Aprendizado para uma vida inteira

Já se passou um ano do fim do desafio com o “Obrigada, Estou apenas Olhando”. Vocês se lembram, eu tomei a decisão em 7 de setembro de 2017. Nesse fim de semana que passou, o Portal Tudo, um site de notícias de Jundiaí e Região, publicou um texto meu falando sobre a saga de ficar um ano sem compras. Quem sabe Deus permita que possa inspirar outras pessoas. Que assim seja! Obrigada, Portal Tudo! Obrigada, Fabiana Pupo que, como eu, acredita neste propósito de inspirar as pessoas! ❤

Reproduzo aqui o texto publicado no Portal, só pra você relembrar como tudo começou e que Deus continue nos abençoando com saúde e prosperidade e segurando nossos cartões de crédito dentro da carteira. Amém  😉

“Ficar um ano sem compras para uma pessoa que adora shopping centeres não foi das tarefas mais fáceis. Na verdade, foi bem difícil! Bem difícil mesmo! Tomei a decisão em 7 de setembro de 2017. mas os boletos de compras parceladas continuaram chegando por mais três meses. E isso foi bem frustrante. Sei lá, acho que no meu subconsciente imaginava que as contas sumiriam como num passe de mágica. Ledo engano.

Lágrimas de frustração rolaram a cada boleto que chegava. O dinheiro não sobrava. Mas eu já sabia que isso iria acontecer: só não queria admitir. O meu educador financeiro, Pedro Braggio, já havia me alertado sobre a frustração de não ver resultados imediatos.

Criei um blog (obrigadaestouapenasolhando.com) para contar sobre as descobertas, as dores e os aprendizados dia após dia, em contagem regressiva. As pessoas começaram a acompanhar e se identificar com o que eu estava passando: foi incrível! Recebi muitos feedbacks positivos, depoimentos, comecei a ouvir histórias de pessoas que, como eu, também exageravam nos gastos mensais. Aprendi junto com todos eles…

Mais de um ano já se passou desde o fim deste desafio que se encerrou em setembro se 2018. Hoje, continuo guardando dinheiro, investindo, mas, principalmente, controlando os gastos, fazendo planejamento e com apenas um cartão de crédito, o do banco. Cartões de loja? Nem pensar!

Foi um tempo de muita resiliência e aprendizado. Aprendi muito, pesquisei, ouvi conselhos de pessoas que sabiam muito mais do que eu nesta área. Mas, também dividi com as pessoas tudo que foi aprendendo ao longo dos 365 dias.

Hoje, acredito que o terapeuta e educador financeiro, Pedro Braggio, estaria orgulhoso de mim. E se eu posso, você também pode!”

Cuidado com a Black Friday, ou seria fraude?

Chegou, a data mais esperada do ano, a Black Friday. Uma tradição que vem dos Estados Unidos e que oferece super ofertas no dia seguinte ao feriado de Ação de Graças. Aqui, no Brasil, algumas lojas adequam a data de acordo com as formas de fazer promoção: Black Week, Black November e outras ainda mantém os descontos por todo o fim de semana.

Os números são expressivos: segundo levantamento realizado pela Ebit/Nielsen, as vendas da Black Friday em 2018 alcançaram R$ 2,6 bilhões, considerando apenas o e-commerce. No total, as cifras são ainda maiores. O grande atrativo para os consumidores são os descontos oferecidos, acompanhados das promessas dos melhores preços do ano.

Se essa é uma data tão positiva tanto para quem vende quanto para quem compra, por que todos os anos vemos tantos relatos de preços abusivos, ofertas falsas, golpes e fraudes? Justamente por ser uma data que atrai o consumidor, é comum que pessoas e marcas mal intencionadas se utilizem disso para enganá-lo. E há ainda outro problema: o descontrole nas compras podem gerar graves consequências para sua saúde financeira.

Mas não se preocupe, existem meios de sobreviver no azul e pode acreditar, você sabe muito bem disso:

  • Prefira os pagamentos à vista;
  • Cuidado com as compras por impulso;
  • Pesquise bastante para fugir dos preços abusivos, falsas promoções e juros exorbitantes;
  • Desconfie dos preços muito baixos;
  • Em compras on-line, avalie o valor dos fretes;

A Black Friday pode sim, ser uma ótima oportunidade para comprar o que você PRECISA com preços mais vantajosos. O segredo para fazer um bom negócio na Black Friday é comprar o que você realmente PRECISA  (olha a caixa alta aí de novo: pra ficar bem claro). Não perca o controle! Planeje suas compras e não se empolgue: não gaste mais do que o seu orçamento permite!

