Fomos citados em Portugal

Meu amigo e jornalista Eduardo Gregori mudou-se para Portugal o ano passado, de mala e cuia. E, como fiel seguidor do nosso “Obrigada, estou apenas olhando”, ele até já foi tema de um de nossos posts sobre as suas descobertas além mar…

No post “Aprendizado que vem do outro lado do Atlântico“, Eduardo me contou de como o blog o ajudou a desapegar de suas coisas antes da mudança e o quanto ele aprendeu com isso, valorizando o que realmente importa…

E agora ele retribui (não que precisasse retribuir) falando do nosso blog em seu programa “Eu Por aí” para seus seguidores portugueses e brasileiros também, porquê não? No programa, ele lembra das nossas dicas sobre comprar ou não um carro e sobre tudo que vem aprendendo nesta experiência em terras lusitanas.

Eduardo Gregori é meu amigo desde a época de faculdade. Estudamos jornalismo juntos. De lá para cá, um vem seguindo o outro e acompanhando seus progressos e sucessos, suas alegrias e vitórias e, mesmo à distância, chorando junto nos momentos tristes…

Fica aqui a gratidão pela nossa amizade e respeito mútuos. Se quiser ouvir o programa e passar a acompanhá-lo pelas redes, fiquem à vontade. Seus programas são divertidos e falam sobre Viagem e Turismo de Portugal e do Brasil. Aproveitem.

Que Deus nos permita viver e experimentar novas experiências, trocar gentilezas e fazer novos amigos. Beijos, Edu! 😉

 

Foi Deus que me fez puxar conversa com você!

A coisa mais difícil de nosso relacionamento com bancos é desabilitar algum serviço que eles tenham “gentilmente” nos oferecido. Com o “Obrigada, estou apenas olhando”, foi uma novela cancelar o título de capitalização, tá lembrado?

Ah, aproveitando se você tem um, melhor cancelar também: você está perdendo dinheiro. Mas, para entender melhor, clica aqui e descobre o motivo!

Voltando ao título deste post, essa semana fui ao banco e enquanto aguardava ser atendida por um dos gerentes, uma moça, senta-se ao meu lado e logo puxa conversa, reclamando justamente da relação com o banco.

“Aumentaram o limite do meu cheque especial e preciso cancelar”. Fiquei feliz por ela naquele momento, mostrava maturidade na atitude, mas depois fiquei preocupada com a próxima revelação: “Já estou usando esse novo limite, parcelei a fatura do cartão de crédito e estou com o nome ‘sujo’ por ficar devendo para outro banco”.

Aí pensei sobre a irresponsabilidade do banco em dar um cartão de crédito para uma pessoa que já estava negativada.

Tentei explicar – com todo o cuidado do mundo – que ela tinha que se controlar e gastar dentro do seu orçamento. Mas quando perguntei se ela sabia quanto gastava, a resposta foi negativa. “Mas meu marido sempre diz que compro muito”, revelou, envergonhada.

Se as pessoas estão percebendo, então deve ser verdade. Expliquei da importância de fazer um planejamento, de monitorar e controlar os gastos e, de repente, ela vira pra mim e diz: “você deveria dar aulas sobre isso!”

Foi o melhor elogio que poderia ter recebido. Contei pra ela sobre o meu desafio, sobre o “Obrigada, estou apenas olhando” e ela comentou: “Foi Deus que me fez puxar conversa com você”, sim, querida, foi mesmo!

Quando saí do banco, ela ainda conversava com o gerente e espero, do fundo do coração, que ela tenha conseguido resolver a sua situação. Orientei como ela deveria conversar com o gerente e tomara que tenha dado certo.

Pessoal, cuidado com o banco e os produtos que eles oferecem. E, lembre-se, o gerente é do banco e não seu! Ele sempre vai trabalhar para o que for melhor para o banco, fique atento e faça valer seus direitos.

Que Deus continue NOS orientando e inspirando a falar com as pessoas certas nos momentos cruciais da nossa vida e que possamos estar atentos para orientar, ouvir sem julgar e ajudar todos que precisarem! Seja feliz! 😉

Primeira compra (para pagar em novembro)

Não, gente, não parcelei no cartão de crédito, não! Fiquem tranquilas, mas fiz minha primeira compra! Aconselhada, elaborei uma lista das peças que preciso comprar por conta do desgaste de tempo e uso. E só vou comprar isso! Lingerie estava no topo! Comprei 6 novas calcinhas: dois pacotinhos de 3 calcinhas cada heheh

Como comprei da minha amiga (que pega em consignação na loja de lingerie), posso pagar até novembro. Ou seja, dá pra guardar R$ 35,00 este mês e R$ 35,00 em outubro e pagar os R$ 70,00 em novembro…  Estava precisando de calcinhas. Ela não tinha sutiã, quer dizer, tinha, mas fazia conjunto com um modelo de calcinha que não gosto muito, então… Não comprei!

