O que o Filho Pródigo pode nos ensinar sobre dinheiro

Dia 297/365:

Hoje, saiu a nova edição do jornal da igreja e meu texto sobre Educação Financeira está lá! E para a Glória de Deus, que inspirou este tema, reproduzo aqui para você também!

A regra para uma situação financeira equilibrada é gastar menos do que ganha.

Educação financeira é um assunto que podemos aprender em muitos lugares e das mais diversas formas. Mas hoje, a fonte de aprendizado é a Bíblia. Sim, você sabia que a Bíblia traz profundos ensinamentos sobre o trato com o dinheiro?

A parábola do Filho Pródigo é um bom exemplo. Esta talvez seja uma das mais conhecidas parábolas de Jesus. Ela está Evangelho de Lucas (15:11-32). Você conhece esta passagem. Mas você sabe o significado da palavra pródigo?

Pródigo significa desperdiçador, extravagante… O filho pródigo sai pelo mundo com sua herança e, depois de perder TODA a sua fortuna, volta para casa arrependido. Com esta parábola, Lucas nos faz repensar todos os erros que cometemos ao longo de nossas vidas com relação ao dinheiro.

O perigo da relação com o dinheiro não está em quanto você ganha. Claro que todos que trabalham merecem ser reconhecidos pelo seu esforço e dedicação com bons salários, mas você pode não ter uma vida financeira equilibrada por conta da forma como você gasta o seu dinheiro.

Os ensinamentos do Filho Pródigo:

– Espere em Deus: o filho pródigo não soube esperar nem o falecimento de seu pai para receber a herança. Vivemos em um mundo onde o imediatismo reina. É por isso que as compras em parcelas a cada dia aumentam. Ninguém mais tem paciência (e disciplina) para juntar dinheiro e depois comprar.

 – Valorize sua família: o filho pródigo trocou a segurança da família para se aventurar no mundo, instigado pelas riquezas. Vivemos em uma sociedade que nos avalia pelo que temos e não pelo que somos. Andamos constantemente ansiosos por questões financeiras. Estamos rodeados por propagandas que valorizam o “poder” do dinheiro.

– Deposite sua fé em Deus: imaturo e inexperiente, o filho pródigo não queria uma vida de trabalho e acreditava que a resposta para suas frustrações estava no dinheiro. Cuidado, ele depositou a sua felicidade no dinheiro.

– Faça uma reserva financeira: a extravagância fez que o filho pródigo perdesse tudo. Ele não guardou, não poupou, não economizou e não investiu. Ele não separou os 10% de Deus, gastando tudo que tinha. Não pense somente no dia de hoje.

Espero que goste! Um beijo e fique com Deus! 😉

Usei a mão da minha mãezinha para ilustrar a força do amor e do perdão!

O que o Filho Pródigo tem a nos ensinar sobre educação financeira

Dia 167/365:

Educação financeira é um assunto que podemos aprender em muitos lugares e das mais diversas formas. O ‘Obrigada, estou apenas olhando’ é uma fonte de aprendizado, assim como a Bíblia. Sim, você sabia que a Bíblia traz profundos ensinamentos sobre o trato com o dinheiro. E não estou falando de dízimos e ofertas…

A parábola do Filho Pródigo é um bom exemplo. Você já ouviu falar dela não? Esta talvez seja a mais conhecida das parábolas de Jesus. Ela está Evangelho de Lucas (15:11-32), que relata que a um filho mais novo é dada o que lhe cabe da parte de sua herança.

Pra começar a análise, vamos explicar o significado da palavra pródigo: desperdiçador, extravagante. Por aí você já pode associar para que lado vamos com este post. O filho pródigo sai pelo mundo com sua herança e, depois de perder TODA a sua fortuna, volta para casa arrependido.

Com esta parábola, Lucas nos faz pensar em todos os erros que cometemos ao longo de nossas vidas com relação ao dinheiro.

Um dos equívocos do Filho Pródigo foi acreditar que o dinheiro seria a fonte da sua felicidade. Ele trabalhava com o pai na fazenda, era imaturo e inexperiente, mas ele não queria mais aquela vida de trabalho e de seguir as regras da família.

Ele conseguiu a parte que lhe cabia da herança, mas depois de esbanjar tudo, volta pra casa, para o lugar que tinha como referência de um porto seguro. A gente sabe que o dinheiro ajuda, que traz conforto, que compra coisas, que realiza sonhos, mas não podemos depositar nossa felicidade nele. O dinheiro tem que nos servir e não nós a ele.

Outro erro que ele cometeu  foi o desperdício. Ele gastou todos os seus bens, consumiu tudo. A extravagância  fez com que perdesse tudo. Ele não guardou, não poupou, não economizou e  não investiu. Muita gente é assim até hoje. Eu era assim…

E por ser imaturo, ele não imaginava que tudo poderia acabar um dia. Por não prever que o dinheiro teria fim, ele sofreu as consequências. Hoje em dia, quem age desta forma, não leva em consideração, por exemplo, o desemprego, crises econômicas… Vive como se não houvesse amanhã… Fazer uma provisão financeira é se preparar para um amanhã incerto.

Com o Filho Pródigo, eu também caí na real e percebi tudo que vinha desperdiçando. E você, já se fez esta análise? Já cometeu algum erro como o do filho pródigo? Você está desperdiçando seus bens ou poupando, investindo e fazendo prosperar? Está perseverando em seus sonhos, se planejando e trabalhando para colocá-los em prática?

Espero que a parábola do Filho Pródigo te sensibilize, assim como faz comigo. Espero que sempre que estivermos andando por caminhos tortuosos, possamos reconhecer nossos erros para voltarmos para o caminho do bem, da prosperidade e para o amor de Deus.  Que Ele continue NOS mostrando os melhores caminhos, as melhores oportunidades e NOS livre de todo o mal. 😉