Para conquistar o poder do dinheiro

Dia 309/365:

Por conta do “Obrigada, estou apenas olhando”, comecei a pesquisar livros que falem sobre educação financeira e, recentemente, participei do lançamento do livro do Tiago Brunet “O Maior poder do mundo”.

No livro, tem um capítulo com questionamentos sobre dinheiro. Não precisa responder pra mim, avalie e responda pra você mesmo (a):

1) Você tinha alguma resistência à teoria de que o dinheiro é um dos poderes que regem o mundo?

2) Se você entende a importância de ter recursos financeiros enquanto vivemos esta vida terrena, o que fará a partir de hoje para conquistar esse poder?

3) Os livros que você lê e as pessoas com as quais você convive são assertivos para a aquisição desse poder?

4) Em sua opinião, o que esse poder não consegue ou não pode comprar?

5) Vice já se deu conta de que quem tem o poder do dinheiro consegue potencializar tudo aquilo que for a a vida extraordinária?

6) Qual a criptonita do dinheiro?

Reflita sobre essas questões. Tenho certeza de que poderão ajudar você a mudar sua relação com o dinheiro. E que Deus abençoe NOSSAS reflexões e NOSSO modo de encarar a vida! Nada é para sempre e você pode pisar a sua forma de ver o mundo e encarar seus problemas. 😉

Não brigue por causa de dinheiro

Dia 308/365:

Cheguei a conclusão de que não é só política, religião e futebol que causam discórdia, brigas e desentendimentos. O dinheiro também. E para que você não sofra, o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ vai falar sobre isso.

Não só brigas entre marido e mulher, que fique bem claro. O dinheiro provoca guerras, crimes e, com a Lava Jato, estamos vendo que o dinheiro leva à cadeia. Mas não é o dinheiro que corrompe, pois ele é um papel. As pessoas é que se deixam corromper pela ganância e sensação de poder que o dinheiro oferece.

Pesquisas também mostram que a questão financeira é uma das principais causas de separação conjugal. Amizades, famílias, sociedades, empresas e até governos se desfazem por conta de discórdias ou má condução financeira. Por ele, o dinheiro, as pessoas rompem relações e ultrapassam limites e leis.

E diante de tantos pontos negativos, fica a dúvida: dinheiro é problema ou solução? Mas não dá pra responder com uma coisa ou outra. Dinheiro é neutro. Somos nós que atribuímos sentimentos e comportamentos ao lidar com ele. Dinheiro é apenas uma ferramenta de troca!

Já ouviu aquele ditado “Quando um não quer, dois não brigam?” Então isso significa que você pode evitar a briga? Sim! Como? Treinando! Sim, meus amigos, temos que treinar nosso cérebro a refletir sobre estas questões, valores morais e pessoais, reprogramando nossa mente ao sucesso financeiro e conquistas profissionais e pessoais, a partir de caminhos de harmonia e paz com você mesmo e com o próximo.

O processo de coaching pode ajudar nisso. Já falamos um pouco sobre isso quando conversamos com o nosso querido John Viudes. Falamos sobre transformação  e sobre ser feliz, inclusive, financeiramente falando.

Sobre o dinheiro, ele explica que com treinamento é possível reprogramar seu modelo mental. A pergunta é: o que você viu, ouviu e sentiu na sua infância que criou o modelo mental de dinheiro que você tem hoje? Talvez esteja aí o início de todo o estrago na sua vida.

Mas uma coisa é certa, dinheiro é importante e não conseguimos viver sem ele. Então é preciso encontrar um caminho. Se você já passou por isso ou percebe que pode estar passando por desentendimentos por causa da sua situação financeira, este é o primeiro passo: o de identificar que precisa de ajuda.