Agora, preciso de pelo menos dois sutiãs bege (chocolate, avelã ou similares). Porquê 2? Porque enquanto lava um, veste o outro hehehe Estou pesquisando os preços. Por enquanto, a Riachuelo está ganhando nos valores! Marisa e Renner: muito caro! Tô fora!

Bege não é sexy?

Nós, mulheres, sabemos que a lingerie bege não é nada sexy. Mas é preciso que os homens entendam que a calcinha bege é um item indispensável no guarda-roupa feminino, assim como um par de meias pretas no guarda-roupa masculino.

Vale lembrar também que a gente não quer estar sexy 100% do tempo e quando o assunto é lingerie, conforto vem sempre em primeiro lugar! E, vocês homens, têm que entender que o conforto, muitas vezes, só vem na cor bege heheheh

Mas para convencê-los de uma vez por todas, o principal motivo das calcinhas beges serem dessa cor e de nós as incluirmos na gaveta de lingerie é porque o bege (ou chocolate, ou avelã, como as marcas chamam o tom que pode ser um pouco mais escuro) são os tons que não aparecem e nem marcam sob a roupa clara ou até mesmo escura. Então são usadas sob vestidos e blusas de tecidos finos ou claros.

Que Deus me ajude a não perder o controle nas compras! Que Ele continue NOS abençoando, protegendo, guardando TODOS os dias em TODOS os momentos. Seja feliz! 😉

 

A foto é de uma loja de lingerie… Quem dera ter um armário de lingerie desse jeito (arrumadinho) hehehe

Como eu era antes de você…

Amo este filme! Me lembro muito da minha mãe e isso não me entristece. Pelo contrário, me deixa em paz… Sempre choro, é claro, mas são lágrimas que lavam a alma e acalmam…

O desafio do “Obrigada, estou apenas olhando” acabou, mas, este talvez seria o título de um livro sobre esta experiência…

Como eu era antes de você… Eu era perdulária, sim! Confesso que sempre que passava no shopping para almoçar ou ir ao banco, saía com uma sacola…

O engraçado é que a sensação boa fica com a gente até chegar em casa… heheheh Depois vem a preocupação sobre como pagar e, algumas vezes, você olha para a sacola e de pergunta: porquê fiz isso?

Estou aqui lembrando de quando fazia isso… Realmente é como se passasse um filme pela minha cabeça. Lembro-me que eu NUNCA experimentava as roupas na loja… Talvez fosse para não mudar de ideia e, consequentemente, desistir da compra…

Eu gostava de comprar, do ato da compra, da sensação… E devo confessar que estou vivendo o “é agora?” E, se você está curiosa (o), fique tranquila (o)! Eu não fui às compras!

E não fui, não tive vontade, mas também tive medo… Medo de me descontrolar e, apesar de estar precisando de lingerie, vou esperar mais um pouco…

Esperar para entender todo esse turbilhão de sensações! E, com a graça de Deus, tudo vai se encaixando…. Como eu era antes de você, desafio? Não sei bem! Mas, agora, sou, divertidamente, uma mulher que para, pensa e consegue tomar a melhor decisão, graças a Deus! Seja feliz! Seja financeiramente, consciente! Sinta-se abençoado! 🙏🏻❤️😉

A foto do post mostra a alegria da personagem Louisa Clark ganhando seu presente de aniversário: as enigmáticas meias listradas! Ah as mulheres e sua paixão por roupas… hehehe

Ir além, com a graça de Deus…

Dia 365/365:

Cruzar a linha de chegada é um sentimento indescritível e fui comemorar aqui, no lugar onde tudo começou: a inspiração para o “Obrigada, estou apenas olhando” veio na igreja para impactar a vida das pessoas a partir do dom que Deus me deu.

Hoje o Brasil comemora a sua independência de Portugal e eu comemoro a minha independência financeira que traz tranquilidade, paz interior e um novo jeito de ver e encarar a vida!

Sim, como ela mudou! E não foi somente no quesito financeiro, mudou de um modo geral e acredito que o Espírito Santo de Deus é o responsável por toda essa transformação.

O que fazer agora? Ir além, com a certeza de que tenho um Deus que cuida, cura, liberta, abençoa, transforma e, acima de tudo, ama e NÃO ABANDONA.

Hoje, encerramos as postagens diárias no blog, com a contagem regressiva. Quem sabe começaremos outra em breve, para inspirar as pessoas e mostrar pra elas o quanto Deus é bom, justo e cuida dos mínimos detalhes.

