Você conhece o eCred?

Dia 166/365:

Depois do Planejamento Doméstico que divulgamos ontem, está na hora de fazer uma limpa nas suas dívidas. E o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ vai te ajudar. Você já ouviu falar do eCred?

Se estiver precisando de crédito para quitá-las, procure o procure o eCred, vou explicar logo abaixo como funciona. Mas, se está com as contas em dia, nem se preocupe. Fique tranquila e continue pagando suas contas em dia, poupando, investindo e tudo o mais que precisamos para ter uma relação saudável com o dinheiro.

O eCred é uma plataforma on-line, criada pelo Serasa, um verdadeiro shopping center virtual onde você encontra diversas instituições financeiras que concedem crédito.  Você acessa e resolve tudo pelo site, não precisa conversar com ninguém, nem explicar pra ninguém o seu problema financeiro ou por quê você precisa de crédito. A parte chata de pedir dinheiro emprestado hehehe

Se você está com dívidas, precisa se livrar delas. Sabe tudo que está devendo? Separe todas as suas dívidas e vamos começar a quitá-las. Comece pelas mais fáceis de quitar, não adianta querer quitar tudo de uma vez. Com o eCred do Serasa, você consegue encontrar as taxas mais baixas de juros para contratar o crédito que você precisa.

Quando acessar o site do Serasa eCred, você vai encontrar o Serasa Score, uma pontuação que vai de 0 a 1000, e indica qual a probabilidade de um grupo de pessoas que tem comportamento semelhante pagarem ou não suas contas em dia. Muitas empresas utilizam o Serasa Score para saber quais as chances de você deixar de pagar alguma compra nos próximos 12 meses. Sem contar que se você tiver uma boa pontuação, isso facilita o seu acesso ao crédito com melhores taxas.

Acesse o site, responda as perguntas iniciais para o que o sistema entenda quem é você e o que você procura. É fácil e para ter acesso às ofertas de crédito, faça o cadastro no site. Você terá que seguir uma série de orientações, enviar documentos, mas fique tranquila, o site é totalmente seguro, para que as instituições financeiras parceiras possam avaliar os seus documentos e conceder ou  não o crédito.

Li sobre o eCred hoje e resolvi compartilhar com vocês. Para aqueles que têm dívidas, contratar o crédito por aqui vai lhe permitir encontrar as menores taxas e nessa você economiza. Já que precisa de crédito, procure as melhores opções. Não estou precisando, graças a Deus e que Ele continue NOS abençoando e NOS protegendo sempre, em todas as situações. Que NOS ilumine e NOS inspire até na hora de contratar crédito. Se é pra pagar dívidas, amém! 😉

59,9 milhões de brasileiros estão negativados. Qual a sua situação?

Dia 95/365:

Alerta geral! Imagina aquela musiquinha do Plantão Globo: o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ informa que 59,9 milhões de brasileiros estão com o nome negativado, ou seja, perderam o direito ao crédito por conta de suas dívidas e da inadimplência. Os dados são do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

A pesquisa aponta ainda que a faixa etária com maior quantidade de negativados é entre 30 e 39 anos e a região Sudeste concentra o maior número de brasileiros com contas em atraso e registrados nos cadastros de devedores: dos 59,9 milhões, 24,24 milhões estão entre os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo.

Quando o seu nome fica negativado por alguma conta em atraso, o seu CPF fica restrito para contratar crédito ou fazer compras parceladas. Vamos olhar pelo lado bom: se for comprar, opte pelas compras à vista e peça desconto. Isso é ponto pacífico entre nós, não é mesmo?

Mas não dá pra brincar com uma situação destas e já te ensinamos quais passos deve seguir para tirar o seu nome dos registros de devedores, no post do dia 5 de dezembro, semana passada. Aproveite o 13º salário e antes de comprar presentes, resolva sua situação e entre em 2018 sem dívidas. Clique aqui e releia o post sobre “Como fazer para limpar o seu nome”.

Infelizmente, não é só a pessoa que não pode comprar que perde. A economia como um todo perde. Estamos  vivendo um processo de recuperação da economia, a passos lentos, sim, mas as expectativas para 2018 são bastante positivas. Apesar de lenta, a recuperação é gradual, isso é uma boa notícia. Com a retomada, as empresas voltam a contratar, diminui a taxa de desemprego e o consumidor retoma o seu poder de compra. Mas negativado, pouco poderá fazer. Então, novamente, batendo na tecla: aproveite o 13º para resolver suas pendências  e planeje 2018 para que você não entre nestas barcas furadas das compras a prazo, cartões de crédito, cheque especial: lembre-se, o dinheiro do cartão de crédito e do cheque especial não são seus e os bancos cobram muito bem para que você possa dispor desse dinheiro.

Um dado animador do estudo divulgado pelo SPC Brasil é que desde o início de 2016, a quantidade de dívidas em atraso vem desacelerando. Isso significa dizer que o consumidor inadimplente está começando a quitar as dívidas em atraso. Isso é muito bom! No entanto, os bancos seguem como os maiores credores do total de dívidas em atraso no país, concentrando 49% do total. Comércio (19%), Comunicação (14%), Água e Luz (9%) são as outras pendências do consumidor brasileiro.

