Agosto: um mês muito grande pra pouco salário?

Dia 344/365:

Ontem com a surpresa do dinheiro na conta, percebi que faz tempo que não tenho essa sensação de muito mês para pouco salário. Com o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ e tudo que venho aprendendo, todos os dias, consegui ajeitar as finanças e hoje o salário chega até o fim do mês, com a graça de Deus.

Sabe porquê? Por que como aconselharia Warren Buffet, “não poupe o que sobra depois de gastar; gaste o que sobra depois de poupar.” Investidor e filantropo americano, Warren Buffett é constantemente citado na lista das pessoas com maior capital do mundo, ocupou o primeiro lugar em 2008. Amplamente considerado o mais bem sucedido investidor do século XX, é conhecido como o “Oráculo de Omaha” (Nebraska).

E como consegui que o salário chegasse até o fim do mês? Organizando as finanças, as contas e cumprindo à risca todos os meses. O primeiro passo é organizar as suas despesas em três grandes categorias:  básicas, supérfluas e reserva financeira.

Na lista de despesas básicas entram aquelas que se você não pagar, vai perder alguma coisa: aluguel, condomínio, água, luz, telefone, tv a cabo, supermercado… A gente tem que se comprometer em pagar para não ficar sem o serviço. Mas saber quanto gasta nas despesas básicas é muito importante. Estas despesas podem ser dividas em o que a gente gosta (tv a cabo, por exemplo) e o que a gente precisa (água, luz, telefone). Assim, se um dia a coisa apertar, você já saberá por onde começar a cortar as despesas.

Comecei a incluir o valor da reserva financeira, como se fosse uma conta a pagar. Então, depois que pago todas as contas (no mesmo dia, independente da data do vencimento pra não correr o risco de esquecer o vencimento) já transfiro o valor da reserva financeira. E vem dando certo, graças a Deus.

Estamos no dia 17 de agosto: já paguei todas as contas, já transferi o valor da reserva financeira. E sobrou? Sim, sobrou. E agora, com o que sobrou, planejo os passeios, restaurante e cinema do mês. Mas lembre-se de ter cuidado e não gastar tudo em apenas um fim de semana… Senão, o dinheiro acaba antes do mês.

Eu vi um post do Chapolin Sincero (sou fã dele e o post está neste link do facebook) reclamando que a vida tá tão estranha que até o mês de agosto está passando rápido. E está mesmo, não é? Lá se foi uma quinzena e a gente nem percebeu. Isso é bom, sinal de que não estamos preocupados com o mês e sim com tudo que temos pra fazer… Então, vamos viver a vida e viver bem esta oportunidade que nosso Pai NOS deu.

E é por isso que Ele vai continuar NOS guiando, orientando e abençoando em toda a NOSSA caminhada. Que possamos ouvir a voz Dele para que erremos o mínimo possível 😉

 

Principais gastos com cartão de crédito

Dia 333/365:

Hoje, publicamos um meme do Chapolin Sincero (adoro ele) no Facebook do ‘Obrigada, estou apenas olhando’ que brincava sobre os gastos do cartão de crédito.

Dizia o post: “Gente, eu não sabia que ficar passando 10, 30 reais no cartão, dava 900 reais”.

Pois é, dá mesmo! Sabemos o quanto é bom possuir um cartão de crédito com um bom limite. No entanto, devemos ser conscientes em utilizá-lo para não ficar com o nome “sujo” no mercado e não conseguir mais crédito ou financiamento para adquirir bens.

Você sabe quais os principais gastos que as pessoas têm com cartão de crédito? Em 2017, o SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) fizeram uma pesquisa que apontou que a maioria dos brasileiros usa para supermercados (62%) e em farmácias (49%).

Gente, a menos que vocês passem todos os gastos no cartão de crédito para ganhar em milhas e programas de fidelidade, não é bom usar no supermercado e em farmácias. Nestes estabelecimentos, os gastos são recorrentes, a menos que você jogue o crédito para o vencimento do cartão, ou seja, em apenas uma parcela. Este tipo de gasto não deve ser parcelado, pois vão acumular com os próximos e vira uma bola de neve.

O terceiro colocado é o abastecimento de veículos (30%), seguido da aquisição de roupas, calçados e acessórios (29%), idas a bares e restaurantes (28%) e recargas para celular pré-pago (20%). Importante lembrar que ao parcelar, faça o controle das parcelas para não ultrapassar o valor que tem de orçamento para o cartão de crédito. Assim, você não corre o risco de pagar o mínimo da parcela e encrencar de vez as suas finanças.

Você sabia que por falta de controle, 61% dos entrevistados já teve sua compra negada pelo estabelecimento, seja por inadimplência (9%), renda insuficiente (3%) e falta de comprovante de renda (3%).

Cuidado com os gastos do cartão de crédito para que você não fique com cara de ué quando chegar a fatura. A fatura do meu cartão, eu controlo pelo aplicativo do banco. Mas estou usando apenas para uma oferta que fiz na igreja e para pagar as aulas online de mkt digital. Fique atento hein, não deixe que a sua história com o cartão de crédito vire o próximo meme do Chapolin Sincero.

Deus abençoe sua vida financeira e te ajude a dominar suas vontades, como ele ajudou com as minhas. 😉