Três pares de sapato e duas bolsas: R$ 115,00

Dia 311/365:

Não, não comprei nada! Não cedi à tentação e nem quebrei o meu compromisso com o “Obrigada, estou apenas olhando”.

Há 15 dias fiz uma arrumação no guarda-roupas e encontrei roupas, sapatos e bolsas para doar, para consertar e para peças para jogar fora.

E qual foi a minha tristeza quando liguei no sapateiro e ele disse que uma bolsa que gostava muito não tinha conserto? Uma bolsa verde, linda, que havia ganhado num bingo hehehe Ela estava com o couro fake esfarelando. Diagnóstico: lixo!

Separei tudo que ia pro sapateiro: duas bolsas, três pares de sapato, que, por conta de precisarem de ajustes não os estava usando mais.

Ao sapateiro ajustou os botões da bolsa marrom; trocou o cabo da bolsa vermelha (que também estava esfarelando); trocou a borrachinha do saltos do sapato preto; fez um reforço no scarpin branco e cortou o salto da sandália vermelha. E tudo por R$ 115,00.

Uau! Resultado: mais três opções de sapato prontos para usar e duas bolsas! E você? Quando um produto quebra, rasga, você joga fora ou leva para arrumar? As lojas de consertos são importantes formas de economizar.

Até panelas já consertei: tem um senhor que passa aqui pelo meu bairro pelo menos uma vez a cada dois meses consertando panelas, trocando cabos ou se oferecendo pra trocar a borracha da panela de pressão.

A nossa tendência quando algo quebra é encostar o objeto e comprar um novo. Mas, mandar consertar e continuar usando é uma forma de economizar, ou seja, fará bem para o bolso e para o meio ambiente.

Da próxima vez que pensar em comprar algo, dê uma olhadinha no seu armário: eu garanto que vai encontrar algo que só precise de um ajuste para voltar a ser usado.

Economize por você, pelo seu bolso e pelo meio ambiente. Vamos cuidar deste planeta tão lindo que Deus NOS emprestou para morar! 😉

Para conquistar o poder do dinheiro

Dia 309/365:

Por conta do “Obrigada, estou apenas olhando”, comecei a pesquisar livros que falem sobre educação financeira e, recentemente, participei do lançamento do livro do Tiago Brunet “O Maior poder do mundo”.

No livro, tem um capítulo com questionamentos sobre dinheiro. Não precisa responder pra mim, avalie e responda pra você mesmo (a):

1) Você tinha alguma resistência à teoria de que o dinheiro é um dos poderes que regem o mundo?

2) Se você entende a importância de ter recursos financeiros enquanto vivemos esta vida terrena, o que fará a partir de hoje para conquistar esse poder?

3) Os livros que você lê e as pessoas com as quais você convive são assertivos para a aquisição desse poder?

4) Em sua opinião, o que esse poder não consegue ou não pode comprar?

5) Vice já se deu conta de que quem tem o poder do dinheiro consegue potencializar tudo aquilo que for a a vida extraordinária?

6) Qual a criptonita do dinheiro?

Reflita sobre essas questões. Tenho certeza de que poderão ajudar você a mudar sua relação com o dinheiro. E que Deus abençoe NOSSAS reflexões e NOSSO modo de encarar a vida! Nada é para sempre e você pode pisar a sua forma de ver o mundo e encarar seus problemas. 😉

Compras da semana com economia

Dia 303/365:

Faz três semanas que venho economizando nas compras do supermercado. Demorei para comentar com vocês porque queria ter certeza de que daria certo! O “Obrigada, estou apenas olhando” quer saber: com que frequência você vai ao supermercado?

Todo dia? Hehehe Brincadeira! Nas últimas três semanas fui apenas duas vezes. E consegui reduzir em 50% os gastos no supermercado por conta das mudanças que fiz.