E que Deus possa NOS inspirar, abençoar, e segurar os nossos cartões dentro da carteira pra nos impedir de fazer escolhas erradas. 🙂 ❤

Melhor de tudo é poder escolher…

Sim, o melhor de tudo é poder escolher entre comprar e não comprar e chegar à conclusão de que não precisa gastar, pois não precisa de nada…

Com os aprendizados que vieram com o “Obrigada, estou apenas olhando”, a troca de experiências e os relatos das pessoas que nos seguem, fica muito mais fácil avaliar e entender que só precisamos agradecer.

Ontem, passei o dia em São Paulo, e posso dizer que oportunidades para gastar não faltaram hehehe Mas resisti a todas elas, primeiro porquê as roupas não serviram de pronto (todas as que experimentei teriam que ser ajustadas); segundo, porquê não encontrei realmente o que precisava (ou achava que precisava: eu estava procurando calça para academia) e terceiro, porquê não estava a fim de gastar: simples assim.

A gente não tem que gastar apenas porque outras pessoas do nosso grupo estão gastando. Sim, se você não está precisando de nada, não vá na onda. Não se deixe levar pelo momento.

Entramos em 3 lojas, a última tinha as roupas mais bonitas mas, infelizmente, a maioria das peças em tamanhos maiores que o meu. Uma pena, mas também uma providência divina para frear a vontade. Hehehe

Mas sabe o que eu fiz? Olhei as araras, experimentei as peças, desfilei pela loja, recebi elogios e me satisfiz com isso. Quando comentei com a dona da loja que cuidava da silhueta com alimentação e exercícios físicos, ela exclamou: “você está de dieta? Só se for dieta de engorda, né? Por que se você está em dieta, eu estou perdida” Hehehe (adorei o elogio).

Mas estou contando tudo isso pra vocês para lembrá-las de que vocês também podem resistir à tentação: basta se perguntar, como já ensinou o nosso educador e terapeuta financeiro, Pedro Braggio, “Eu quero, eu preciso ou estou surtando? Dependendo da sua resposta, você vai saber o que tem que fazer.

Que Deus continue abençoando sua vida com amor, respeito, saúde e prosperidade, inclusive, a financeira. 💰😉

Cuidado com gastos supérfluos

Gente, desculpe minha ausência no ‘Obrigada, estou apenas olhando’, sei que preciso ficar mais atenta a todos vocês. Tenho uma missão e peço desculpas por estar negligenciando com o meu compromisso de colocar todo mundo na linha. Assim, como fui colocada uma certa vez hehehe

Quando este desafio de ficar um ano sem compras estava para terminar,  me lembro que dividi com vocês o meu medo de voltar a gastar. a paranoia de ficar imaginando que iria, no dia seguinte, enfiar o pé na jaca e gastar tudinho no primeiro shopping que passasse pela frente.

Ledo engano. Estou aqui, alguns meses depois do término deste desafio, e de bem com a vida, com as minhas escolhas, com a minha receita mensal que chega até o fim do mês, com a reserva financeira que vai aumentando a cada dia. Mas precisamos conversar sobre gastos supérfluos. Sim, aqueles que a gente nem percebe que faz, mas que impactam fortemente no nosso dia a dia.

E pensando nisso, me lembrei de uma frase que li num dos autores que estudei durante a reeducação financeira, que a gente ‘tem que fazer o que é preciso até poder fazer o que quer” e o que isso significa? Que temos que fazer o que precisa ser feito (economizar, parar de gastar com bobagens, parar de parcelar compras, parar de comprar blusinhas, sapatos e bolsas) se quisermos comprar um carro, um apartamento ou fazer aquela viagem dos sonhos.

Já pensou nisso? O que você quer para o seu futuro? Como você se enxerga daqui a alguns anos? Quer ter uma casa própria, quer um carro novo, quer falar um outro idioma, quer viajar o mundo, quer estar casado (a)? Não importam os seus sonhos e nem como você está se imaginando no futuro, o importante é o que você está fazendo agora, no seu presente, para que o seu futuro se transforme.

Planejamento é o segredo para conquistar tudo que deseja. A partir do momento que definir o que você quer, trace o caminho até lá. Qual o seu sonho? Quanto precisa para realizá-lo? Em quanto tempo você consegue juntar a grana que precisa? Defina uma data para começar!