Que tenhamos força para fazer o que é preciso para alcançar a transformação. Seja corajoso! Seja feliz! E que Deus o abençoe! 🙏🏻❤️😉

Compartilhe comida, roupas, orações…

Dia 364/365:

As lições que aprendemos com nossos pais e avós são para a vida, mesmo! Nossos queridos sabiam mesmo das coisas… E de vez em quando precisamos nos lembrar destes ensinamentos… E o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ vai ajudar nisso hoje…

Lembra quando íamos almoçar na casa dos avós no domingo e sempre levávamos uma marmitinha de comida? Pois é… isso é fantástico, faz a gente economizar e compartilhar. Compartilhar é o segredo desta lembrança. O ato de compartilhar demonstra carinho, atenção e preocupação de um lado, e de outro, o reconhecimento por aquilo que aquela pessoa fez… No meu caso, lembro que minha avó sempre fazia bolo e pães e no fim de tarde, quando saímos da escola, eu e minhas amigas passávamos lá pra tomar café, comer bolo… Ela ficava encantada…

Hoje fui almoçar na casa de uma senhora muito especial (ela surgiu na minha vida pouco depois de minha mãe partir e posso dizer que essa amizade e carinho mútuos me faz muito bem)… Levei os limões do meu quintal. Ela adora e sempre pede, dizendo: ‘na feira e no mercado tá muito caro. Tem limão na sua casa?’ hehehe

Voltei pra casa com uma marmitinha de carne com batata. Ela fez porque sabe que eu gosto. E a carne com batata que ela faz fica igualzinha da minha mãe… Aliás, carne com batata é uma receita de mãe mesmo não é?

Compartilhe! O que você tem no quintal? Frutas? Colha e divida com os vizinhos, amigos ou familiares. Vai fazer um bolo? Faça uma receita maior e leve um pedaço para a sua sogra, para os amigos do trabalho… Compartilhe roupas e calçados que estão parados no armário, mas que  estejam em bom estado para que outras pessoas possam usar. Compartilhe orações! Ore pelo seu irmão, pelos seus amigos, pelos seus familiares, pela conversão dos seus vizinhos e amigos… Ore pela prosperidade de todos! Ore por este país…

E que Deus continue abençoando as pessoas que entram em nossas vidas com muita saúde, paz, amor e disposição. Que Ele NOS proteja e NOS abençoe sempre! 😉

 

 

Continuar poupando, com certeza

Dia 363/365:

Digo sempre que aprendo todos os dias. E espero que vocês também: estar aberto para aprender é fundamental para crescer e evoluir… As pessoas que sabem deste propósito e acompanham o  ‘Obrigada, estou apenas olhando’, também sabem que ele está chegando ao fim. E a pergunta que vem é ‘e agora?’

Agora, vou continuar poupando, com certeza! Sempre que me encontro com um empresário jundiaiense do ramo imobiliário me surpreendo com sua serenidade com relação ao dinheiro e sua despreocupação com o tema.

Toda vez que nos encontramos ele, gentilmente, pergunta sobre o desafio, sobre as minhas economias e me pede dinheiro emprestado hahahah Eu? Emprestar dinheiro para o senhor? Não vou emprestar, quero ser sua sócia! heheheh Esta foi a última resposta que dei. Isso foi na semana passada e hoje ele se lembrou disso…

Como todo empresário bem-sucedido, ele está sempre vestido de maneira simples e não ostenta. Engraçado como as pessoas que SÃO não tem a necessidade de mostrar isso. Elas simplesmente são. E, por outro lado, como as pessoas que QUEREM SER exaltam a si próprias, ostentam e vivem uma vida fora do seu real padrão.

Este empresário é um exemplo de vida, de superação, de sucesso! Quem dera todos nós fôssemos assim –  simples  e de bem com a vida. Ele me lembra o criador do Facebook, Mark Zuckerberg, que está sempre com a mesma camiseta e calça jeans.

Fui pesquisar sobre esta maneira simples de viver a vida e descobri que empresários como Mark e Steve Jobs  são adeptos do ‘menos é mais’ em suas vidas.  Vestindo-se sempre da mesma forma, eles conseguem:

  • Gastar menos tempo e se poupam o estresse para se arrumar
  • Com menos roupas, mais qualidade em tecidos e padronagens
  • Transmitir estabilidade ao usar o mesmo estilo
  • Gastar menos com compras supérfluas de roupas que nem vai usar

Veja só que o estilo de Mark Zuckerberg, Steve Jobs e este empresário jundiaiense vai ao encontro da nossa ideia do Armário-Cápsula. Vamos fazer? Com o fim deste desafio na sexta-feira (7), vamos começar a falar disso. Que Deus continue NOS inspirando nestas ideias que edificam e promovem melhora em nossa qualidade de vida… Seja feliz 😉