Frutas, verduras e legumes agora só na feira! Sim, feira livre é tudo de bom. E mesmo lá tem que pesquisar, pechinchar e andar de barraca em barraca. Os preços e a qualidade dos produtos variam há poucos metros de distância.

Com R$32,00 consegui trazer as frutas, verduras e legumes para a semana toda! Gosto muito de frutas: nos lanches da manhã e da tarde e, às vezes, também elas substituem o jantar! SEM leite condensado, hein, gente! Hehehe

Mas precisei comprar macarrão, leite, bolachas e queijo (este último estava mais barato no supermercado do que na feira). No supermercado, busque sempre as marcas que estão na parte de baixo das prateleiras: normalmente, os preços dos produtos estão mais baixos do que aqueles que estão na altura dos olhos.

A gente sabe de todas essas coisas. Mas deixa pra lá por conta da correria do dia a dia: entrar e sair do supermercado com pressa resulta em compras sem pesquisa.

Mas, independente do que comprei na feira e no mercado, as compras vêm ficando 50% mais baratas nas últimas três semanas. E o melhor, na feira, a gente leva dinheiro né? É só compra enquanto tem dinheiro! Heheheh

Hoje fui numa feira em outro bairro. O mais engraçado das feiras são os maridos andando atrás das mulheres carregando as sacolas de um lado para o outro, enquanto elas pesquisam, pechincham e fazem suas escolhas.

Muita gente comendo pastel também. Pastel é tudo de bom, né gente? Só o cabelo que fica com aquele cheiro de óleo hehehe

Mas vamos seguir economizando, poupando e fazendo o dinheiro render. Hoje perdi o cartão do banco. Fiquei chateada. Não por ter perdido (esqueci no caixa eletrônico), mas pelo fato da pessoa que o encontrou não ter tido a decência de deixá-lo lá)!

Que Deus perdoe essa pessoa e continue NOS inspirando e protegendo em todos os momentos, sob todos os aspectos! Ele é grande e quer cuidar de você também. 😉

Foto da PMJ

Vamos conversar sobre finanças lá em casa

Dia 263/365:

Conversar sobre finanças deveria ser tão tranquilo e transparente como conversamos sobre filmes, novelas… Política, religião e futebol não, porque dá briga heheheh

O “Obrigada, estou apenas olhando” já orientou sobre a importância de conversar com sua família sobre as finanças: maridos e esposas precisam saber quando ganha um e outro. Só assim será possível dividir as despesas de maneira que não sobrecarregue um ou outro.

Por outro lado, homens e mulheres têm medo de abrir para o seu cônjuge quanto ganham por mês por medo de ser cobrado ou ainda ser monitorado.

Não sou casada, mas fico aqui pensando na parceria entre marido e mulher e a questão financeira precisa fazer parte desta parceria. A mulher, sem medo do marido vigiar seus gastos extras em lojas ou no salão; e o homem, sem medo da esposa ou dos filhos pedirem dinheiro.

Pare com esse medo e envolva todos da família no planejamento financeiro da sua casa. Assim, você conseguirá viver, sem dúvida, com mais qualidade e reduzirá, sensivelmente, os níveis de estresse.

Evite crises conjugais! Esse é um pequeno passo para estabelecer a confiança. Vamos derrubar essa barreira!

Conversar sobre finanças em família vai deixar o ambiente mais saudável!

E a harmonia no lar é tudo que Deus quer para as nossas vidas! Se ficar apreensivo (a) na hora de iniciar esta conversa, peça a orientação de Deus: Ele vai te ajudar! Assim como nos defende, orienta e inspira todos os dias, em todos os momentos. 😉

Não se assuste com a fatura do cartão de crédito

Dia 241/365:

Já levou algum susto ao receber a fatura do cartão de crédito? Eu já heheh Mas desde que este desafio começou, a fatura vem diminuindo à medida que o fim deste desafio com o “Obrigada, estou apenas olhando” vai se aproximando.

