Uma experiência incrível

Hoje vivi uma experiência incrível. E não poderia deixar de dividir com o “Obrigada, estou apenas olhando”.

Venho acalentando o sonho de tocar bateria há algum tempo. Até estou buscando informação sobre aulas, valores e horários.

Mas sempre que vejo um baterista tocando logo imagino “não tenho coordenação motora pra fazer isso”. E sem querer, vinha sabotando a mim mesma.

Nesta tarde, acompanhando uma palestra sobre “Comportamentos e atitudes seguras no ambiente de trabalho” me deparei com a oportunidade de provar pra mim mesma que eu tenho coordenação motora pra tocar bateria!

Crenças limitantes, o palestrante falou! E eu logo me identifiquei. Mas quando ele perguntou quem queria experimentar. Não o deixei nem terminar a sua frase e já fui logo levantando a mão!

Medo de pagar um micão na frente das pessoas, coração acelerado, vergonha, quase infartei ao me sentar na atrás da bateria, de frente para a plateia…

Paciente, Cláudio Maroto, o palestrante, me ensinou o que eu tinha que fazer. A respiração foi acalmando e consegui aproveitar os meus três minutos de show! Foi incrível!

Nunca deixe ninguém e nem você mesma (o) dizer que não pode fazer alguma coisa! Aproveite todas as oportunidades de viver algo incrível! Prefira sempre uma vida extraordinária a uma vida comum.

Viva tudo que há para se viver! Deus espera isso de você: ele nos deu uma vida incrível para a vivermos em plenitude! Honre esse dom maravilhoso e seja feliz! 😉

Cláudio Maroto, obrigada pela oportunidade e por me mostrar que sou capaz!

Fim de semana prolongado e sem gastar muito

Dia 232/365:

Fim de semana prolongado deveria ser proibido acontecer antes do pagamento não é? Hehehe

Mas, o “Obrigada, estou apenas olhando” acredita que nada acontece por acaso. Talvez o fim de semana prolongado sem grana (porque você ainda não recebeu) é uma providência divina para que você não gaste! Já pensou nisso?

Se o seu salário do mês já estivesse na sua conta, talvez você aproveitasse parte dele para gastar com passeios ou até viagens que não poderia pagar ou que te deixaria endividado.

Você já percebeu que quando temos dinheiro nas mãos, ficamos procurando algo para gastar? Este não é um comportamento generalizado, mas grande parte das pessoas que estão com uma situação financeira delicada, tem esses “desejos”…

Não há problema algum em sair, se divertir com a família, fazer passeios e aproveitar o fim semana, desde que você não tenha contas a pagar, ou esteja inadimplente.

Mas, fim de semana divertido não é sinômino de gastos! Procure passeios ao ar livre para fazer com a família: parques municipais são ótimas oportunidades para curtir e ainda se exercitar.

Alimentem-se antes de sair de casa, assim não terão gastos excessivos com alimentação. Leve dinheiro para pipoca ou sorvete. Dinheiro! Deixe o cartão de crédito em casa!

Você pode também reunir os amigos na sua casa! Convide-os e peça para que cada um leve uma coisa: o bom e velho kit churrasco vale! Lembre-se, não é vergonha nenhuma pedir que as pessoas contribuam com a festa! É democrático e faz com que todos se sintam mais próximos.

Tá vendo, é possível se divertir sem gastar (muito). Se não der pra sair faça pipoca e chocolate quente ou gelado (dependendo da temperatura) e aproveite para maratonar sua série preferida!

Divirta-se no fim de semana prolongado com Deus no coração! Fim de semana é também para você reavivar a sua fé. Vá à igreja, peça por você e pelas pessoas que você gosta. Lembre-se de pedir também por aquelas que você sabe que não gostam de você! Peça, e Deus te abençoará, principalmente, quando você intercede por outras pessoas. 😉

Faltam 300 longos dias…

Dia 65/365:

Faltam apenas 300 dias, ou seja, o ‘Obrigada, estou apenas olhando’  já superou mais de 2 meses. E, neste tempo, as idas ao shopping para almoçar diminuíram drasticamente: para evitar a tentação e, consequentemente, o sofrimento.

E, apesar desta abstinência, estou feliz! Feliz por inspirar mais pessoas sobre o consumo consciente. Feliz por conseguir divulgar este desafio. E, até tenho uma ótima notícia: na próxima semana, estarei em Campinas, com estudantes de jornalismo, pra falar sobre este propósito…

Daqui para a frente são 300 longos dias… Longos, porque, não estão sendo fáceis. Não posso mentir pra vocês. Não posso fazer média e dizer que estou bem e tirando de letra: não está sendo fácil! Nossa relação deve ser de transparência e dolorosa sinceridade.