Fico aqui na torcida para que você encontre o melhor caminho: de sabedoria, de paz e tranquilidade para você, sua família e todos com os quais você convive, com a graça de Deus! 😉

Ter dívidas não é normal

Dia 307/365:

Dívidas e aperto financeiro já faz tão parte do seu dia a dia que você acabou se acostumando com essa situação? Sinto dizer, mas isso não é normal. E o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ vai te ajudar a entender o porquê.

Você pode até se esforçar, mas no fim do mês é sempre a mesma coisa: sem dinheiro para bancar pequenas compras e até para guardar?  Você precisa entender que as pequenas decisões de gastos supérfluos (e que muitas vezes você não pode bancar), recorrentes, acabam no fim do mês minando as suas finanças.

Cuidado com a forma com que lida com o dinheiro. Se as dívidas não acabam nunca é um indício de que você está gastando além do que pode. Organize-se para quitar todas as dívidas para só então voltar a comprar.

Dívida é toda conta que você deixou de pagar na data do vencimento. Se você recebe  no dia 15 e suas contas vencem dia 5, verifique a possibilidade de alterar a data do vencimento de cartão de crédito, água, luz, telefone. Coloque sempre uma semana após a data do seu pagamento. Vai ficar mais fácil acabar com o atraso nos pagamentos desta forma.

Acompanhar as finanças é olhar tanto para a fatura do cartão de crédito, quanto para o saldo da sua conta corrente TODA semana. Acompanhe seu orçamento e planejamento financeiro com a mesma periodicidade.

Escolha a melhor forma de controlar suas finanças (no caderninho, na planilha do computador, usando aplicativo, não importa). Não importa como, desde que faça! E a partir de todas as despesas anotadas, vá avaliando onde é possível economizar. Monitorando você também conseguirá, inclusive, visualizar quando estará livre das dívidas.

Monitorar vai te ajudar, por exemplo, a se disciplinar. Sempre que vir um saldo na conta, não pense em gastar. O monitoramento vai te ajudar a lembrar que você precisará daquele dinheiro para pagar uma conta alta (como aluguel, financiamento ou empréstimo).

Vai por mim que dá certo. Primeiro livre-se das dívidas, pague suas contas em dia e só depois volte a comprar hein. Dê um tempo das compras que garanto que você vai conseguir doar, dizimar e até ajudar outras pessoas. Deus vai se alegrar com sua atitude e sua maneira de tratar o dinheiro, com liberdade para fazer o que quiser, sem se endividar. 😉

Um pé rapado, sem eira nem beira

Dia 306/365:

E lá vem mais uma encomenda do Renato Xavier, um dos leitores mais assíduos do ‘Obrigada, estou apenas olhando’. Renato é da Epicentro Digital, uma empresa que oferece educação digital para adultos. Já fui lá fazer um curso sobre Facebook. Foi muito legal. Esta é a segunda encomenda que consigo atender. A primeira foi do porquê o porquinho ser usado como cofre. Tem mais uma, mas esta está dando um pouco mais de trabalho e revelo para vocês quando conseguir heheh

Hoje vamos falar de outras expressões da cultura brasileira usadas na época do Brasil Colônia e ainda são lembradas e utilizadas, como por exemplo, ‘pé rapado’ e ‘sem eira nem beira’.

Pra você ver que o bullying não vem de hoje, apesar de que naquela época não tinha um nome tão pomposo. As expressões separavam, claramente, os ricos, aqueles que tinham dinheiro, posses e andavam pelas vilas em cavalos e carruagens; e os sem-dinheiro, os pobres, que andavam a pé.

Naquela época, as ruas de terra batida ou deixavam roupas e sapatos empoeirados (em tempos de seca) ou enlameados (em tempos de chuva). Por não ter condições financeiras, cavalos, carruagens ou liteiras para se locomover, os mais pobres estavam com os sapatos sempre sujos. Por isso, era costume ter que limpar os pés na entrada das casas e prédios públicos antes de entrar. Na frente deles havia esta ferramenta que trago na imagem deste post.

