Quer aprender sobre educação financeira? Agora é a hora

Dia 251/365:

Começou dia 14 e vai até dia 20 de maio a 5ª Semana de Educação Financeira, uma iniciativa promovida anualmente pelo Comitê Nacional de Educação Financeira (Conef) e o “Obrigada, estou apenas olhando’ vai explicar tudinho pra vocês.

É uma ótima oportunidade para aprender de graça, de forma on-line ou presencial sobre educação financeira. O Comitê organizou diversos eventos no país todo com o propósito de transformar, melhorar, e promover o bem-estar financeiro da população brasileira.

Várias ações estão sendo implementadas ao longo da semana por vários parceiros credenciados (vou me informar para participar da 6ª semana em 2019, como parceiro credenciado… uhulll).

Entra no site da Semana e vai pesquisar: tem várias ações on-line: vídeos no Youtube, cartilhas, e-Books, sem contar as palestras presenciais. Aproveite esta oportunidade. Já baixei várias cartilhas com muita informação sobre o assunto. Entra no site, procura entre os materiais, as melhores soluções para a sua vida financeira: tenho certeza de que você vai encontrar o que precisa!

Vou começar a ler e depois conto pra vocês.  Que Deus continue NOS orientando para todas estas boas oportunidades da vida!  😉

“Não sei ganhar dinheiro”

Dia 250/365:

Se você vira e mexe pensa nisso, fique tranquila, você não é a única. E para resolver esta situação, o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ tem uma dica muito legal para mulheres empreendedoras, mães, para ser mais precisa.

Aproveitando o mês de maio, data propícia para homenagear todas as mamães, conversamos com a Bru dos Santos, da empresa Marketing de Mãe para Mãe, onde ela é sócia da Telma Morassutti. A Bru é ótima e deu várias dicas para as mamães (de qualquer idade) que querem empreender.

Segundo ela, as mulheres enfrentam um dilema quando se tornam mães. “Imagine uma mulher que trabalhou fora a vida inteira e, depois que se afasta para a licença maternidade, não consegue mais voltar ao mercado de trabalho”, pondera.

Deixa eu abrir um parênteses aqui… heheh Não sou mãe, mas imagino o quão deve ser difícil depois da convivência diária com o bebê, durante a licença maternidade, deixá-lo numa creche ou contratar alguém para cuidar ou ainda deixar com parentes. Deve ser doloroso e a Bru concorda comigo. Sua experiência mostra que as mães encontram no empreendimento materno a saída para trabalhar e, o melhor,  continuar convivendo com seu bebê.

E tudo começa, segundo a Bru, identificando o que gosta de fazer. “Normalmente começa com um hobby. Elas identificam algo de gostam de fazer como fotografia, culinária, moda”, explica. “Mas só a paixão por fazer algo não traz resultado, é preciso se capacitar”, alerta. “Para transformar uma paixão num empreendimento que traga resultados financeiros é preciso buscar ajuda: as mães que deslancham mais rápido é porque entendem que têm que buscar ajuda especializada”, aconselha.

Elas têm uma ferramenta chamada Ponto Doce que ajuda as mulheres a descobrirem uma vocação, uma paixão e transformar isso num negócio. “Usamos o Ponto Doce para aquelas mães que chegam até a gente e não sabem por onde começar. Os resultados desta ferramenta nos dão o norte: conseguimos extrair o que ela gosta de fazer, como ela pode fazer acontecer e até a demanda de mercado para o negócio, explica. “Temos muitos casos de sucesso”, comemora.

A Bru tem dois filhos, o Theo, de 9 meses, e a Nicole, de 7 anos. Ela conheceu a Telma há dois anos, quando decidiu deixar de lado uma loja de artesanato que havia montado aos 20 anos e dar uma guinada na vida. “Procurei a Telma que já trabalhava com mentoria e empreendedorismo materno. No terceiro dia de mentoria, ela me convidou para ser sócia deste projeto: começamos a divulgar e o negócio deslanchou”, lembra. “No primeiro mês já começamos a tirar nosso pró-labore que sai, religiosamente”, destaca

Mães queridas que seguem o “Obrigada, estou apenas olhando” se você está se vivendo num mato sem cachorro, está na hora de despertar a empreendedora que existe em você. Se a Bru com dois filhos pequenos consegue ser esse sucesso (já acessou a página delas?), vocês também conseguirão. Sigam elas no Instagram também: @marketingdemaeparamae. Lá tem várias dicas de graça (o que é melhor) para você começar um negócio.