A partir daí, o tempo começa a correr e você terá que abrir mão de algumas coisas para atingir seu objetivo, como por exemplo, parar de gastar com supérfluos, avalie seus gastos, diminua suas despesas, planeje os aportes que fará mensalmente até chegar no montante que precisa. Faça o que precisa ser feito até conseguir fazer o que quiser! Você vai conseguir, eu tenho certeza!

Ah se eu não tivesse parado de guardar dinheiro… Hoje teria bem mais. Mas Deus sabe de todas as coisas e se não o fiz, era pra que hoje pudesse estar aqui dividindo com vocês todo esse aprendizado. Sejamos gratos. Faça uma oração e agradeça esse Deus que NOS ama e cuida de NÓS em todos os momentos. 😉

Consultoria express e a amiga fica feliz

Neste domingo, um bate-papo de 15 minutos, nem isso, deixou a amiga feliz e o “Obrigada, estou apenas olhando” mais ainda.

A conversa começou no hall da igreja Casa de Deus, pouco antes do culto Manhã com Deus. A Lidiane Andrade veio perguntar sobre o “Obrigada” e já emendou outra pergunta: como faço para economizar, tenho muitos sonhos e quero realizá-los.

Falei pra ela sobre o desafio de ficar um ano sem compras, sobre os aprendizados, as lições que ficaram e, principalmente, sobre o propósito de Deus na minha vida e com este blog: abençoar a vida daquele que precisam de orientação sobre finanças.

Em 15 minutos, expliquei para a Lidiane sobre:

– Guardar um valor mensal como se fosse uma conta a pagar, para manter a disciplina;

– Anotar as receitas e despesas da família e, principalmente, os gastos, todos eles, só assim a gente tem noção sobre os gastos supérfluos;

– Dividir o orçamento da família em 3 partes: 50% para despesas, 30% para compras e lazer, 20% para uma reserva financeira;

– Definir metas e traçar estratégias para chegar aos seus objetivos é a forma mais fácil de realizá-los .

Lidiane, querida, tudo é possível quando temos um propósito. Guardar dinheiro por guardar vai ficar mais difícil. Que Deus abençoe sua vida mais e mais com saúde e prosperidade.

Que Deus abençoe todos NÓS! Sempre em todo o momento e nos proteja das armadilhas das compras sem planejamento. Seja feliz! Seja em Deus! 😉

Por que ovos de páscoa são tão mais caros do que as barras?

Vou comer chocolates nesta Páscoa sem gastar um centavo! É sim, pode acreditar: ganhei um ovinho com sabor brigadeiro, uma caixa de bombons e várias barras de 100 gramas: quase um quilo de chocolate!! O que foi ótimo e, assim, não preciso gastar. Com o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ mudaram os costumes, os hábitos e também as prioridades. Amo chocolates, mas lamento, profundamente, os preços exorbitantes e fiquei me perguntando o por quê?

Qual será o motivo de um ovo de 200 gramas custar quase R$ 40,00 e uma barra de chocolate com o mesmo peso custa menos que R$ 5,00? As empresas se justificam alegando que o custo para produzir um ovo é muito maior do que as barras de chocolate. Estes custos aumentam ainda mais se levarmos em conta a embalagem com papel alumínio, fitas coloridas e até brindes (em alguns).

Você sabia que os ovos são fabricados entre setembro e outubro e ficam estocados em temperatura controlada e estável a 18° C por mais de 6 meses. A logística é muito grande, sem contar que os ovos também ocupam mais espaço que as barras de chocolate. Soma-se ainda a contratação de funcionários temporários, ou seja, fica mais caro mesmo. Não estou defendendo os preços dos ovos, estou apenas explicando o porque, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab) sobre e diferença enorme entre um e outro.

Se você ainda não comprou os ovos de Páscoa, pode fazê-lo entre hoje e amanhã e ainda aproveitar promoções, uma boa forma de economizar. Neste caso, deixar para a última hora pode ser uma boa opção. Mas se conseguir esperar até segunda-feira, acredito que os preços serão beeeeeeeem menores!

Estamos há dois dias da Páscoa. Tem gente que já viajou, tem gente que vai reunir a família para o almoço de domingo, tem gente que gostaria de ganhar um ovo Kit Kat como eu, mas não vai hehehe  Não importa o que você pretende fazer, o importante é planejar para não gastar além do necessário. E dá pra economizar sim!