Mas essa surpresa ou susto que você passa toda vez que chega a fatura acontece por três motivos: primeiro você não controla seus gastos (se o fizesse saberia exatamente o valor da fatura); segundo, porque você compra por impulso. A gente vive falando disso né? E as compras por impulso estão intimamente ligadas ao terceiro motivo: não controlar as emoções.

Não compre por impulso: já ouviu uma vendedora dizer “Leva, o preço está ótimo e ficou lindo em você!” Não se deixe seduzir pelas promoções e nem pelas vendedoras simpáticas ou ainda por vergonha de dizer não. Quando sentir que vai fraquejar, saia da loja, pense melhor e, se estiver precisando mesmo e puder pagar, volte para comprar, sem culpa ou arrependimento.

Não gaste mais do que pode: mesmo que você ainda não tenha o último modelo de celular que foi lançado, não se deixe levar se você sabe que não poderá pagar ou que suas finanças ficarão comprometidas se comprar.

O ideal seria você se planejar, guardar um pouco por mês e realizar o seu sonho de ter um novo smartphone. Imagina a situação: você tem um celular top, mas liga a cobrar pros seus amigos… Espere o momento certo.

A gente já conversou sobre isso, lembra? Fazer o que é preciso até fazer o que quiser. Coloque suas finanças em dia: pague suas contas na data do vencimento, livre-se de suas dívidas, controle as despesas e viva dentro do seu padrão de vida.

Ah e pense abundantemente. Prosperidade e abundância é o que Deus quer para nossas vidas: lembre-se de ser grato por tudo que tem e conquistou, além de generoso com os que têm menos que você. Doação e gratidão são as bases das bênçãos que Deus quer derramar sobre sua vida. 😉

Fim de semana prolongado e sem gastar muito

Dia 232/365:

Fim de semana prolongado deveria ser proibido acontecer antes do pagamento não é? Hehehe

Mas, o “Obrigada, estou apenas olhando” acredita que nada acontece por acaso. Talvez o fim de semana prolongado sem grana (porque você ainda não recebeu) é uma providência divina para que você não gaste! Já pensou nisso?

Se o seu salário do mês já estivesse na sua conta, talvez você aproveitasse parte dele para gastar com passeios ou até viagens que não poderia pagar ou que te deixaria endividado.

Você já percebeu que quando temos dinheiro nas mãos, ficamos procurando algo para gastar? Este não é um comportamento generalizado, mas grande parte das pessoas que estão com uma situação financeira delicada, tem esses “desejos”…

Não há problema algum em sair, se divertir com a família, fazer passeios e aproveitar o fim semana, desde que você não tenha contas a pagar, ou esteja inadimplente.

Mas, fim de semana divertido não é sinômino de gastos! Procure passeios ao ar livre para fazer com a família: parques municipais são ótimas oportunidades para curtir e ainda se exercitar.

Alimentem-se antes de sair de casa, assim não terão gastos excessivos com alimentação. Leve dinheiro para pipoca ou sorvete. Dinheiro! Deixe o cartão de crédito em casa!

Você pode também reunir os amigos na sua casa! Convide-os e peça para que cada um leve uma coisa: o bom e velho kit churrasco vale! Lembre-se, não é vergonha nenhuma pedir que as pessoas contribuam com a festa! É democrático e faz com que todos se sintam mais próximos.

Tá vendo, é possível se divertir sem gastar (muito). Se não der pra sair faça pipoca e chocolate quente ou gelado (dependendo da temperatura) e aproveite para maratonar sua série preferida!

Divirta-se no fim de semana prolongado com Deus no coração! Fim de semana é também para você reavivar a sua fé. Vá à igreja, peça por você e pelas pessoas que você gosta. Lembre-se de pedir também por aquelas que você sabe que não gostam de você! Peça, e Deus te abençoará, principalmente, quando você intercede por outras pessoas. 😉

Quando o seu propósito encontra uma pessoa obediente

Dia 133/365:

Ah, gente, como eu gosto das coincidências de Deus na nossa vida. Domingo à tarde, estava fuçando o Instagram e vou contar um segredo: eu adoro ficar olhando os perfis que postam looks do dia a dia. Fico olhando as ideias e tentando adaptá-las com o que tenho no meu armário.

