência a comprar supérfluos quando vão ao supermercado com fome. Se conseguir faça suas compras após as refeições e em horários alternativos, como no meio da manhã, da tarde, ou após às 20h.

Aluguel e condomínio – Procure não comprometer mais do que 1/3 de seu orçamento com o aluguel e condomínio. Pague sempre em dias essas despesas, evitando juros e multas. Participe regularmente das assembleias de condomínio para saber todos os valores que você está pagando. Lembre-se de usufruir de todos os benefícios que o seu condomínio oferece, afinal, você está pagando! Ah, impostos como IPVA, IPTU e outros devem ser considerados na elaboração de seu orçamento.

Hoje me lembrei desse assunto porque estava arrumando as contas da casa: apenas guardando a documentação paga do mês. E é tão engraçado, ainda acho que alguma coisa está faltando quando olho para a ausência de boletos. E está né? Os das lojas que, graças a Deus, estou livre heheh Esta sensação é muito boa.

Algumas amigas entraram no desafio de um ano sem compras e estou acompanhando o que elas chamam de ‘dor e sofrimento’. Logo passa, meninas, e tenham a certeza de que vão me agradecer heheheh Vai ser bom para vocês, para a família e para suas finanças. Que Deus continue NOS inspirando por caminhos que NOS levem para vivermos o melhor que Ele tem pra nós. Vai dar certo: TUDO vai dar certo! Disponha-se a ouvir a voz de Deus e deixe Ele agir na sua vida! Não tem como dar errado. 😉

Dá pra economizar na Páscoa? Sim!

Dia 196/365:

Ah gente, queria tanto um ovo de Páscoa, mas com os preços, vai ficar inviável hehe Acho que vou comprar aqueles coelhinhos pequenos (e baratos) e barras de chocolate. Hoje, o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ vai falar sobre o feriado da próxima semana.

Três dias! Tem gente que vai viajar. Tem gente que vai reunir a família para o almoço. Tem gente que quer ganhar um ovo de Páscoa bem grandão (eu!). Não importa o que você pretende fazer, o importante é planejar para não gastar além do necessário. E dá pra economizar sim!

Se você vai viajar e tem acompanhado o nosso blog, este passeio já está programado, planejado e pago! Ou pelo menos, deveria! Espero que você tenha pesquisado lugares mais baratos, atrações e passeios gratuitos que poderá fazer com a família ou os amigos.

Mas se você está pensando em um festivo almoço de Páscoa, envolva toda a família para não gastar muito. Em tempos de WhatsApp, monte um grupo com todos que deverão comparecer e defina responsabilidades para cada um. Desta forma, cada um leva um prato, uma sobremesa, um peixe (não precisa ser bacalhau, por que nesta época fica bem caro), sucos e refrigerantes e não pesa pra ninguém e a comunhão em família vai ser mais divertida ainda. Eu garanto!

Sobre os chocolates, calma. Você tem várias opções:

1: Compre barras de chocolate: muitas! heheh Assim, você economiza e come até mais chocolate do que se fosse com o ovo.

2: Faça você mesmo: sim! Aprenda a fazer e presenteie. Quem sabe não surge aí uma possibilidade de renda extra?

3: Ovos caseiros: se você não tem talento para a culinária, compre os ovos caseiros. Você poderá ajudar um amigo a ganhar uma grana extra e ainda economiza, pois, os ovos caseiros são beeeem mais baratos que aqueles que estão pendurados nos supermercados.

4: Faça um amigolate: não entendeu? Amigo secreto de chocolate! Assim, se a família fizer questão dos ovos de Páscoa, você compra apenas um e ganha também! Nada mais justo né? E assim TODO mundo economiza.

Ah, a brincadeira com o chocolate é divertida, mas a Páscoa vai muito além… Todo mundo sabe que a Páscoa é um tempo lindo, momento de agradecer pelo amor e a misericórdia de Deus. É o momento de crer em Suas promessas: “Eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância” (João 10:10).

A Páscoa celebra o sacrifício de Jesus Cristo que morreu para nos salvar. Sim, a ressurreição de Jesus marca a sua vitória contra a morte e o pecado: uma linda história de amor por todos os homens. Coma chocolate, mas lembre-se também de ir à igreja em respeito e em memória por TUDO que Jesus fez por nós!  Seja em Deus! Seja feliz! Seja próspero! 😉

 

Como envolver a família nas finanças da casa

Dia 188/365:

Estamos na semana 11 do Desafio das 52 Semanas e no post dessa terça-feira, no Facebook do ‘Obrigada, estou apenas olhando’, falamos sobre a família, incentivando todos os membros a participar das finanças da casa.