Ela listou 5 ideias de “por onde começar”. Então, pare de choramingar e bora empreender:

Artesanato: vejo muitas mães fazendo dinheiro nessa atividade. Muitas mulheres ainda consideram o artesanato como hobby e acabam não enxergando como potencial empreendimento.

Papelaria Personalizada: normalmente as mães viram decoradoras de festas infantis com a chegada dos filhos, é um mercado que está em alta e tem demanda o ano todo.

Assistente Virtual: pra quem gosta e vive conectada e ligada em tecnologia e tem habilidade com computador, vejo esse mercado com um potencial gigantesco começando a crescer. Ela pode, inclusive, oferecer esses serviços para outras empreendedoras.

Consultora de Beleza: uma ótima opção pra mãe que já é vaidosa iniciar nessa empreitada, existem várias empresas no mercado que estão sempre em busca de revendedoras.

Fotógrafa: como já falei, mãe é multifunção, e se é uma mãe que gosta de detalhes, é perfeccionista e gosta de registrar momentos, olha a oportunidade batendo na porta!

Gostaram? Espero que sim… Mais homenagens para o Dia das Mães, mas agora, uma homenagem com efeito prático: você lê, incorpora, aproveita as ideias e já sai colocando em prática. E que Deus abençoe suas ideias e projetos, pois, com Ele fica tudo mais fácil. Tenho certeza de que a partir deste post a sua vida vai mudar! Seja feliz! Seja em Deus 😉

Na foto, a Bru na frente do computador (claro), mas com as crias sempre por perto. Se ela pode, você também!  😉

Não empreste seu nome. Ele é seu bem mais precioso

Dia 249/365:

Espero que o Dia das Mães de todos tenha sido muito especial. O meu foi: passei na companhia de pessoas que amo e quase não fiquei triste, elas fizeram de tudo para não deixar…  Mas foi impossível não se lembrar da minha, falo dela todos os dias, não tem como…  Mas como sei que ela está na Glória de Deus, isso me conforta. Muito!

Mas hoje, voltamos ao nosso dia a dia de números, contas, listas, pagamentos, despesas, receita… hehehe Sim, todo dia é dia, não dá pra escapar disso. E como a gente vem falando sobre a importância de SER para TER (sempre com planejamento), está na hora de falarmos sobre o seu legado.

Sim, o seu nome é o seu maior legado, é o seu bem mais precioso. E o ‘Obrigada, estou apenas olhando descobriu que 11,2% dos consumidores com o nome sujo emprestaram seu nome para alguém que não honrou com os compromissos e, mais ainda, não honrou o seu nome. A situação piora quando 1/3 deste percentual sequer sabia o valor da compra que seria feita.

O problema é que emprestar o seu nome envolve pessoas próximas – parentes, amigos colegas de trabalho, familiares – ou seja, você faz com a intenção de ajudar e o outro acaba atrapalhando sua vida financeira.

4 motivos para não emprestar seu nome a terceiros

1)  Seu nome é seu bem mais precioso

2)  Se ele não pagar, você herdará a dívida da pessoa

3) Já pensou que pode abalar um relacionamento de anos?

4) Você tem o direito de se recusar a emprestar seu nome!

4 – Você tem todo o direito de se recusar a emprestar seu nome!

Decisões financeiras precisam ser tomadas de forma racional, não deixe as emoções interferirem.  Pense bastante antes de fazer isso, se possível avalie os prós e os contras, sem a presença da pessoa que te pediu a ajuda. A carinha dela, lágrimas e uma história triste podem comprometer o seu julgamento.

O melhor seria orientar a pessoa a procurar ajuda de um profissional. E, ao invés de emprestar o seu nome, coloque-se à disposição para ajudá-la a encontrar outras formas de conseguir dinheiro. Seja educado e compreensivo, mas diga não.

Deus não quer que soframos, da mesma forma com que não quer que sejamos enganados. Mas ele nos dá o livre arbítrio: são seus ensinamentos que vão nos orientar sobre o que está certo ou errado e cabe a cada um escolher o que fazer, que caminho tomar, diante de cada situação. Que Ele continue NOS abençoando e NOS protegendo em todos os momentos. 😉

Dia de comemorações e homenagens

Dia 248/365:

Hoje não é dia de aprendizado. É dia de aproveitar, dia de comemorar e homenagear.

Aproveite o Dia das Mães e mais do que presentes para sua mãezinha, esteja presente por ela! Desculpem a overdose de minha mãezinha estes dias: mas é tão bom ver nossas fotos juntas…

Seja feliz e que Deus abençoe todas as mãezinhas! ❤

 

Mães, não criem filhos consumistas

Dia 247/365:

Às vésperas do Dia das Mães, o recado é pra elas! Vocês sabem a importância a figura materna tem para o NOSSO ‘Obrigada, estou apenas olhando’ não sabem?