E desta vez me bateu uma nostalgia e uma vontade de comprar que vocês nem imaginam… Mas aí, como não posso comprar, fiquei meio tristinha. E, como me converti há pouco tempo e para espantar aquele sentimento que não era de Deus, comecei a pesquisar os perfis de moda evangélica e, por mais que as pessoas possam imaginar que é uma moda careta e sem graça, estão super enganadas. Vestidos lindos, saias… Ai ai… E  aí Deus toca o nosso coração e transforma tudo…

E com o Seu toque, veio a inspiração para mandar uma mensagem de whatsapp para uma amiga que também é cristã e se veste muito bem. E como todos que me conhecem já sabem da minha cara de pau, primeiro lembrei a ela sobre o meu propósito de não poder comprar e já fui emendando que poderia aceitar doações heheheh

E qual foi a minha surpresa?  Ela estava justamente esperando que Deus preparasse a pessoa que iria receber as roupas que ela carinhosamente havia separado! Ah gente, esse Deus é demais na minha vida! O meu propósito encontrou com uma pessoa obediente e temente a Deus.

Hoje nos encontramos e ela me entregou uma sacola cheia de roupas: 18 peças entre vestidos, blusinhas, saias… A cada roupa experimentada, um sorriso e um agradecimento… Glória a Deus! Senhor, muito obrigada pela Keila na minha vida.

E você, já doou suas roupas ou sapatos para alguém? Ou já aceitou doações de outra pessoa? Essa coisa de doar é engraçado. Quando criança isso acontecia com mais frequência, usava roupas dos primos maiores. Mas com o  passar do tempo a gente vai se distanciando da inocência infantil e vem a vergonha. Gente, não precisa não, para de bobagem.

Quando eu comprava (heheh), tinha comigo de sempre que entrasse algo novo, saia outra peça para ser doada. Sempre fiz isso. Agora também espero poder fazer e separar algumas coisas para doação. E assim a gente devolve o bem recebido abençoando outra pessoa.

Porque você não aproveita agora à noitinha e vai até o seu armário e começa a separar algumas peças que não usa mais. Quais peças escolher? Tem uma regrinha boa pra isso: se você olhar para a peça e se lembrar que não a usa há mais de 6 meses, pode separar: você não a usará mais!

Tenho certeza de que alguém vai ficar tão radiante com a sua doação, quanto eu fiquei com as roupas da Keila. E Adriana, obrigada por bancar o almoço, bem no dia do seu aniversário! hehehe O próximo é meu. E quando for a minha vez, vamos no Bom Prato, lá o almoço é R$ 2,00 e vocês sabem “Estou apenas olhando” heheheh

Vou ficar aqui na torcida por você conseguir se desapegar de peças que não usa para abençoar alguém. Seja em Deus e tenho certeza de que ficará mais fácil. Que Ele NOS abençoe e NOS proteja sempre, sempre! 😉

Vou ter uma conversinha com o gerente do banco

Dia 131/365:

Depois de ler este texto, você também vai querer ter uma conversinha com o gerente da sua conta no banco heheheh E não pense que estamos semeando a discórdia entre cliente e gerente, hein… heheh Estamos abrindo os teus olhos.

O ‘Obrigada, estou apenas olhando’ conseguiu, com exclusividade, uma entrevista com João Antônio C. Motta, advogado, especialista em Obrigações e Contratos, com ênfase em Direito Bancário, Econômico e do Consumidor.  Sim, isso vai nos ajudar bastante. Ele fez muitas revelações que vão deixar você de queixo caído, como eu fiquei.