E, por conta dela, recebi uma mensagem in-box pedindo ajuda para falar com a família sobre as dificuldades financeiras e sobre como convocar todos a participar das economias mensais e até do exercício de poupar. Veja o pedido de socorro:

“Vi o post sobre envolver a família para poupar e fiquei pensando na situação lá em casa. Minha família não conhece a nossa situação financeira. Em casa, só eu trabalho, tenho esposa e dois filhos pequenos (7 e 12 anos). Não consigo falar não para eles e, por conta disso, nos envolvemos em dívidas que não tem fim. Estou precisando de ajuda”

Situação delicada não é pessoal? Como deve ser difícil dizer não àqueles que amamos. Lembro bem da minha mãezinha que se desdobrava para cuidar de mim e do meu irmão, quando meu pai nos abandonou. Enfrentava as dificuldades e nunca nos deixou faltar nada. Mas, mesmo em toda a sua ingenuidade e simplicidade, sempre foi sincera conosco, quando pedíamos algo que ia além da sua capacidade.  E hoje posso imaginar como deveria doer nela assumir esta postura de ‘não posso’…

Mas, para sair dessa situação, não tem outro jeito: o caminho deve ser o da transparência, respeito e sinceridade. É o segredo para ter qualquer conversa com a família sobre o assunto que for. Mas finanças, sempre foi e sempre será, um assunto delicado. E, por conta disso, os cuidados devem ser redobrados.

E como estamos lidando com uma família e esta pode ser a dúvida de muitos outros pais e mães, fui conversar com o nosso educador financeiro, Pedro Braggio. “Se um dos membros da família resolveu cuidar das finanças da casa sozinho e já faz tempo que carrega esse fardo pesado, está mais do que na hora de dividir as preocupações com os filhos e com o cônjuge”, explica.  “Por que carregar tudo isso sem dividir com os outros? Tirando o peso das costas, é possível planejar um novo rumo para as finanças da família e vai ser bom para todos”, aconselha.

Mas como conversar com a família? Importante é que você não faça da conversa um sermão, nem uma bronca, senão o assunto fica pesado e ninguém vai querer ouvir. Com os pequenos faça-os entender o o valor do dinheiro: não dá em árvore e custa ganhar.  Lance um desafio. Chegue com um porquinho para cada um e desafie-os a enchê-los. Ou algo do tipo, use a sua imaginação e aproveite para brincar com as crianças.

Converse com todos da família sem marcar data e horário: vai ficar mais fácil. Comece a conversa como se fosse como outra qualquer. E vá sentindo a reação do membros da família. Com o seu cônjuge, que entende e sabe discernir, pode ter uma conversa em separado, seja sincero, mostre que ao longo do casamento sempre fez, sempre se desdobrou, mas que agora não está conseguindo mais… Quem sabe ela (neste caso) não se empolga em ajudar na renda família, fazer um trabalho dentro de casa mesmo (por conta de cuidar dos filhos) e que lhe traga uma remuneração extra: de repente ela descobre um talento escondido com bolos e doces, por exemplo…

Outra forma de começar o assunto é despertar o interesse da família com um tema que eles gostem, como viagem, troca do carro, compra de uma casa maior, festas de aniversário… E explique que para que estas coisas aconteçam, todos deverão colaborar. Comece por aí e vá inserindo o assunto de economias e poupança desta forma.

Mas antes de mais nada, lembre-se de pedir orientação de Deus para conversar com a sua família. Peça para que Ele fale por você… Assim, tenho certeza de que não corre o risco de brigar, nem ofender ninguém. Quando Deus age por nós, tudo fica mais fácil, mais calmo e os resultados, certamente, serão incríveis! Vá com fé, vá com Deus e tudo vai ser resolver da melhor maneira para você e para sua família! Que sejamos felizes, prósperos e abençoados a cada dia, em todos os momentos. 😉

 

Profissional autônomo: seu 13º pode vir das moedas de troco

Dia 179/365:

Faz algum tempo que junto moedas. E hoje conversando com a Liliane Rossi, jornalista e profissional autônoma como eu, veio a inspiração para o post de hoje do ‘Obrigada, estou apenas olhando’.

