Medo de investir? Eu também tinha!

A gente sabe que o medo atrapalha em muito a vida das pessoas. Medo de dirigir, medo do escuro, medo de água, medo de investir… Eu tinha todos estes, mas aos poucos fui superando um a um e o “Obrigada, estou apenas olhando” tem sido minha testemunha. Matricule-se numa auto-escola, deixe sempre uma mini-lanterna perto da cama, vá aprender a nadar e, principalmente, vá estudar sobre finanças pessoais e investimentos.

Mas de todos eles, acho que o medo de investir é um dos mais perigosos, ele impede as pessoas de alçar novos voos e conquistar novos objetivos financeiros. A máxima de que a caderneta de poupança é segura é verdadeira, mas de que adianta ser seguro, se o rendimento é mínimo, como se estivesse parado?

Então, deixe de lado estes fantasmas e mitos que estão te impedindo de crescer. Na XP Investimentos, por exemplo, os perfis de investidor giram em torno de três: conservador, moderado e agressivo. Então, deixe de perder dinheiro sendo conservador e seja mais agressivo! Ouse mais e colha os frutos desta mudança de atitude.

Nós não tivemos educação financeira nas escolas e, por isso, temos que estudar por conta própria. Vale lembrar que em tempos de taxa Selic baixa e tantas mudanças na economia, é preciso saber investir bem para não perder oportunidades e fazer o dinheiro render bem. As denominações para os diferentes perfis vão de acordo com a relação entre risco e retorno que o investidor quer assumir.  Quer entender um pouco mais? Dá só uma olhadinha:

1: Estude sobre finanças pessoais: quebre este tabu na sua vida e vá estudar sobre o assunto: sites, blogs de corretoras de valores, cursos de educação financeira podem te ajudar a entender melhor este universo. E não se culpe não, a gente não teve esse ensinamento nas escolas, a culpa não é sua!

2: O mercado financeiro: você vai aprender que o mercado financeiro leva sempre em conta 3 aspectos principais: risco, retorno e liquidez. O investidor deve sempre pensar nessas 3 palavras antes de tomar uma decisão de como investir seu dinheiro.

3: Invista todo mês: separe todo mês um valor, religiosamente, para investir. Se você ainda não sente segurança para investir sozinho, comece com quantias pequenas, mas não deixe que a inércia tome conta de você.

4: Corretora de Valores: abra uma conta numa corretora de valores: existem um monte hoje em dia: XP Investimentos, na minha cidade, ela é representada pela iTrade Investimentos; Modal, Clear; Easyinvest; entre outras…

5: Estabeleça metas: qual seu objetivo? Comprar um carro novo, uma casa, viajar o mundo, se aposentar? Você pode qualquer coisa!

Que Deus nos inspire e oriente pelos caminhos dos investimentos e segure nossos cartões de crédito dentro da carteira! Amém!

Diga não ao título de capitalização!

Dia 22/365:

Quem nunca recebeu a proposta do seu gerente do banco ou do telemarketing para fazer um título de capitalização que atire a primeira pedra. Todo mundo né? No meu caso foi pior ainda, eu procurei o banco para fazer o tal título.

Acreditando que estava fazendo a coisa certa, fiz isso em março deste ano, por 24 meses… Ai, Jesus amado, se eu tivesse participado deste curso de Reeducação Financeira antes, teria evitado perder dinheiro.

Aí você lê isso e se pergunta? Perder dinheiro? Mas título de capitalização não é investimento? E eu respondo: NÃO! Quer dizer, só se for pro banco! Sim, meus amigos, comprando títulos de capitalização você está perdendo dinheiro!

Quando seu gerente te oferecer alguma modalidade de investimento como planos de previdência e títulos de capitalização, não aceite. Procure informações sobre outros investimentos e não acredite fielmente no que diz o seu gerente. Lembre-se, ele é gerente do banco e não seu! Ele trabalha para o banco e não para você! Então, meus queridos e minhas queridas, ele vai oferece pra você o que beneficia o banco!

Diga não aos títulos de capitalização.De acordo com Pedro Braggio, educador financeiro, ao comprar um título por R$ 100,00 mensais, por exemplo, o banco vai debitar este valor da sua conta por, pelo menos, dois anos. “Sai R$ 100,00 da sua conta, mas o rendimento não é sobre este montante. Deste valor, uma porcentagem vai para um fundo que o banco utiliza para fazer os sorteios para todos os clientes”, explica. “O seu rendimento será sobre o que sobrou”, anuncia.

Como a gente sabe de nada, né? E pensar que quando o gerente explica que poderemos participar de sorteios, você pensa (uau!) como o banco é bonzinho. Bonzinho uma ova! Se você for sorteado (alguém conhece alguma pessoa que já tenha sido sorteada?) sorte sua! Se não for, tá perdendo dinheiro sim!

Ontem, liguei para o banco e cancelei os meus títulos (sim, eu tinha dois!). Pedro explicou que este mesmo valor que eu depositava, posso continuar fazendo diretamente para a minha poupança. “Vai render mais. Aquele montante deixa lá até poder resgatar e, quando resgatá-lo, você usa para rechear o seu colchão financeiro”, aconselhou, quando liguei desesperada para saber o que eu fazia, pois, o banco não autorizou o resgaste, somente o cancelamento.

E vamos que vamos. A gente vai vivendo e aprendendo e que Deus NOS ajude a aprender cada vez mais!