Lembro que minha mãe me contou uma vez que foi a pé para a igreja (era sua primeira comunhão) levando o vestido para vestir quando lá chegasse. Caminhavam muitos quilômetros para chegar aos seus destinos e, quando chegou na igreja, com os pés sujos, lavou-os antes de calçar os sapatos brancos para participar do evento católico.

Embora o apetrecho para limpar os pés não sejam mais utilizados a expressão continua firme e forte. Fulano é um pé rapado, ou seja, não tem dinheiro ou está mal financeiramente. Outra variação desta expressão é ‘pé-rachado’ , usada também para designar pessoas da roça, do campo e de origem humilde.

Sem eira nem beira

“Sem eira nem beira” é outra expressão que tem a ver com as condições financeiras de uma pessoa. Dizer que uma pessoa não tem eira nem beira é o mesmo que dizer que ela ‘não tem onde cair morto’, outra expressão ligada às finanças. As expressões e mais bullying vieram de Portugal, num navio hehehe

A palavra eira vem do latim “area”, significando um espaço de terra batida, lajeada ou cimentada, próximo às casas, nas aldeias portuguesas, onde se malhavam, trilhavam, limpavam e secavam cereais. Depois da colheita, os cereais ficavam ao ar livre e ao sol, a fim de serem preparados para a alimentação ou para serem armazenados. Assim, quem  possuísse uma eira era proprietário e produtor, com terras, casa e bens, ou seja, tinha riqueza, poder e status social.

Já a beira é a aba da casa, aquela extensão do telhado que serve para proteger da chuva. Quem não tem eira nem beira não tem uma casa para morar. Hoje em dia seria o morador de rua, que vive em extrema pobreza às margens das cidades e estradas aguardando por dias e melhores condições para si mesmo e suas famílias. Esperando um governo que olhe por ele.

Não pratique bullying hein… As expressões são pejorativas para designar as condições financeiras de alguém a partir de seu aspecto visual. Acredito que muitos ‘pé-rapados, sem eira nem beira’ eram mais felizes e tranquilos do que muitos abastados. Não podemos tratar diferente uma pessoa pela sujeira de seus sapatos ou da barra de suas calças, pois, Deus cuida e trata a todos com igualdade. Se Ele é assim, quem somos nós para fazer diferente? Que possamos ver beleza e tratar as pessoas pelo que elas são e não pelo que tem ou não tem. 😉

Apenas 1 segundo

Dia 305/365:

Faltam dois meses para o fim deste desafio e tudo, com o “Obrigada, estou apenas olhando”, vem acontecendo conforme planejado, com a graça de Deus!

Mas você pode começar hoje! A sua mudança pode começar agora! Você sabia que basta apenas um segundo para mudar sua vida, seus hábitos e suas finanças?

Sim! Apenas um segundo! Milagre? Não! Eu explico!

Apenas 1 segundo é o tempo que demora para você tomar a DECISÃO de mudar qualquer coisa na sua vida que te incomode. Qualquer coisa? Sim! Qualquer coisa mesmo:

– Academia

– Emagrecer

– Guardar dinheiro

– Aprender um idioma

– Mudar de emprego

– Converter-se

Essas e tantas outras decisões que você pode tomar em apenas um segundo. É no momento de decisão que o seu destino é traçado!

Tudo começa com a sua decisão. Apenas um segundo para você decidir caminhar na direção daquilo que você quer para a sua vida!

Que tal agora? Peça inspiração de Deus. Ele vai te orientar para o seu melhor momento. Aconteceu assim comigo e posso dizer? Foi a melhor decisão que tomei na vida! Acredite, Ele está apenas esperando você buscá-lo para te inspirar a mudar a sua vida! Coloque Deus nos seus planos e desfrute de tudo de bom que vem depois! 😉

Quer que o sucesso sorria para você?

Dia 304/365:

Hoje li uma frase que rendeu inspiração para este post. O “Obrigada, estou apenas olhando” quer falar sobre sucesso e desculpas.

