Aliado ou vilão: qual a sua relação com o cartão de crédito?

Quem se lembra quando quebrei os cartões de crédito? O primeiro da Renner foi quebrado no dia da entrevista para a TV TEC Jundiaí, a primeira emissora da minha cidade que quis ouvir a minha história com o intuito de inspirar mais pessoas. Foi muito legal.

O meu maior choque naquela época foi descobrir que cartão de loja também era considerado cartão de crédito. Tolinha eu heheh Naquela época tinha 3 cartões: Renner (quebrado em novembro de 2017) e Marisa (quebrado em dezembro de 2017). Só me sobrou o do banco que uso o mínimo possível. Pois é. Se você não tem controle ou como eu, está em recuperação heheh é melhor usar o mínimo possível.

Para quem não conhece essa história, só clicar aqui.

Você sabia que o cartão de crédito é uma das modalidades de pagamento mais queridas pelos brasileiros? De acordo com uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), 67% dos consumidores brasileiros utilizaram o cartão de crédito alguma vez em 2018. O grande problema constatado pelo levantamento é que o número de pessoas que não sabem como usar o cartão de crédito de maneira responsável é também bastante alto.

Aliado – Mas tem gente que usa o cartão de crédito para tudo. São aquelas pessoas controladas que sabem até onde podem gastar e ao invés de comprar no débito, pagam tudo apenas uma vez quando chega a fatura do cartão. Essas faturas giram em torno de R$ 3 a 10 mil, mas a pessoa que opta por jogar tudo no cartão de crédito não tem outros gastos, sabe que terá só esse.

Estas pessoas usam o cartão de crédito como grande aliado. E aproveitam, por exemplo, as milhagens, os programas de pontos que os cartões oferecem e acabam se beneficiando com seus próprios gastos.

Vilão  – Mas, nas mãos dos endividados, o cartão pode ser um grande vilão. A maior cilada é cartão de loja: os juros deste tipo de cartão é maior que o do banco. Alguns cartões podem chegar a 800% de juros, caso a pessoa não consiga pagar a fatura integralmente e entrar no rotativo. Enquanto que os cartões de banco giram em torno de 300%.

Três em cada dez consumidores que utilizam o cartão não fazem um controle dos gastos mensais, enquanto 33% acreditam que a forma de pagamento oferece o risco de perder o controle das compras e acabar se endividando. O mais alarmante é que três em cada dez não analisaram as tarifas e juros cobrados antes de adquirir o cartão de crédito.

Se você não quer abrir mão do cartão de crédito, o melhor a fazer é acompanhar seus gastos para não ter surpresas ou mini-infartos heheh cada vez que chegar a fatura do cartão. Siga as dicas abaixo para começar a se entender com esse pedacinho de plástico que pode fazer um estrago danado na sua vida financeira:

1. Cheque sua fatura frequentemente;

2. Cuidado com a anuidade;

3. Nunca faça parcelamentos e pagamentos mínimos;

4.Defina o limite do seu cartão;

5.Cuidado com as compras parceladas;

Em 2017, o governo instituiu uma mudança na cobrança do crédito rotativo. Atualmente, as dívidas do cartão de crédito não podem ficar rodando nessa modalidade de juros por mais de 30 dias e os bancos e operadoras são obrigados a oferecerem condições mais vantajosas para a quitação da dívida depois desse período. E, mesmo após a nova proposta, vale consultar outras modalidades de crédito, a fim de obter a melhor taxa.

“Não se endividarás” deveria ser um dos mandamentos de Deus. Mas já que o homem tem o livre arbítrio para fazer suas escolhas, espero que você escolha ser feliz e,  financeiramente falando, também! Monitore seus gastos e que Deus possa continuar te inspirando nas melhores e mais sadias escolhas. Tenha uma vida próspera! 😉

Anúncios

Existe a boa compra?

Dia 270/365:

Claro que sim! E não é difícil comprar bem! Hoje, botei o “Obrigada, estou apenas olhando” debaixo do braço e fui comprar um presente. Calma, não foi pra mim, foi de aniversário de uma amiga!

Levei o blog junto para não correr o risco de esquecer nenhuma das dicas para não gastar além do necessário heheh E vou dividir com vocês tudo que vivi hoje.

Antes de ir às compras, avalie algumas questões: o que você está pensando em comprar é realmente necessário; você se lembra de pesquisar preço em diversas lojas; avalia as formas de pagamento e pede desconto?

O que comprar? Quando decidir pela compra procure avaliar se cabe no seu orçamento. Não foi um presente que comprei heheh Tá mais pra lembrancinha, pois, era o que cabia no meu orçamento.

Porquê comprar? A minha compra teve um motivo justo: aniversário de uma amiga. Estou nessa, só com motivos justos, caso contrário é supérfluo. Cuidado com os motivos que te levam às compras. Precisa repor algum eletrodoméstico, verifique se tem conserto! Vai contratar algum serviço? Veja todas as opções disponíveis no mercado.

Onde comprar? Verifique as lojas físicas e as de e-commerce. Existem alguns aplicativos que te devolvem dinheiro para comprar online. Vale a pena aproveitar para comprar e ainda ter uma graninha de volta. Faça pesquisa e compre nas lojas que oferecem desconto para comprar à vista! Sempre à vista: nosso eterno mantra. Como o aniversário é amanhã não foi possível comprar pela internet, mas consegui desconto e paguei à vista!

Viu só como fica fácil se você para e avalia antes de sair desembestada para as compras? Que este exercício antes de sair à compras te ajudar a comprar com mais consciência e gastar menos, já fico feliz!

E que Deus continue NOS abençoando e NOS protegendo, todos os dias, em todos os momentos (mesmo quando saímos para comprar) hehehe 😉