Sinceridade sem medo de ser julgada. Sim. E sabe por quê? Por que estou firme com minha decisão, convicta deste desafio e consciente da minha responsabilidade de falar a verdade. De orientar, dar bronca, aconselhar e ser sincera…

E tá difícil, por que são mais de dois meses renegando o que eu fazia de mais divertido: comprar! 65 dias é um tempo razoável se comparado com outras situações. Imagina, com dois meses, um bebê já começa a sorrir para as pessoas. Olha só que tempo significativo! Incrível!

Esta comparação do bebê sorrindo com a minha situação fica até engraçada quando me lembro que eu saía das lojas com o sorriso aberto, balançando a cabeça, feliz da vida. Hoje, 65 dias depois, eu continuo sorrindo… Mas tá quase de nervoso… hahaha

Estou direcionando minha atenção ao blog, às pesquisas, aos estudos e ao trabalho. E encontrando diversão em meio a tudo isso. E o Espírito Santo tem me orientado neste sentido. Que DEUS continue NOS inspirando a aproveitar melhor cada oportunidade, cada dia, cada situação.

E, com relação às lojas, eu não entrei mais. Em frente às vitrines, paro, cobiço e passo… 😉

 

Economia na diversão

Dia 17/365:

Estou na Rodoviária de Jundiaí esperando a Renata e a Mariana para o segundo show do fim de semana: hoje tem Aerosmith. Outro sonho que estou realizando.

E como é bom realizar sonhos. Como é bom poder vivê-los em toda a sua plenitude. Ontem descobri que a gente não precisa se acabar de gastar, mesmo enquanto está se divertindo.

Cheguei em São Paulo e fui almoçar, pra não precisar ficar gastando dentro do estádio. Lá tudo inflacionado: 10,00 era o valor base para pipoca e refrigerante, os lanches estavam mais caros (mas nem sei o valor). Tinha sorvete também e cerveja (mas esta última nem me interessou, não bebo).

Como tinha almoçado, me aguentei bem com um sorvete de 8,00 e uma água que o meu amigo pagou (encontrar este amigo foi providencial para este show): Praia Filho, valeu a força!

E vamos pra mais um show. Hoje estou levando um pacote de bolachas e outras guloseimas que tinha em casa, ou seja, mais economia. E que Deus NOS ajude!

Foto: Fabio Tito G1

Apenas um sorvete e o estacionamento

Dia 15/365:

Hoje pela manhã recebi um feedback muito bacana, da minha amiga, a também jornalista, Marília Porcari Gersiano:  “Queria te mandar uma mensagem pra falar que tô adorando seu blog! Obrigada por dedicar seu tempo a nos ajudar…”

Ah gente, fala sério, se isso não é muito legal? Saber que o que venho aprendendo com as orientações de profissionais especializados e estudando (sim, estou estudando muito sobre educação financeira e finanças pessoais, a Míriam Leitão que se cuide hehehe) está ajudando outras pessoas é muito bacana. Obrigada, Marília! Isso aumenta ainda mais a minha responsabilidade.

Diferente de mim que gosta de comprar, a Marília gosta de sair pra comer fora e se divertir. Você está vendo, não precisa ser um comprador compulsivo para desestabilizar as suas finanças… O que a gente precisa é ter cuidado. Quando me mandou a mensagem, ela lia o post sobre prioridades… E este é o segredo: ter uma meta e eleger prioridades para atingi-la é a equação mais acertada. Matemática pura!

As palavras meta e prioridade casam bem com compromisso e  foco. Eu garanto que estas atitudes vão te trazer o que você quer e não aquela senhora que bota cartaz nos postes prometendo trazer o amor em até 3 dias hehehe Foca no que é bom. Amor que já foi, deixe onde está. Como diz o filósofo, figurinha repetida não completa álbum (pausa para falar de relacionamento. Pronto, passou hehehe).

No final desta tarde visitei um shopping que não conhecia e confesso que foi uma experiência interessante. E já adianto: NÃO comprei nada! hahaha Andei pelos corredores, parei na frente das vitrines (e a moda verão tá linda, gente), olhei, olhei, olhei de novo, mas não me senti tentada a comprar.  Na verdade, percebi que tenho peças no meu armário (com outras cores, claro), que posso combinar para chegar a um efeito bem próximo ao sugerido pelas vitrines.

Mas quem está neste processo de desintoxicação de compras, precisa ficar atento, pois, os shoppings apelam feio para chamar a nossa atenção. Eles sabem ser irresistíveis.

Foi um passeio muito gostoso, descobri que é possível, sim, ir ao shopping e não gastar, além do estacionamento e de um sorvetinho (afinal, ninguém é de ferro). Dei muita risada e é isso que importa, se divertir, viu, Marília! Mas com moderação hehehe Que Deus NOS ajude.