Se a sua ideia é um almoço festivo de Páscoa, envolva toda a família para não gastar muito. Em tempos de WhatsApp, monte um grupo (depois exclui, as pessoas não aguentam mais grupos do WhatsApp hehehe) com todos que deverão comparecer e defina responsabilidades para cada um. Desta forma, cada um leva um prato, uma sobremesa, um peixe (não precisa ser bacalhau, por que nesta época fica bem caro), sucos e refrigerantes e não pesa pra ninguém e a comunhão em família vai ser mais divertida ainda. Eu garanto!

Sobre os chocolates, calma. Você tem várias opções:

1: Compre barras de chocolate: muitas! heheh Assim, você economiza e come até mais chocolate do que se fosse com o ovo. Use fitas coloridas para dar um charme a mais;

2:  Compre bombons sortidos. Para incrementar, compre saquinhos coloridos, fitas e faça pequenos presentinhos como lembrança para amigos e sobrinhos;

3: Opte por ovos caseiros: se você não tem talento para a culinária, compre os ovos caseiros. Você poderá ajudar um amigo a ganhar uma grana extra e ainda economiza, pois, os ovos caseiros são beeeem mais baratos que aqueles que estão pendurados nos supermercados.

4: Faça você mesma. Faça brigadeiros, coloque em potinhos com colher ou em caixinhas e presenteie com algo ainda mais especial, pois, foi você quem fez…

Mas, o mais importante de tudo isso, é que  a Páscoa vai muito além de chocolates e ovos… Todo mundo sabe que a Páscoa é um tempo lindo, momento de agradecer pelo amor e a misericórdia de Deus. É o momento de crer em Suas promessas: “Eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância” (João 10:10).

A Páscoa celebra o sacrifício de Jesus Cristo que morreu para nos salvar. Sim, a ressurreição de Jesus marca a sua vitória sobre a morte e o pecado: uma linda história de amor por todos os homens. Coma chocolate, mas lembre-se também de ir à igreja em respeito e em memória por TUDO que Jesus fez por nós! Seja em Deus! Seja feliz! Seja próspero! 😉

Ajudar o próximo, um legado de amor da minha mãe

Estamos vivendo tempos sombrios. Tragédias, descaso dos políticos que elegemos, de empresários gananciosos e falta de fiscalização das autoridades responsáveis. Mas podemos sempre encontrar algo bom em meio ao caos.

Isso aconteceu comigo ontem e agradeço imensamente a Deus me permitir aproveitar estas oportunidades e vivenciá-las ao máximo. Fui fazer exames médicos (aqueles das meninas hehe) mamografia e ultrassom de mama. E enquanto estive na clínica, fui abençoando todos os espaços, todas as salas de exames, não somente pra mim, mas para todos que por ali passassem, com o desejo de que recebessem boas notícias.  Esses exames são tão estressantes, deixam as pessoas preocupadas. Não queria angústia e ansiedade naquele ambiente.

Com meus exames está tudo bem, com a graça de Deus. Mas, quando cheguei em casa, Ele mostrou que esteve comigo o tempo todo. Estava trabalhando e ouvi alguém carpindo lá fora. Saí no portão e vi os colaboradores da prefeitura fazendo a limpeza da rua e estavam limpando até a minha calçada, cortando a grama que teima em crescer além do espaço destinado pra ela heheh

Eles não precisavam fazer aquilo, afinal, calçada é um espaço particular, mas estavam lá pra deixar a rua mais bonita. Perguntei se queriam água, o sol tava forte e em agradecimento recebi não um, mas três “Deus a abençoe”…

Voltei pra dentro de casa e fui trabalhar mais feliz. E fui assim até às 12h30, quando a barriga roncou de fome. Mal sabia eu que havia uma outra barriga roncando de fome  no portão da minha casa. Ele tocou a campanhia e pediu um prato de comida:

– Moça, eu trabalho nas ruas, catando latinhas e hoje o que recolhi não vai dar pra almoçar. Teria um pouco de arroz e feijão pra me arrumar?

– Eu ia esquentar a comida agora mesmo, se o senhor esperar, claro que arrumo. O senhor gosta de peixe? Hoje teremos peixe.

