Quer controlar seus gastos? Anote tudo!

Dia 121/365:

Como as minhas faturas com cartões de loja acabaram, a partir de agora tem que sobrar mais dinheiro no fim do mês. Mas mesmo assim, tenho que saber quanto estou gastando no mês, com supermercado, almoços, combustível e por aí vai.

E quando a gente pensa em controle de gastos, a principal dica é anotar tudo. Precisamos educar o nosso cérebro a entender que estamos gastando demais. Isso vale pra mim e pra você. E não só porque estou neste propósito de ficar um ano sem compras, mas vale pra vida toda e não somente para o período que vai até setembro deste ano.

Com o simples ato de anotar todos os seus gastos, você já está exercitando o seu cérebro para entender o quanto já foi gasto no período. Assim, quando você for comprar coisas supérfluas, vai pensar duas vezes, pois, vai lembrar-se de tudo que já gastou.

Anotando seus gastos, você vai conseguir enxergar melhor suas despesas, o que vai te permitir apontar para onde está indo o seu dinheiro. Faça isso por 30 dias, a partir do momento que você recebe o seu salário.

Ao final dos 30 dias você terá um verdadeiro mapa das suas finanças: o que entrou, quanto saiu e pra onde foi. Para se organizar não tem milagre, tem trabalho. Você precisa saber quais são seus gastos e o peso deles na sua renda mensal.

Se quiser ir além, faça um exame mais completo. Examine os últimos 30 a 60 dias do extrato bancário e confira os lançamentos dos últimos dois meses na fatura do seu cartão de crédito (banco e lojas). Esta análise vai te ajudar a entender seus gastos: separe o que são despesas fixas e comece a diferenciar o essencial do dispensável, como eu fiz.

Foi a partir deste exame que parei com as compras nas lojas hehehe Você vai, como eu, se surpreender. Outro dia, quando expliquei a regra dos 50/30/20 para uma amiga, ela respondeu enfática: ‘não tenho como fazer isso, não consigo, meus gastos são maiores do que 50%”. Se você está na mesma situação que ela, das duas uma: ou você reduz seus gastos, economizando com telefone, tv a cabo, aluguel (mudando para uma casa ou apartamento menor); ou aumenta sua receita, mudando de emprego ou fazendo um outro trabalho paralelo que lhe dê uma renda extra (fazer doces ou salgados, dar aulas particulares, vender roupas, sapatos ou cosméticos).

Como eu disse lá em cima, finanças pessoais não é milagre é matemática, ou seja, uma ciência exata. Assim, se você ganha R$ 1.000,00 e gasta R$ 1.500,00 esta conta NUNCA vai fechar. O ideal seria você ganhar R$ 1.500 e guardar R$ 500,00: riqueza pura! hehehe

Para controlar o meu dia a dia, uso o aplicativo Pedro Braggio. Acesse e veja como conseguir o aplicativo que vai te ajudar a controlar suas finanças.

Mas estamos no início do ano. Este é o primeiro fim de semana de 52. Temos tempo para poupar e para aprender. Temos tempo para que decidir buscar a Deus e trazê-Lo para nossas vidas. Deixe que Ele te contamine, deixe que Ele tome conta da sua vida… E é desse jeito que eu tenho certeza de que vai dar tudo certo. 😉

 

5 maneiras de controlar a bola de neve que virou a sua vida financeira

Dia 104/365:

Hoje, conversando com uma amiga (vou chamá-la de Ana), ela comentou como não consegue sair do círculo vicioso que é a sua relação com o dinheiro. E pediu ajuda. Não tema, minha amiga, o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ vai te ajudar heheh. E nossa conversa serviu de inspiração para o post de hoje.

Você já sofreu com o efeito bola de neve? Como é isso? É aquela situação em que um ato impensado (uma compra por impulso, por exemplo) pode dar início a um problema financeiro maior.

Veja o que aconteceu com a Ana: mês passado, ela decidiu trocar o celular por outro modelo mais moderno. Parcelou em 10 vezes (sim, você já deve estar imaginando a minha cara né? heheh) 😮  E como não foi uma compra planejada, ela ficou suscetível aos imprevistos. Não que você não possa comprar, não é isso. Mas ela poderia programar a compra para mais tarde e poupar o dinheiro agora e depois comprar à vista.

Mas a coisa começou a piorar quando este mês, ela precisou fazer um tratamento odontológico (imprevisto) e agora? Ela não tem plano de saúde, então vai ter que bancar o tratamento. Só que vai se apertar, porque está pagando o celular que comprou o mês passado. Aquele mesmo, que ela não precisava. A compra não programada mais a despesa inesperada com o tratamento fez com que ela perdesse as rédeas das suas finanças. E bem agora, no fim do ano.

Aí ela vira pra mim e diz: ‘E agora? Fim de ano. Logo vem IPTU, IPVA …”. Calma, vamos por partes. Devolver o celular não dá mais tempo, então, ele terá que ser pago. O tratamento também terá que ser parcelado. Mas a boa notícia é que ela não tinha gastado todo o 13º salário, então, o que sobrou desta renda extra ela vai guardar na poupança para usar o ano que vem com os impostos.

Ela me prometeu não comprar mais nada até o fim do tratamento. O caso dela foi fácil de perceber onde ela se enrolou. Mas sempre que tiver vontade de comprar algo que está fora do planejamento, analise as verdadeiras razões que te fazem querer consumir. Fique atento às suas emoções, elas podem ser um bom termômetro. Não vá ao shopping se estiver chateada. Faça uma pipoca, coma chocolate… Quando estiver de TPM, não saia de casa hehehe

A gente sempre acha uma justificativa para as nossas compras. Seja uma coisa negativa ou para comemorar uma coisa boa, como uma promoção, por exemplo. Mas a Ana aprendeu a relacionar  a vontade de comprar ao seu estado de espírito. Para pensar:

1. Tente diferenciar o que precisa do que quer. É importante você saber isso!

2. Quando você vai ao cinema, balada, almoçar ou jantar fora. Estes pequenos prazeres te atrapalham financeiramente?

3. Você poupa? Para conseguir poupar, tente se organizar financeiramente.

4. Você costuma ceder aos apelos de vendedores que tentam te empurrar peças em liquidação?

5. Coloque no papel suas despesas e sua receita. Assim, você consegue visualizar e se planejar. Esta é uma ótima oportunidade para você enxergar o que compra, como compra e se perguntar porque está gastando mais do que deve.

Sim, é dolorosa esta avaliação. Assim como foi o meu curso de Reeducação Financeira com o Pedro Braggio. Uma vez, fui até ele reclamar da frustração de não poder comprar. E ele me aconselhou. “Quando se sentir frustrado, desanimado ou com autoestima afetada, procure fazer algo que goste – sem gastar, claro. Um exercício físico, papear com os amigos, brincar com o cachorro, procure colocar em prática atividades que lhe dê prazer e verá que existem outras maneiras de se divertir”. E ele está certíssimo, gente.

Existe sim outras maneiras de se divertir. Estar aqui com vocês é uma das minhas novas paixões. Pedir a Deus que NOS abençoe, NOS proteja e NOS mantenha sempre em segurança e fazendo as melhores escolhas também é! 😉