Quem nunca se lamentou sobre as tarifas bancárias e exigências de reciprocidade na compra de seguros, planos de capitalização e outros ‘débitos’ que o banco chama, carinhosamente, de produtos, que atire a primeira pedra. “As pessoas precisam verificar, diariamente, a sua conta-corrente, pois, é bem provável que apareçam débitos sem explicação alguma e se ninguém reclamar, por lá permanecem”, explica João Antonio.

Sempre que o banco te oferecer algum destes ‘produtos’ fique atento para negociar as tarifa da sua cesta de produtos, por exemplo. Se eles gostam de negociar, porque nós não podemos usar este artifício também? “Quando o cliente compra algum produto do banco, certamente está melhorando a rentabilidade dele sobre a administração de sua conta-corrente e, desta forma, é lógico e justo que ele obtenha algum favorecimento nas tarifas”, defende o especialista.

Entre estes produtos que o banco pode te oferecer, não aceite o Título de Capitalização e nós já falamos sobre isso, vocês estão lembrados? Se não, clica aí no link em destaque. Lá tem a explicação do porquê não contratar um título de capitalização do banco: é a maior furada do mundo e você vai perder dinheiro, com certeza.

Espero que você não precise, mas João Antonio alerta que se você precisar fazer um empréstimo no banco, deve tomar alguns cuidados. “Observe o que é cobrado, pois uma norma antiga do Banco Central proíbe terminantemente aos bancos de provocar a elevação direta ou indireta das taxas de juros”, explica. Ou seja, verifique se as taxas e tarifas que você vai pagar estão detalhadamente discriminadas no contrato que você está assinando. “Não espere que o gerente do banco vá trabalhar para você”, reforça.

Essa doeu, né gente? Mas ele tem razão, não trate o gerente do banco como ‘meu gerente’. O especialista orienta a sermos o gerente de nossas próprias contas. Lembre-se que o gerente não é seu, é do banco e, por isso, vai sempre puxar a ‘sardinha’ para o banco e não para você. “O gerente é do banco e está lá para gerir interesses do banqueiro, vendendo os produtos. Qualquer pensamento contrário, transferindo obrigação própria a terceiros, irá gerar prejuízo certo”, alerta. “Leia com atenção e  diariamente seu extrato bancário”, orienta.

Ah, gente, depois dessa, acho melhor a gente ter mesmo uma conversinha com o gerente ‘do banco’! Analisar as tarifas que aparecem no nosso extrato bancário e como fazemos para nos livrar delas, caso sejam além do que contratamos. Tente mesmo negociar a sua cesta de produtos de acordo com o que você usa. Se tiver título de capitalização no seu nome ou no nome de seus filhos, pare os débitos hoje mesmo e saque o dinheiro e deixe numa poupança ou invista em uma corretora de valores. Não invista pelo banco, eles cobram taxas que as corretoras de valores fazem de maneira gratuita.

Tenho certeza de que nada acontece por acaso. E como deixamos Deus no controle de tudo ele vai nos mostrando as melhores oportunidades e as possibilidades de entrevistas que possam nos trazer informações úteis para o nosso propósito. Que este post faça você levantar da cadeira ou do sofá e estreitar o relacionamento com o seu banco, entendendo, exatamente, os seus direitos e o que você não precisa pagar porque não é obrigado.

E daqui, sigo pedindo a Deus que Ele continue NOS orientando e NOS abençoando em todos as áreas das NOSSAS vidas. 😉

“Sem ação, sem transformação”, garante John Viudes

Dia 126/365:

Gente, vamos para a segunda parte deste gostoso bate-papo com o John Viudes, coach especialista em inteligência emocional. Como ele é coaching,  o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ ficou interessado em expressões como mudança, ressignificação e transformação.

