Comprou e se arrependeu? A lei te protege

Dia 79/365:

E quando bate o arrependimento no dia seguinte às compras da Black Friday? Calma, em alguns casos, é possível consertar o estrago. E o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ vai te explicar tudinho como resolver o impasse.

Quando o assunto é troca, devolução ou cancelamento na compra de produtos ou na contratação de serviços, as dúvidas surgem com mais força neste período. Mas, aquela máxima ‘o cliente tem sempre razão’, nem sempre vale para todas as ocasiões. Cuidado, pois o prazo de troca, caso você tenha direito, já está correndo… Tic Tac Tic Tac… hehehe

O Procon informa que o Código de Defesa do Consumidor (CDC) protege todas as relações de consumo, ao mesmo tempo em que busca a harmonia entre quem vende e quem compra e é a ela que vamos recorrer para saber sobre os seus direitos:

  • Se você comprou presencialmente, numa loja física, e se o produto estiver em perfeitas condições de uso, o vendedor não é obrigado a trocar por outro, nem a devolver o valor pago. Pois é, pessoal, sinto muito…
  • Quando você receber um produto na sua casa, só assine o documento após examinar o estado da mercadoria. Caso, o produto tenha alguma avaria, registre a sua reclamação e relacione os problemas com o produto que justifiquem a sua negativa em receber a compra.
  • Compras pela internet, telemarketing, catálogos ou em domicílio, o prazo para desistir da compra é de 7 dias a contar do recebimento ou da aquisição do produto, no caso de compras via catálogo ou na porta da sua casa. E você não precisa apontar o motivo. Entre em contato com a loja ou vendedora e siga com os trâmites.

Para te respaldar, vou reproduzir abaixo, as disposições do Código de Defesa do Consumidor, que a Fundação Procon divulga, em seu site, para os casos de cancelamento de compras:

art. 18 – Quando for constatado, no prazo de garantia, que o produto adquirido apresentou vício (defeito) e após 30 dias o fornecedor não conseguiu saná-lo;
art. 19 – Quando a quantidade for diferente daquela especificada em sua embalagem;
art. 35 – Quando não houver o cumprimento à oferta (por exemplo, o não cumprimento do prazo de entrega);
art. 49 – Desistência em sete dias se a compra foi realizada fora do estabelecimento comercial (internet, telefone, etc).

Para outras situações, o cancelamento da compra deverá ser acordado entre consumidor e comerciante ou fornecedor.

Antes de comprar pela internet, confira a relação da Fundação Procon (o link será está disponibilizado no fim deste post): são empresas que a entidade aconselha a evitar. Só vão para esta lista, as empresas que já tiveram alguma reclamação registrada. Após a reclamação, as empresas são notificadas e as que não responderam ou não foram encontradas, passam a figurar nesta relação. Como algumas empresas continuam com a Black Friday até domingo, é melhor se prevenir.

Espero que dê tempo de resolver o seu problema. Daqui, fico pedindo a Deus que continue NOS inspirando e NOS orientando para que consigamos resistir mais ao invés de se arrepender. 😉

 

Links: Evite estes sites – lista / Procon / SPC Brasil / Consumidor.org

Você sabe o que é Lowsumerism?

Dia 78/365:

Em dia de consumo desenfreado, com a Black Friday, o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ vai falar sobre Lowsumerism. Você já ouviu esta expressão ou leu em algum lugar? Lowsumerism é a junção de duas palavras em inglês Low Consumerism que, ao pé da letra, podemos traduzir como “consumir pouco”. Mas, a ideia seria algo como ‘consumo equilibrado’, o que vai muito além da tradução literal.

Hoje, minha amiga Djanira, leitora assídua e fiel do blog (que bom que temos amigos) me marcou numa postagem no Facebook falando sobre o Lowsumerism. Fiquei encantada não apenas com o vídeo, mas quem compartilhou o vídeo. O blog PorQueNao.org. é de uma galera bem bacana que se autodenominam como ‘mídia interdependente, difusora de iniciativas para uma sociedade mais inteligente e integrada’. Eles acreditam que podem dar asas aos sonhos e às ações que transformam o nosso mundo em um lugar melhor.

Eu também acredito!

E fico muito agradecida, Dja, por você me mostrar uma página tão bacana, que curtiria mil vezes. Eles têm uma missão: interligar pessoas que se dedicam a projetos capazes de transformar positivamente a realidade. Isso é fantástico e já mandei fiz um comentário no vídeo, que vou compartilhar com vocês (já estou à disposição desta galera do bem), no fim deste post. O vídeo tem tudo a ver com este meu propósito de inspirar pessoas e é uma aula sobre consumismo desenfreado: ótima ideia divulgá-lo na Black Friday.

Sabe o que estava pensando, sobre as roupas? Quanto mais temos, mais sofremos com as indecisões heheh Não é assim mesmo?  E tudo tem um lado bom. O de comprar menos é que no final do mês, vai sobrar mais dinheiro na sua conta (na minha já tá sobrando heheh)

Ontem, numa conversa com o Evangelista Emerson, ele me contou que o pastor Jorge Navac tem um livro intitulado ‘O Domínio da Vontade’ e é isso que estou fazendo: dominando a vontade de comprar. E se eu posso, você pode, nós podemos! Ele prometeu que me emprestaria ou me presentearia com o livro (vou esperar, sem nenhuma pressão, claro heheh)

Também conversei com meu Educador Financeiro, Pedro Braggio que comentou que a vontade de comprar tende a diminuir com o passar do tempo. “Sei que não é fácil, mas daqui a pouco, esse sentimento tende a melhorar. Os três primeiros meses são os mais complicados”, explicou. “Trazer para o consciente que está difícil e viver a frustração é importante. O que não pode é fingir que tá tudo bem, pois, isso vai te fazer mal lá na frente”, aconselhou.

Sim é isso mesmo. A frustração vem e vem forte, mas vai ser melhor pra mim, como o Pedro comentou:”Você e todas as pessoas que desejem ter um consumo mais consciente podem canalizar essa vontade de comprar para fazer outras coisas”. Outra verdade, Pedro! Estou canalizando essa alegria toda que tinha em comprar para aprender cada vez mais sobre o assunto e compartilhar com as pessoas pelo blog. E tem dado certo!

Importante lembrar que Lowsumerism não tem nada a ver com perder o conforto. O consumo equilibrado tem tudo a ver com qualidade de vida e focar no que é essencial na nossa vida: o amor pelas pessoas e pelo mundo. Pensa nisso, que eu daqui sigo agradecendo e pedindo a Deus que continue NOS inspirando sobre nossas alternativas e oportunidades. 😉

 

 

Link: Vídeo Lowsumerism / PorQueNao.org