Profissionais autônomos não têm férias e nem 13º salário, garantias legais apenas para aqueles que trabalham com carteira assinada ou funcionários públicos. Isso vale também para a dona de casa que não tem salário ou para os estudantes que ainda não começaram sua vida profissional. Guardar dinheiro vale para todo mundo e dá resultado, a Lili tá garantindo.

Gente, no ano passado entre moedas e notas de R$ 2,00 e R$5,00 de troco, ela e o marido juntaram R$ 600,00! Em dezembro, eu estava comemorando que consegui juntar pouco mais de R$ 100,00… Imagina, R$ 600,00 é quase um salário mínimo. “Moeda a gente guarda há muito tempo. Em 2014, fomos viajar para Ilha Bela, no fim do ano, com o dinheiro com as moedas: juntamos R$ 800,00”, lembra Lili. Uau!

Desprezar as moedas e o troco – do mercado, do posto de gasolina, da banca de jornal (tem gente que vai ainda em banca de jornal), do pedágio, do restaurante – não é um bom negócio para o nosso bolso. Aliás, se fizermos isso, estaremos perdendo dinheiro.

Nada de aceitar balinhas como troco. A partir de agora peça as moedas. Nenhum estabelecimento aceita balinhas como pagamento, por quê nós temos que aceitar como troco?

As moedas que consegui juntar em 2017 foram para a poupança. As da Liliane e do marido viraram presentes de fim de ano. Como profissionais autônomos não temos 13º garantido, então o jeito é improvisar. Mas Lili avisa que é preciso perseverar e se manter firme para só abrir o cofre no fim do ano. “Não pode mexer! Ao longo do ano dá vontade sim, mas ter que se manter firme”, aconselha. Sim, temos que nos manter focados, esse é o segredo, né, Lili?

Caprichar na ceia de Natal, viajar, comprar presentes para si mesmo ou para a família ou quem sabe ainda guardar na poupança. Toda ajuda é valida. Guardar essas moedas significa entender que, por mínimo que seja, todo dinheiro tem valor e deve ser aproveitado e valorizado.

Faça disso uma experiência coletiva, como a Lili e o marido. Torne o cofrinho uma prática para toda a família. Mesmo porque o objetivo final pode trazer um impacto para toda a família, como uma viagem, por exemplo, ou a ceia de Natal. Nada mais junto que todos que vão participar, sintam-se responsáveis pelas economias.

Vamos começar agora. Não deixe para amanhã. Vá até sua bolsa e veja as moedas que estão lá perdidas e guarde. Se ainda não tem um cofrinho, faça como eu: uso uma lata de bombons. Fiz um furo na tampa para parecer um cofre (temos que trabalhar o psicológico). Não basta abrir a lata e colocar as moedas dentro, tenho que jogar pela abertura e ouvir o barulhinho delas se avolumando hehehe

Mais uma ideia para o nosso dia a dia! Tenho certeza de que é Deus quem NOS inspira a buscar estas histórias. E elas vêm: surgem quando a gente menos espera. Ou no meu caso, cutuquei a Lili pra saber como estava a sua reserva e ela contou esta história bacana. Que Ele continue NOS inspirando e NOS mostrando os melhores caminhos para poupar, economizar e ajustar a nossa saúde financeira. 😉

Baixei o valor das compras no supermercado em 50%

Dia 178/365:

Depois de avaliar os primeiros meses deste desafio e com a ajuda dos aprendizados com o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ consegui identificar que o supermercado era um dos gargalos das despesas mensais.

E se a sua conta do supermercado também não está cabendo no bolso, está na hora de fazer alguma coisa com relação a isso. A gente sabe que os preços sobem a cada semana, mas você pode, assim como eu, estar jogando dinheiro fora.

Comece avaliando o seu lixo (esse mesmo que fica em cima da pia): você está jogando muito resto de comida fora? Seja a sobra do prato ou os alimentos que acabam se estragando por conta de não ter dado tempo de comê-los. Às vezes, estamos gastando demais no mercado e comprando além do que conseguimos consumir.

Descobri que o ideal é fazer compras semanalmente: assim você vai comprar quantidades menores e o risco do alimento se estragar diminui.