Palavras que tem tudo a ver com o que estamos fazendo e, claro, para NOS ajudar neste propósito. Você está preparado para ler as respostas dele? Pode ser que doa. Sim, mudar dói. Dói, mas não mata. Graças a Deus né, gente? heheh

Ah, antes de soltar a segunda parte da entrevista com o John, quero comemorar com vocês, já somos mais de 700 no Facebook, sem impulsionamento, de forma orgânica, o que é mais legal. Estamos buscando naturalmente, agentes multiplicadores e pessoas que estejam interessadas em viver e compartilhar esta experiência.

Fui buscar a história do John Viudes e todo o seu aprendizado para que entendamos – você e eu – (de uma vez por todas) que as mudanças na nossa vida só dependem da gente mesmo.  E o que me dá esta certeza? A trajetória dele! John é mais um exemplo de superação que vai nos ensinar muita coisa. E trago pra você, com exclusividade, com a certeza de tudo que Deus pode fazer em nossas vidas!

Existe uma fórmula para a mudança? Nossos conceitos, nossas atitudes podem ser reprogramados?  Podemos mudar qualquer comportamento que não nos leve para o caminho que gostaríamos de estar. Ninguém é predestinado a viver uma vida ‘na média’ pela situação limitante que se encontra hoje. Mas para isso é preciso entrar em ação e buscar um método eficiente para realizar essa mudança. ‘Sem ação, sem transformação’.

Não acredito em uma pílula mágica para a mudança em que a pessoa se torna milionária da ‘noite para o dia’ sem nenhum esforço, método ou decisão consciente disso. Mas eu aprendi, na prática, estudando com os melhores profissionais de desenvolvimento pessoal que mudanças acontecem rápido. O que as vezes pode demorar são os resultados destas mudanças.

A neurolinguística mostra que é possível reprogramar as crenças, traumas e filtros que hoje te impedem de ir além e conquistar resultados melhores. Uma crença é um caminho neural gravado em seu cérebro por meio de repetição ou de uma experiência resultante de alto impacto emocional. Essa rede neural dita os seus comportamentos e, consequentemente, determina os resultados que você tem na sua vida.

O fato surpreendente é que a neurociência revelou que mudanças rápidas acontecem por meio de experiências de alto impacto emocional. Um método que permita de forma voluntária experiências emocionais impactantes contribui para reprogramar crenças e filtros limitantes, que determinam seus resultados de vida. É exatamente este ambiente de alto impacto emocional que trago no Seminário de Inteligência Emocional Intensivo, que será realizado no dia 27 de janeiro em Jundiaí. Saiba mais sobre o seminário na página do Facebook, do John Viudes.

De que forma essa decisão precisa ser processada pelo cérebro? Como podemos fazer isso? Eu ensino nos meus treinamentos que a sua comunicação determina os seus sentimentos. Com base nesse estado emocional você entra em ação e produz os resultados que você tem na sua vida. A melhor forma de tomar uma decisão de mudar seu estilo de vida começa por mudar a sua comunicação. E por comunicação você pode entender os seus diálogos internos e pensamentos, a sua comunicação verbal e também a sua fisiologia – os seus gestos e postura.

Quando você muda sua comunicação seu cérebro produz uma nova química liberando neurotransmissores que alteram os seus sentimentos. Este novo estado emocional te permite ter mais recursos para melhorar suas ações e assim produzir resultados mais positivos.

Uma pessoa comum tem em média 70.000 pensamentos por dia. Se você entendeu que a sua comunicação dita os resultados que vem tendo e que seus pensamentos liberam uma estrutura química que altera seus estados emocionais a pergunta é: a maioria dos seus pensamentos são capacitadores ou limitantes?

Ser feliz é uma meta que pode ser estabelecida? Ser feliz é uma escolha. Você pode escolher ser feliz a qualquer momento, de forma incondicional. Tenho visto muitas pessoas perseguirem a felicidade imaginando que a encontrarão quando tiverem posse de bens materiais, viagens ou do relacionamento perfeito. Estas pessoas estão esperando ‘ter para ser’ quando na realidade o meio mais eficiente é ‘ser para ter’.