– Nossa, ô se gosto! (hehehe)

Esquentei a comida (que era de domingo) e quando abri a panela de arroz fiquei preocupada, imaginando se aquela comida daria para mim e pra ele. Arroz, feijão, tilápia grelhada e salada de tomate, água e banana pra ele. A comida deu, pra nós dois. E quando ele me chamou para devolver o prato, olhou bem nos meus olhos e disse: “Deus a abençoe e que Ele permita que nunca falte comida na sua mesa”.

Foi a resposta à minha preocupação de poucos minutos antes. “Será que a comida vai dar?” Sempre dá. Quando nos dispomos a ajudar, sempre dá.

Voltei pra dentro, chorando e agradecendo a Deus pela oportunidade de ajudar e me lembrei de uma passagem da Bíblia, quando Jesus fala sobre ajudar ao próximo. E agradece por lhe darem de comer, de vesti-lo e visitá-lo na prisão.

40 E respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que, quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes. Mateus 25: 40 

Minha mãe sempre ajudava as pessoas. Estava sempre disposta, se desdobrava e deixava de fazer o dela para fazer pelo outro. Que Deus permita que eu continue esse legado de amor, fé e esperança em dias melhores para todas as pessoas. Me lembro que quando alguém batia em nossa porta pedindo comida, ela sempre ajudava e se perguntava: ‘Com tantas casas na rua, as pessoas batem aqui?”. E eu sempre respondia: ‘Elas sabem que aqui vão encontrar o que precisam, mãe”. Não tinha essa percepção na época, mas hoje sei que era Deus orientando essas pessoas a baterem em nosso portão. E que bom que continuam batendo…

Vamos fazer o bem ao nosso próximo. Aos animais de rua (eles também são nosso próximo). Às vezes, um simples bom dia, pode fazer toda a diferença na vida de uma pessoa. Seja feliz e que Deus abençoe o seu dia e esteja com você o tempo todo. 😉 ❤

Aliado ou vilão: qual a sua relação com o cartão de crédito?

Quem se lembra quando quebrei os cartões de crédito? O primeiro da Renner foi quebrado no dia da entrevista para a TV TEC Jundiaí, a primeira emissora da minha cidade que quis ouvir a minha história com o intuito de inspirar mais pessoas. Foi muito legal.

O meu maior choque naquela época foi descobrir que cartão de loja também era considerado cartão de crédito. Tolinha eu heheh Naquela época tinha 3 cartões: Renner (quebrado em novembro de 2017) e Marisa (quebrado em dezembro de 2017). Só me sobrou o do banco que uso o mínimo possível. Pois é. Se você não tem controle ou como eu, está em recuperação heheh é melhor usar o mínimo possível.

Para quem não conhece essa história, só clicar aqui.

Você sabia que o cartão de crédito é uma das modalidades de pagamento mais queridas pelos brasileiros? De acordo com uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), 67% dos consumidores brasileiros utilizaram o cartão de crédito alguma vez em 2018. O grande problema constatado pelo levantamento é que o número de pessoas que não sabem como usar o cartão de crédito de maneira responsável é também bastante alto.

Aliado – Mas tem gente que usa o cartão de crédito para tudo. São aquelas pessoas controladas que sabem até onde podem gastar e ao invés de comprar no débito, pagam tudo apenas uma vez quando chega a fatura do cartão. Essas faturas giram em torno de R$ 3 a 10 mil, mas a pessoa que opta por jogar tudo no cartão de crédito não tem outros gastos, sabe que terá só esse.

Estas pessoas usam o cartão de crédito como grande aliado. E aproveitam, por exemplo, as milhagens, os programas de pontos que os cartões oferecem e acabam se beneficiando com seus próprios gastos.

Vilão  – Mas, nas mãos dos endividados, o cartão pode ser um grande vilão. A maior cilada é cartão de loja: os juros deste tipo de cartão é maior que o do banco. Alguns cartões podem chegar a 800% de juros, caso a pessoa não consiga pagar a fatura integralmente e entrar no rotativo. Enquanto que os cartões de banco giram em torno de 300%.

Três em cada dez consumidores que utilizam o cartão não fazem um controle dos gastos mensais, enquanto 33% acreditam que a forma de pagamento oferece o risco de perder o controle das compras e acabar se endividando. O mais alarmante é que três em cada dez não analisaram as tarifas e juros cobrados antes de adquirir o cartão de crédito.

