O futuro a Deus pertence, mas honre sua vida até lá

Dia 323/365:

Viver como se não houvesse amanhã ou deixar a vida te levar não é um bom conselho financeiro. E o “Obrigada, estou apenas olhando” vai te explicar o porquê.

O brasileiro esquece que vai envelhecer e, por isso, não consegue guardar dinheiro ou investir. As pesquisas apontam que poucos têm o hábito de “pensar no futuro”.

Quando as pessoas começam trabalhar e a gerar renda, elas não conseguem se organizar na ansiedade de gastar tudo agora, sem pensar ou se imaginar lá na frente. Pensam de forma imediata.

Não se esqueça de adaptar-se à cada nova realidade de vida. Mudar de emprego e ganhar menos, não significa que você deve continuar mantendo o mesmo padrão de vida, uma vez que a sua renda diminuiu. nova realidade de vida. Ou então uma família de 3 filhos com uma casa grande: quando esses filhos se saem de casa, o casal não precisa mais de uma casa grande. O ideal seria se mudar para uma casa menor e diminuir seus gastos para aproveitar melhor a renda.

Estão entendendo que se adaptar é fundamental para a saúde financeira agora e no futuro.

Já foi o tempo que uma pessoa com 60 anos era considerada velha. Hoje, essa geração cuida da saúde, do corpo e continua ativa. Aproveite também para se enriquecer por dentro. Fuja da armadilha de se achar velho e inapropriado para o mundo atual; ou, ao contrário, achar-se o senhor da verdade. Procure colaborar e ser útil para o mundo, ensinando o que sabe e aprendendo com as novas gerações. Essa também é uma maneira de se manter dinâmico e usufruir tudo o que conseguiu economizar.

Vamos viver o hoje sim, mas não nos descuidemos do futuro. Mantenhamos pelo menos um rabinho de olho daqui a 20 ou 30 anos. A partir do momento que nos imaginarmos lá, vamos conseguir definir como queremos chegar. Então pense e faça acontecer. Planeje!

O futuro a Deus pertence sim, mas temos que honrar este futuro e fazer o melhor a cada dia! Com fé Nele e a certeza de que Ele cuida de nós! 😉

Não deixe que as dores da vida definam sua forma de usar o dinheiro

Dia 310/365:

Prepare-se porque o “Obrigada, estou apenas olhando” vai continuar com as perguntas que fazem refletir.  As perguntas são do outro livro do Tiago Brunet, “Dinheiro é emocional”.

Mas o que me chama a atenção nesse livro é a relação com a saúde emocional da pessoa endividada. A liberdade emocional, segundo Brunet, está intimamente ligada à prosperidade financeira.

E liberdade emocional ele descreve como frutos do Espírito Santo: domínio próprio (sobre a sua própria vontade), mansidão (brandura na maneira de agir, de se expressar), paciência, amor, alegria, bondade e fé.

Agora vocês entendem porque sempre falei de fé aqui no “Obrigada, estou apenas olhando”, porque é a fé que tinha que cumprir este propósito iria ajudar a minha vida financeira. E tem ajudado.

Dominar a vontade de gastar, de comprar, de abarrotar o meu guarda-roupas de coisas e mais coisas foi o ponto alto deste desafio. Os primeiros três meses foram os mais difíceis. Como se estivesse me desintoxicando.

Os outros sentimentos: mansidão, paciência, amor, alegria e bondade estão no mesmo balaio. O da empatia. A partir do momento que você se colocar no lugar do outro vai sentir e expressar todos esses sentimentos. A partir do momento em que você trata o outro como gostaria de ser tratado, dar amor, falar com ternura, agir com paciência, viver com alegria e ser bom fará parte do seu dia a dia.

Sei que existem pessoas que não gostam de mim. E, às vezes, parece que quanto mais tento ser gentil, educado e solícito, mais as irrita. Uma amiga, a Ana, uma vez me disse que somos espelhos. E o que irrita a outra pessoa não é o fato de você estar tentando ser gentil com ela, mas o fato de ela enxergar na sua atitude algo que ela nunca vai conseguir alcançar. Faz sentido, mas não é por isso que vou parar.

O caminho? Continuar dando amor. Se a sua saúde financeira, depende do seu equilíbrio emocional, faça a sua parte! O resto vem. Eu posso garantir. Brunet ainda deixa um último conselho neste livro que vou transcrever (ele fala de Deus o tempo todo, nisso, graças ao NOSSO PAI, somos parecidos), com a certeza de que todo mundo deveria ler esse livro. Quem quiser, eu empresto!

“Quem tem inteligência emocional e espiritual, sabe que Deus escolhe administradores de suas riquezas aqui na terra. Quem guarda o coração, não permite que as dores da vida definam sua forma de ver e gastar dinheiro”, Tiago Brunet. (Glória a Deus, eu creio!)

Aproveite as perguntas para refletir um pouco mais nesta relação conturbada da emoção com o dinheiro. 😉

  1. As frustrações do passado influenciam o seu presente/futuro financeiro?
  2. Você serve ao dinheiro ou ele serve a você?
  3. O dinheiro compra alguma necessidade da alma?
  4. Você sabia que crise não é só falta de algo, mas excesso também?