E nesse processo você consegue experimentar a felicidade durante a jornada e não apenas no final. Além disso, você passa a valorizar aquilo que você tem hoje e exerce o poder da gratidão na sua vida. Tem pessoas que desejam se tornar milionárias, mas não conseguem ser gratas pelo pouco que têm hoje. A gratidão destrava as portas para que você tenha uma vida extraordinária.

Espero que tenha aproveitado esta oportunidade com o John Viudes e os aprendizados que este encontro nos proporcionou. É importante não só ler, mas tentar levar pra a vida. Tenho certeza de que foi uma inspiração de Deus falar com ele anteontem. Assim como é inspiração de Deus o NOSSO propósito, a NOSSA caminhada, eu aqui, vocês daí. E Deus entre NÓS! 😉

Como foi a sua primeira semana?

Dia 123/365:

Ano Novo já começou minha gente. Uma semana já foi e hoje completamos 1/3 do nosso desafio. E como é que está o seu planejamento para este ano? Já está colocando em prática?

Não adianta dizer que está em férias e que depois vê isso! Depois, não! Agora! Lembra do desafio de sair da zona de conforto? Então, o quanto antes melhor. Já ouviu aquela frase que é muito usada nas redes sociais como meme: “Aceita que dói menos”? Pois é, aceita que este ano você vai controlar suas despesas e vai poupar. E não vai só doer menos, vai trazer muitos resultados positivos. Pode esperar.

Estou aliviada. Uma resposta que eu aguardava chegou e foi positiva, graças a Deus! Como é bom deixar o seu caminho nas mãos de Deus e deixar que ele direcione… Deixar e confiar… Isso acaba com aquela sensação de ‘e agora?’, é libertador.

Mas sobre nossas finanças, ficar no azul também é libertador. Conseguir guardar dinheiro então? Nem se fala, não é mesmo? Mas quando pensamos em dinheiro, às vezes, as coisas podem não sair exatamente como a gente planeja ou imagina.

Passei por isso no início deste desafio, quando queria resultados imediatos. E o Pedro Braggio, educador financeiro, sempre aconselhando, com a maior paciência do mundo: “tenha calma, agora que você parou de gastar, fica sim, esta ansiedade por ver os resultados, mas eles só vão aparecer quando você terminar com as dívidas” e ele estava completamente certo.

Como quando entregamos nas mãos de Deus, temos que confiar no que estamos fazendo. O planejamento é para isso: a sua reserva financeira, ou o seu colchão financeiro precisa ser recheado para evitar que você surte com os imprevistos e não fique com aquela sensação de que o dinheiro te domina.

Não, nós é que dominamos o dinheiro. Ele é que trabalha para nós e não o contrário. Então, para atingir o bem-estar financeiro, nós temos que planejar. Mas você deve estar se perguntando, o que é bem-estar financeiro? Para atingir o bem-estar financeiro, você precisa estar em dia com suas obrigações financeiras (sem dívidas), sentir-se seguro com relação ao futuro, poder escolher e aproveitar o que a vida tem de bom (lazer) e ser capaz de lidar com os imprevistos.

É o sonho de consumo de 10 entre 10 brasileiros, não? Sim e nós podemos. Acredito que já estamos no caminho, não é mesmo? Mas se você tem alguma dúvida, aproveite estas dicas:

1. Acompanhe e controle suas finanças;

2. Tenha em mente que imprevistos acontecem com todos;

3. Pense no amanhã;

4. Não sofra para guardar dinheiro;

5. Faça planos, trace estratégias para chegar lá;

6. Compre à vista, fuja do crédito (de todos os cartões);

7. Domine a sua vontade.

Espero que ao avaliar como foi a primeira semana do ano, a sua avaliação seja positiva, como a minha. Vamos conseguir, estamos cada dia mais perto dos nossos objetivos. Com Deus no controle e no comando de todas as coisas: NOS abençoando e NOS indicando sempre as melhores possibilidades e oportunidades. Vamos juntos! 😉