Se você não quer abrir mão do cartão de crédito, o melhor a fazer é acompanhar seus gastos para não ter surpresas ou mini-infartos heheh cada vez que chegar a fatura do cartão. Siga as dicas abaixo para começar a se entender com esse pedacinho de plástico que pode fazer um estrago danado na sua vida financeira:

1. Cheque sua fatura frequentemente;

2. Cuidado com a anuidade;

3. Nunca faça parcelamentos e pagamentos mínimos;

4.Defina o limite do seu cartão;

5.Cuidado com as compras parceladas;

Em 2017, o governo instituiu uma mudança na cobrança do crédito rotativo. Atualmente, as dívidas do cartão de crédito não podem ficar rodando nessa modalidade de juros por mais de 30 dias e os bancos e operadoras são obrigados a oferecerem condições mais vantajosas para a quitação da dívida depois desse período. E, mesmo após a nova proposta, vale consultar outras modalidades de crédito, a fim de obter a melhor taxa.

“Não se endividarás” deveria ser um dos mandamentos de Deus. Mas já que o homem tem o livre arbítrio para fazer suas escolhas, espero que você escolha ser feliz e,  financeiramente falando, também! Monitore seus gastos e que Deus possa continuar te inspirando nas melhores e mais sadias escolhas. Tenha uma vida próspera! 😉

E na hora de comprar material escolar…

Outro gasto impossível de fugir, caso você tenha filhos na escola, é a compra de material escolar.  Gente, a regra do IPTU e IPVA também vale para este tipo de compra: você só vai conseguir economizar se pagar à vista. E como encontrar os melhores preços? Batendo perna ou usando o seu wi-fi (pra pesquisar on-line) e lendo as dicas do ‘Obrigada, estou apenas olhando” hehehe

Gente, uma coisa é fato: não é preciso ser pobre ou rico para economizar, guardar dinheiro ou pechinchar. Todo mundo pode e deve fazer isso. O que acontece é que aqueles que têm mais acesso às informações, conhecem as melhores oportunidades e sabem onde estão as ferramentas que podem trazer este tipo de vantagem que vai fazer uma diferença enorme no fim do mês, como aplicativos, descontos, oportunidades de compras coletivas, por exemplo.

Reúna outros pais da mesma classe dos seus filhos (oportunidade também para se aproximar das pessoas ao vivo e em cores, saia um pouco das redes sociais e viva suas amizades ao vivo) e montem um grupo de compra coletiva: divida tarefas entre os participantes como a pesquisa de preços em lojas e atacados e garanto que vão economizar muito!

Reaproveitar também é uma opção para o material escolar. Se a escola devolveu o que sobrou, faça uma triagem do que pode ser reaproveitado. Se a escola não devolveu e seu filho vai continuar estudando lá, reúna o grupo de pais e verifiquem com a diretoria se será possível utilizar o material remanescente do ano passado.

Algumas dicas que todo mundo sabe, mas na hora que precisa esquece. Não vou ensinar nada novo para vocês, apenas lembrá-los o que vocês já sabem:

1. Antes de comprar, avalie a lista: observe bem a lista de material escolar. Cuidado com as exigências abusivas. Confira se são solicitados itens de uso comum, como produtos de higiene e limpeza, ou itens usados na área administrativa. Para organizar-se melhor, procure classificar também os livros didáticos, os literários e os materiais de papelaria. Sempre que tiver dúvidas, questione a escola.

2. Pesquisar: é a palavra de ordem para conseguir bons preços e produtos de qualidade. Não compre na primeira loja. Não compre no dia em que está fazendo a pesquisa. Leve sempre papel, caneta ou o celular e vá anotando, fotografando tudo que você precisa comprar.

3. Reaproveite: não é vergonha nenhuma reaproveitar o que sobrou do ano passado. Veja lápis, canetas, papéis, cadernos, uniformes, mochilas… Acredito que uniformes não será possível reaproveitar, porque as crianças crescem e crescem numa velocidade que a gente não consegue acompanhar, não é mesmo? Mas outros itens tenho certeza de que é possível fazer um arranjo. Importante conversar com a criança também. Explicar pra ela os motivos de utilizar a mesma mochila do ano passado, por exemplo.

4. Organize um grupo de compra coletiva: reúna os pais de alunos da turma dos seus filhos e monte um grupo de compra coletiva. Aproveite para liderar o grupo e disseminar nos outros pais a ideia do consumo consciente. Esta dica está no post que escrevi há algum tempo sobre o Homem-Desconto. Depois de reunir os pais, busque as lojas que vendem no atacado. Como vocês vão comprar em grandes quantidades, alguns produtos mais simples, como lápis e canetas, podem sair com até 90% de desconto.