Mesmo sem querer, minha mãe me orientou e influenciou a ser consumista. Já contei aqui. Lembra que ela dizia que eu poderia gastar, pois, trabalhava e merecia comprar roupas, bolsas e sapatos? hehehe Pois é, deu no que deu hehehe

Hoje consigo até rir da situação, mas desconstruir essa influência me custou caro (desculpe o trocadilho). E aí você pode estar pensando, como faço isso? Você que é mãe, você que quer ser mãe… Todo cuidado é pouco, afinal, você é responsável pela formação de um ser humano…

As crianças aprendem muito pelo exemplo e isso, mamãe, você já sabia né? Então, cuidado ao reclamar que não tem dinheiro, mas aparece com sacolas de roupas ou, ainda, compra produtos supérfluos na frente dos filhos: eles estão vendo você parcelar as compras, combinando o uso do cheque e cartão de crédito só para levar a blusa que tanto gostou. Cuidado!

Para a criança, você está passando uma mensagem de que, mesmo sem dinheiro é possível comprar. E quando ela quiser algo que você não pode pagar, ela vai dizer: ‘passa o cartão’. Regras e limites servem tanto para os filhos, quanto para vocês. E ensinar isso não se faz apenas com palavras, mas especialmente com atitudes e exemplos.

  • Diferencie o que é necessário, supérfluo e desperdício;
  • Não exclua as crianças das finanças da casa;
  • Diga ‘não’;
  • TV, diversão, celular: fique de olho;
  • Decida os limites de forma conjunta;
  • Entenda a realidade dos filhos adolescentes, mas deixe claro seus valores;
  • Não dê a ele tudo que você não teve;
  • Cuidado com suas palavras e atitudes na frente dos filhos

Não, não sou mãe. Mas sou filha e sofri as consequências de palavras mal colocadas  por ela ou mal interpretadas por mim… Mas até os erros serviram para eu entender o poder da palavra, das atitudes e dos exemplos.  Que Deus NOS ajude a continuar o caminho do bem (eu sem minha mãezinha) e vocês aprendendo, ensinando e dando o exemplo. Que Ele possa abençoar todas as mães e guardar em sua Glória as que já se foram…

Saudades, mãezinha ❤

Seja autêntico e faça o que te dá prazer

Dia 246/365:

“Valorize as suas preferências, seu caráter e o seu talento. Seja você mesma, não sofra, faça aquilo que lhe confere autenticidade”, ouvi isso hoje e caiu como uma luva, foi libertador. E o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ precisa falar sobre isso hoje. Quantas vezes nos perdemos no curso da vida porque nos afastamos da nossa essência, daquilo que acreditamos ou até porque, simplesmente, deixamos de nos valorizar?

Você já pensou que as ‘mentiras mais devastadoras para a nossa autoestima não são as que contamos, mas as que vivemos’? Nathaniel Branden, Ph.D em Psicologia foi muito feliz com esta análise, não? Quando a nossa experiência e a essência daquilo que somos é distorcida, vivemos aquilo que podemos denominar como mentira, ilusão, engano, fantasia ou até falta de integridade.

Ser autêntico, íntegro, legítimo, verdadeiro, sincero exige que você faça e viva aquilo que acredita e não aquilo que lhe é imposto. Agir diferente do que a sua consciência manda, deixar-se influenciar pelo comportamento alheio, abrir mão de suas convicções para ser aceito em determinado grupo, viver uma vida que não é sua, ostentar uma situação incompatível com a sua realidade profissional ou financeira… Tudo isso te afasta da sua autenticidade.

Por isso, afaste-se de tudo que possa te levar para longe da sua essência. Seja autêntico para valorizar a si mesmo e ser mais autoconfiante. Você não precisa viver aquilo que não acredita, não confia ou não admira. Não deixe a vida passar fazendo coisas que não gosta, comendo coisas que não gosta (só para impressionar), vestindo roupas que não tenham a ver com o seu estilo (só para ser aceito), usando um palavreado que não é seu (só para ser admirado). Seja você mesmo. Doa a quem doer, pois, da sua dor de viver uma mentira, só você sabe, só você sente e só você é capaz de aplacar.

Hoje assisti o filme Paulo, apóstolo de Cristo. Uma verdadeira aula sobre o cristianismo. Uma figura emblemática, que viveu conforme acreditava. Mudou sua vida por conta do encontro que teve com o próprio Cristo, se arrependeu, se converteu, se transformou, mas manteve sua autenticidade. A mesma força e determinação com que perseguia os cristãos, usou para proclamar o Evangelho de Jesus. Ele mudou suas convicções, mas não perdeu sua essência. Saí do filme chorando e quando começaram a subir os créditos, ouvi uma senhora que disse, ao mesmo tempo que eu, Glória a Deus.