 

 

 

Feliz no presente, poupando para o futuro

Dia 274/365:

O ‘Obrigada, estou apenas olhando’ quer saber:  você acredita ser possível viver (feliz) o presente e, ao mesmo tempo, poupar para o futuro? Sim é! E eu vou te explicar como.

Imagine ter liberdade para fazer escolhas que lhe permitam aproveitar tudo que a vida tem de bom e ser feliz. Imaginou? Agora, some a isso conseguir guardar dinheiro para imprevistos, controlar suas finanças e ainda programar um futuro mais tranquilo, financeiramente falando. Seria a glória, não?

Tudo isso é possível. Eu ainda estou na fase de controlar as finanças e guardar dinheiro para imprevistos. Uma vez que não estou podendo gastar com supérfluos (e supérfluos leia-se passeios, viagens, compras). Se bem que você se lembra que não abro mão do cineminha né?

Você sabe também que o meu tratamento de choque com o desafio de ficar um ano sem compras foi uma medida drástica, porém, necessária. Mas o controle financeiro não precisa sufocar suas possibilidades de aproveitar a vida. A gente não precisa trabalhar apenas para poupar. É mais ou menos isso que estou fazendo, mas foi preciso para aprender.

Faz parte do bem-estar financeiro usufruir do dinheiro que você ganha. É só aprender a fazer isso de modo que não comprometa o seu orçamento. Administrar o dinheiro faz toda a diferença. Você sabia que segundo o SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito), apenas 12% das pessoas têm condições de aproveitar a vida e a culpa, segundo alegam, é a forma como administram o dinheiro que ganham?

Mas, pensa comigo, desfrutar o presente está relacionado apenas com dinheiro ou bens materiais? E para mudar essa situação, você precisa viver de bem com as finanças não é só ter dinheiro sobrando no bolso, mas saber investir para assegurar o futuro, aproveitar o presente e poder lidar com imprevistos a qualquer momento. Como? Assim ó:

Proteja-se contra imprevistos: esteja preparado, pois, eles acontecem. Poder contar com uma reserva própria, nesses casos, evitará muitas noites em claro. Reserve parte das suas receitas, todo mês. Faça disso um hábito e quando menos esperar, estará poupando sem sofrimento.

Controle sobre as finanças: você controla suas finanças ou elas te controlam? Muita gente tem medo que o dinheiro acabe ao longo do mês. Se você vive neste dilema, precisa se libertar e fazer o seu dinheiro trabalhar para você. Confronte-se com a sua realidade. Viva de acordo com seus padrões financeiros, coloque na ponta do lápis, numa planilha ou aplicativo, todos os seus gastos e ganhos. Estabeleça prioridade e corte gastos.

Sonhe e trace metas: sonhar apenas não vai te levar a lugar nenhum. Você precisa ter metas. E qual a diferença? A partir do seu sonho, planeje o que quer, em quanto tempo e quais recursos para conseguir. Não, não é simples! Mas é possível! E eu sei que você vai chegar lá! Só tomar a decisão! Agora! Vamos?

Que Deus abençoe sua vida, seus sonhos, suas metas e estratégias para chegar lá! Lembre-se Dele e também daqueles que precisam. Comece a incluir em seu planejamento financeiro uma ajuda ao próximo, que às vezes pode estar bem mais perto do que você imagina 😉

O final será melhor que o início

Dia 255/365:

Hoje, na igreja, o tema da pregação do evangelista foi “O final é melhor que o início! Amém! A gente precisa manter acesa a chama da fé e da esperança e não desistir! Com o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ já vivi várias fases e, mesmo em meio ao desespero e à frustração, mantive a determinação de chegar até o fim deste desafio.

Este propósito está acabando. Menos de 4 meses. E junto com você aprendi muito e ainda estamos colhendo os frutos desta mudança. Já contei pra vocês como minha vida mudou e não só porque parei de comprar… heheh As transformações são frutos da minha conversão, porque eu acredito que Deus tem o poder de transformar.

E transformou. Veja o meu caso: este desafio começou a partir do susto com um pequeno acidente. A tomada de decisão foi difícil, dolorosa e, apesar de não ter dívidas, não tinha dinheiro investido. Não tinha planejamento, nem reserva financeira e nem um propósito. Não sabia o que queria e nem pensava nisso ou em como garantir o futuro.

Em 8 de setembro, ao final deste desafio, poderei contabilizar tudo que ele trouxe de bom. Todos temos nossas lutas. Você mesmo pode estar passando por uma neste instante: doença, dívidas, desemprego, desesperança… Mas posso te dizer: o seu final será melhor que o início! O seu futuro será melhor que o seu presente.

Faça um propósito com Deus e leve-o para a sua vida, deixe-o enfrentar os seus problemas junto com você. Estabeleça prazos para sair desta situação e abra seus olhos, seus ouvidos e o coração para os ensinamentos e para as oportunidades de aprender e coloque-as em prática. Pode acreditar, este é o caminho e vai dar certo! Com a graça de Deus 😉