Compre de acordo com o número de pessoas na casa. Faça uma estimativa para frutas, frios e laticínios, carnes de acordo com as bocas para alimentar hehehe

Estipule um valor máximo para gastar na sua compra semanal. Lembre-se de que é você quem prioriza as necessidades na sua vida, não as “promoções” de um estabelecimento comercial. Ao atingir o limite que você fixou, pare de comprar.

Faça uma lista do que precisa comprar e pesquise preços. Alguns mercados vendem no atacado. Nestes estabelecimentos, as compras de arroz, óleo, feijão, papel higiênico, produtos de limpeza podem sair mais baratos. Quando for num atacado, combine com os vizinhos e faça compras conjunta. O valor do desconto pode ser maior ainda.

Tente ir ao mercado sem as crianças. Assim, a pressão para comprar produtos supérfluos é bem menor, pois os pequenos são alvos mais suscetíveis ao marketing. Agora, com a época de Páscoa, cuidado! Os ovos de páscoa, principalmente, aqueles que vêm com brindes e custam muuuuito mais caros, já estão por toda a parte.

Sempre vou ao supermercado no meio da manhã, ou seja, sem fome heheh Geralmente vou aos sábados ou domingos e compro frutas, verduras, legumes, leite e torradas para a semana toda. As compras de arroz, feijão, macarrão acontecem apenas uma vez ao mês.  Até o dezembro do ano passado, gastava em  média, R$ 130,00 nesta ida ao mercado. Hoje, comprei tudo que precisava e paguei apenas R$ 69,00. Na semana passada, foi R$ 74,00… Está diminuindo e tenho tudo que preciso.

A gente vai aprendendo e aprimorando as coisas. Gastando menos, comprando com mais consciência… Educação financeira é um aprendizado diário. Controlar os impulsos também! Aos poucos, baixamos as emoções, compramos apenas o que é preciso e não nos sentimos mal por isso. Até o lixo reciclável diminuiu! Sinal de que estou consumindo menos produtos embalados e mais in natura: a saúde agradece heheh

E assim, o valor da reserva financeira vai aumentando. Vamos fazer render o dinheiro suado que ganhamos, poupando. Não tenha medo de dizer não quando for necessário. Este é um aprendizado para toda a família. Seus filhos vão te agradecer por este ensinamento. Serão pessoas melhores e mais conscientes no futuro.

Que Deus continue NOS abençoando e NOS protegendo em cada situação, em cada momento e NOS inspirando em cada compra. E até NOS puxando as orelhas quando extrapolarmos. Que possamos ser felizes, acima de tudo. 😉

Nasceu em março ou abril? Você pode ter PIS/Pasep para receber

Dia 169/365:

Vamos falar de dinheiro no bolso. Hoje, o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ vai de utilidade pública. Sim e a notícia é boa: se você nasceu em março ou abril e trabalhou por pelo menos 1 mês com carteira assinada em 2016 (ano base deste pagamento) com uma remuneração média de até dois salários mínimos, você tem direito a receber o PIS/Pasep.

PIS/Pasep é um abono salarial. É um programa de complementação de renda do governo, que existe desde a constituição de 1988 e muita gente não sabe que tem direito.

Para quem não sabe, é um número cadastrado no cartão de CNPJ, ou no documento de cadastro do trabalhador. Vá até a sua carteira de trabalho e dá uma olhada lá. Este número deve estar grampeado na última folha da sua carteira de trabalho ou na contra-capa (que é onde está o meu), mas como não trabalhei com carteira assinada em 2016, não tenho direito.

Mas se você tem, vá buscar! Segundo a Caixa Econômica Federal, o valor deste abono pode variar de R$ 80 a R$ 954,00 de acordo com o tempo de trabalho em 2016. E alertei os nascidos em março e abril, por que é o mês que eles estão pagando. É que os pagamentos do PIS/Pasep são feitos conforme o mês de nascimento do trabalhador.

Os recursos dos beneficiados ficam disponíveis até 29 de junho deste ano. Então, não deixe de resgatar o seu dinheiro. Se você tem direito, vá buscar e transfere para a sua poupança! Não vá gastar! hehehe

O benefício está disponível também para idosos desde o dia 24 de janeiro, pessoas acima de 60 anos podem sacar o seu PIS/Pasep.  Avise os pais ou avós.

Aprenda a reivindicar seus direitos e vamos aproveitar todas estas oportunidades que Deus tem colocado em nossas vidas. Esta é uma delas. Vá em frente e que Ele continue NOS abençoando e NOS protegendo de todo o mal. 😉