“O sucesso sorrirá para você quando seus sonhos forem maior que as desculpas que você inventa”. Não sei quem disse isso, ou quem foi a primeira pessoa a dizer isso, mas pouco importa, não é mesmo?

O importante é que é verdade! Quais desculpas você está usando para não botar as suas finanças em dia? Quais desculpas você continua dizendo pra si mesma (o) para não guardar dinheiro?

Ganha pouco, não sobra pra guardar? Mas aí é que está a questão, você não tem que guardar o que sobra, mas incluir o hábito de guardar dinheiro no seu planejamento.

Quando eu comecei esse desafio, já tinha vivido a experiência de guardar dinheiro para comprar um carro à vista! E consegui! Nós podemos qualquer coisa! Nós temos poder, força e determinação suficientes para realizar todos os nossos sonhos! Qual é o seu?

No início, meu plano era ter dinheiro para dar entrada em um apartamento ou fazer uma viagem internacional. Hoje não sei mais… Minha vida mudou tanto de lá para cá, que já não penso mais nisso.

Quer que o sucesso sorria para você? Faça acontecer! Mude sua vida e seus hábitos e seja feliz! Coloque em prática o que vem aprendendo, trabalhe com determinação e o sucesso vem!

Quais serão meus próximos passos, ainda não sei… Mas Deus vai revelar, disso eu tenho certeza. 😉

Compras da semana com economia

Dia 303/365:

Faz três semanas que venho economizando nas compras do supermercado. Demorei para comentar com vocês porque queria ter certeza de que daria certo! O “Obrigada, estou apenas olhando” quer saber: com que frequência você vai ao supermercado?

Todo dia? Hehehe Brincadeira! Nas últimas três semanas fui apenas duas vezes. E consegui reduzir em 50% os gastos no supermercado por conta das mudanças que fiz.

Frutas, verduras e legumes agora só na feira! Sim, feira livre é tudo de bom. E mesmo lá tem que pesquisar, pechinchar e andar de barraca em barraca. Os preços e a qualidade dos produtos variam há poucos metros de distância.

Com R$32,00 consegui trazer as frutas, verduras e legumes para a semana toda! Gosto muito de frutas: nos lanches da manhã e da tarde e, às vezes, também elas substituem o jantar! SEM leite condensado, hein, gente! Hehehe

Mas precisei comprar macarrão, leite, bolachas e queijo (este último estava mais barato no supermercado do que na feira). No supermercado, busque sempre as marcas que estão na parte de baixo das prateleiras: normalmente, os preços dos produtos estão mais baixos do que aqueles que estão na altura dos olhos.

A gente sabe de todas essas coisas. Mas deixa pra lá por conta da correria do dia a dia: entrar e sair do supermercado com pressa resulta em compras sem pesquisa.

Mas, independente do que comprei na feira e no mercado, as compras vêm ficando 50% mais baratas nas últimas três semanas. E o melhor, na feira, a gente leva dinheiro né? É só compra enquanto tem dinheiro! Heheheh

Hoje fui numa feira em outro bairro. O mais engraçado das feiras são os maridos andando atrás das mulheres carregando as sacolas de um lado para o outro, enquanto elas pesquisam, pechincham e fazem suas escolhas.

Muita gente comendo pastel também. Pastel é tudo de bom, né gente? Só o cabelo que fica com aquele cheiro de óleo hehehe

Mas vamos seguir economizando, poupando e fazendo o dinheiro render. Hoje perdi o cartão do banco. Fiquei chateada. Não por ter perdido (esqueci no caixa eletrônico), mas pelo fato da pessoa que o encontrou não ter tido a decência de deixá-lo lá)!

Que Deus perdoe essa pessoa e continue NOS inspirando e protegendo em todos os momentos, sob todos os aspectos! Ele é grande e quer cuidar de você também. 😉

Foto da PMJ