Apesar dos números serem altos, eles estão estáveis, segundo o SPC Brasil. Ainda bem, né gente? E você como está a sua situação? Espero que você não faça parte dessa massa que está endividada. Mas se estiver, a gente vai se ajudando e logo, logo, você estará livre dessa. Coloque a palavra planejamento na sua vida a partir de 2018. E, enquanto isso, eu sigo daqui pedindo a Deus que continue NOS inspirando, NOS orientando em toda as nossas escolhas… 😉

Para ter uma relação sadia com o dinheiro

Dia 20/365:

Qual a relação que você tem com o dinheiro? Ela é saudável ou você é escravo dele?

Estou frequentando o curso de Reeducação Financeira do Pedro Braggio e a sua primeira afirmação: “este é um curso de reeducação, pois as pessoas não foram educadas para lidar com o dinheiro”. Os alunos (estamos em 10 na sala) ficaram espantados.

E é verdade, lembro que quando comprava minha mãe dizia: compre mesmo, você trabalha tanto, merece. E aí eu não me sentia culpada… Mas, minha mãe, em toda a sua ingenuidade, não sabia que estava me prejudicando.

Na verdade ela me ensinou que gastar é uma recompensa e acredito que foi aí que a coisa desandou…

No primeiro dia do curso (ontem), Pedro quis ouvir os alunos, saber o que esperavam do curso e motivo por estarem ali. E aí as mais diversas histórias foram surgindo, de pessoas que se você olhar pra elas, nem imagina que elas tenham problemas nesta área da vida.

Mas o que eu queria né? Que viesse estampado na testa? Ainda bem que não está, pois, se tivesse, poucos seriam os que não teriam a marca no rosto… Infelizmente…

Hoje foi o segundo dia, aprendi muitão! Amanhã conto tudinho e que Deus Nos ajude!

75% da população brasileira está endividada

Dia 7/365:

Entrar no cheque especial todo mês, estourar o limite do cartão de crédito, pagar o valor mínimo das faturas, ter mais dívidas que despesas. Estas são as principais características de (pasmem!) 75% da população brasileira! Isso mesmo!

Mas não é porque você acabou de se dar conta de que não está sozinha nessa, que vai pensar: “Ok, não sou só eu, ainda bem, dá pra continuar gastando”. Nã na ni na não!!!! É pra você se assustar e querer sair desta estatística. Como eu fiz.

Hoje, conversando com o educador financeiro, Pedro Braggio, ele explicou que a situação econômica do país contribui para agravar o endividamento das pessoas, mas não é só isso. “Faz parte da cultura brasileira se endividar, sejam elas pequenas, médias ou grandes dívidas”. Pedro comenta ainda que a pessoa não consegue pagar suas contas por ceder cada vez mais às compras por impulso. “A psiquiatria reconhece a compra por impulso como um transtorno”, alerta.

Eu me comportava assim até o mês passado. A sensação de comprar é ótima. Mas, como a nossa querida Rebecca Bloomwood (personagem central do filme “Os Delírios de Consumo de Becky Bloom”), descobriu, pode levar à falência. A alegria de sair da loja com mais uma sacola é momentânea e logo vem a preocupação (se você comprou no crédito) de como pagar.

Ah gente, para não comprar por impulso, você tem que acompanhar o seu saldo bancário em tempo real. Só assim, você vai se assustar como eu me assustei ao me deparar com o que havia sobrado do meu salário ao pagar todas as minhas despesas (fixas, como água, luz, telefone) e dívidas (cartão de crédito, Renner, Marisa…).

Pedro desenvolveu um aplicativo que poderá te ajudar a controlar e monitorar suas finanças de forma simples, objetiva e on-line. “É um verdadeiro eletrocardiograma financeiro. A partir do relatório do seu humor financeiro em tempo real, é possível manter um orçamento bacana e ainda vai sobrar para fazer uma poupança”, garante o educador.

Como não comprar por impulso?

Traçar metas é uma alternativa. A minha é poupar para poder investir na compra de um apartamento. A vida é feita de escolhas e escolhas exigem renúncias, não é mesmo? Mas você pode querer trocar de carro, fazer uma pós-graduação, uma viagem internacional (também quero! heheh).

Outra opção para não ceder à impulsividade é não fechar o negócio na hora. Gostou de alguma coisa, mas sabe que vai se estrepar se comprar, saia da loja, dê uma voltinha, compre um sorvete, distraia-se com outra coisa… Foge, amiga, enquanto dá tempo!

Ah, mas o que ainda não fiz e também é uma boa ideia é arrumar o armário. Descobrir todas as peças que você tem e quem nem se lembrava. Vou tentar fazer isso neste fim de semana e depois conto pra vocês como foi.

Como colocar a casa e a conta bancária em ordem?

Se você se encontra numa situação crítica, Pedro aconselha a conhecer a sua situação financeira, separando o que é despesa e o que é dívida. “Dê prioridade às despesas e tente negociar as dívidas”, orienta. “O brasileiro não aprendeu a ter controle, não teve aula de educação financeira na escola e nem na família”, lamenta.

Este é o primeiro passo. Vamos começar a fazer isso? Depois me conte como você está se saindo. Que Deus NOS ajude.