Sim, meus queridos, Glória a Deus, por este post, por este insight, por essas ideias que me veem à cabeça, pela oportunidade de compartilhar isso com vocês, pelo desejo de ser melhor a cada dia. Obrigada, Senhor Deus, por ser tão bom pra NÓS. Seja feliz! 😉

Na foto, sou eu, feliz da vida, com os cabelos bagunçados e que incomodam tanta gente, mas que fazem parte da minha essência e dos quais tenho muito orgulho… heheheh

 

 

É possível parcelar sua dívida do cartão com juros mais baixos

Dia 245/365:

Depois de falar tanto sobre cartão de crédito esta semana, o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ quer ajudar você a parcelar suas dívidas do cartão com juros mais baixos do que as opções oferecidas pelo gerente do seu banco.  Sim, é possível!

Por ser popular, o cartão de crédito é uma das modalidades mais usadas pelos consumidores para parcelar suas compras. O perigo está no limite. Quanto mais você usa o cartão, mais limite o banco vai oferecer, enrolando as pessoas cada vez mais. Dependendo do dia da compra, é possível ter até 40 dias para começar a pagar. A promessa é fantástica, mas TEM que pagar!

E com tantas facilidades, é melhor usar com sabedoria, não? Os juros rotativos podem chegar até 340% ao ano. Então, é melhor tomar cuidado ao resolver utilizar esta modalidade de crédito. É muito fácil se enrolar. Basta pagar uma vez o valor mínimo da fatura para perder o controle de tudo.

E para aquela pessoas que já estão enroladas com as faturas do cartão, nosso conselho é: encontre uma forma de negociar sua dívida, antes que seja tarde demais. O banco da sua conta vai te oferecer empréstimo com juros altíssimos. Melhor encontrar outras linhas de crédito mais baratas:

– Analise a fatura e descubra quanto a empresa emissora do seu cartão está cobrando de juros na opção de pagamento parcelado;

– Você sabia que pode fazer a portabilidade da sua dívida? Sim, pode manter o pagamento parcelado em outra instituição que te ofereça juros mais baixos.  Quando o cliente faz a portabilidade da dívida, o novo banco quita o valor com o banco anterior e tem início uma nova dívida. Por isso, pesquise as instituições que ofereçam taxas mais baixas para, por exemplo, fazer um empréstimo para quitar a sua dívida;

– Empréstimo pessoal x crédito consignado: você sabe a diferença? O empréstimo pessoal é mais fácil de tomar, geralmente, há um limite pré-aprovado para cada correntista do banco. Suas taxas são menores do que as do cartão. Segundo o Banco Central, rodam em torno de 126% ao ano. Já o crédito consignado tem desconto em folha de pagamento, ou seja, diretamente no holerite. O consignado tem uma taxa bem menor 26% ao ano, pois o banco tem uma segurança maior de que você vai pagar sua dívida.

– E na hora de negociar a sua dívida, pechinche com o banco!  Converse com seu gerente e mostre a ele que você sabe que outros bancos oferecem taxas menores e que está disposto a ir até eles para negociar (não custa tentar, né?) Dependendo do tempo que você tem a conta no banco, pode ser que esta tática funcione hehehe

–  Informe-se não apenas sobre o valor da parcela que será paga mensalmente – questione o gerente sobre a taxa de juros mensal e anual que a dívida significa. Não aceite uma parcela maior do que a que pode pagar por mês, pois isso, apenas lhe deixará sem credibilidade para novas negociações, caso você não consiga pagar a parcela no mês seguinte. Se nenhuma das opções oferecidas pelo banco couberem em seu orçamento, a dica é procurar em outra instituição mesmo;

–  Cuidado com o período em que estiver quitando sua dívida: não assuma novas responsabilidades. O ideal seria me seguir no propósito sem compras heheh ou se não der, aposente o seu cartão pelo período que durar o parcelamento da dívida ou até que retome o controle da sua vida financeira. Melhor não correr riscos.

Fácil não é, mas também não é impossível! Você vai conseguir: seja honesto e sincero com o gerente do banco. Fale a verdade, não minta sobre suas possibilidades e, principalmente, não minta para você (e nem pra Deus). Converse com Ele, mostre a sua disposição em resolver, com sinceridade no coração, a sua situação e tenho certeza de que Ele vai te ajudar. Vai te abençoar, assim como tem NOS abençoado esse tempo todo em que estamos juntos. 😉