5. Esqueça os personagens: cadernos e mochilas de personagens de desenho animado ou super-heróis só vão complicar as suas compras. Os valores são absurdamente mais altos que aqueles sem o glamour dos personagens. Se optar por não comprar estes personalizados já vai conseguir economizar bastante..

6. Compre à vista: você já sabe que este é o nosso mantra, né? Sempre que possível, compre à vista. Se for parcelar, verifique se é o mesmo valor. Apenas pagando à vista você consegue negociar pedindo desconto. Peça, hein, ninguém vai lhe oferecer desconto por conta dos seus belos olhos azuis hehehe (os meus são castanhos, nessa eu já teria perdido heheh).

7. Livros? Tente trocar: outra opção com o grupo de pais é propor para a escola uma feira de livros. Assim você doa os do seu filho e tenta trocar pelos livros que ele vai usar este ano. Vá em grupo conversar com o diretor (a) da escola. Todo mundo vai sair ganhando, eu tenho certeza, você vai ver. Você, os outros pais e a escola que vai ser vista pelos pais como uma instituição que se preocupa com o consumo consciente e, ao mesmo tempo, é empática com as famílias de seus alunos.

Espero que estas dicas (que eu tenho certeza você já sabia) te ajudem nesta saga do material escolar. Ah, sobre as mensalidades, converse com o diretor, peça desconto, não aceite os valores como a última palavra. Se tiver mais de um filho na mesma escola, este desconto tem que ser maior. Repito, peça! Ninguém vai oferecer desconto pra você. Participe das reuniões escolares e fique atento às datas de concursos de bolsas. Normalmente, elas ocorrem em outubro para o próximo ano letivo. Participe da vida escolar do seu filho, tenho certeza que você só vai tirar proveito disso, em todos os sentidos.

Mesmo as compras necessárias precisam ser conscientes. Ajude os outros pais a enxergarem também. Vamos juntos disseminar estes conceitos e esta nova maneira de enxergar o consumo e a forma de nos relacionarmos com o dinheiro. Eu sei que você pode. Deus espera isso de nós: que façamos sempre o melhor, que busquemos a prosperidade em todos os sentidos e que ajudemos uns aos outros. Aproveite as dicas e seja feliz (gastando pouco)  😉

Não dá pra fugir. Impostos? Tem que pagar!

As pessoas se estressam para pagar os impostos. E sabe porquê? Por que elas não conseguem enxergar no dia a dia de suas cidades o dinheiro pago revertido em benefícios e serviços para o povo.

A minha cidade – Jundiaí/SP – é muito boa. Gosto muito de morar aqui e aproveito os serviços que o município oferece, os parques, os cursos gratuitos e, às vezes, o sistema de saúde, sem contar os investimentos em saneamento básico e a geração de empregos e oportunidades, ou seja, não tenho reclamações, graças a Deus né?

Não estou rasgando dinheiro, mas ao invés de reclamar por ter que pagar os impostos, agradeço a Deus pelo teto pra morar. Mude a perspectiva você também, talvez fique mais fácil: olhe em volta e veja as belezas da sua cidade, do seu bairro e, se as coisas não estiverem como deveriam, você tem todo o direito de ir até o vereador que recebeu seu voto ou à prefeitura e reclamar. Você tem direito: você paga pra ter esse direito. Então acompanhe, cobre, reivindique, faça valer os seus impostos.

Hoje paguei o IPVA à vista. Aproveitei o desconto oferecido e paguei com a minha reserva financeira. Sim, aquela acumulada ao longo de um ano sem compras. Optei por pagar este mês o IPVA porque o meu IPTU vence só em fevereiro). Ainda bem né? Um imposto por mês hehehe

Você sabia que 50% do seu IPVA volta para a prefeitura que tem que investir no sistema viário do município?

Pois é! Mais um motivo para pagar e depois ir lá e cobrar! Vamos exercer a nossa cidadania, meus amigos. Pagar impostos é um dever (tá eles não precisavam ser tão altos), mas é nosso direito exigir que esses impostos sejam bem investidos.

Vamos fazer de 2019 um ano maravilhoso, com cidadania, prosperidade financeira e muita fé em Deus, o arquiteto de tudo isso! 😏