Quebrou? Conserta e paga à vista

Dia 286/365:

E quando algo que você usa todos os dias quebra? Pois é, hoje meu computador foi novamente para o conserto. Mas a coisa foi mais séria hoje: teve que formatar. E, graças ao ‘Obrigada, estou apenas olhando’, não cedi à tentação do parcelamento no cartão heheh

O Jean, dono da Codarin Informática, sempre me ajuda. Acredito que é um dos melhores prestadores de serviço da área. Quando precisei a primeira vez, levei o notebook até ele, mas depois, diante da minha aflição e necessidade do computador, ele foi até onde eu estava (num evento de um dos meus clientes) para entregar o aparelho novinho em folha.

Agora, o problema foi com a lentidão dele. Diante do bom atendimento anterior, você imagina que eu buscaria outro profissional? Nem pensei duas vezes e mandei uma mensagem no whatsapp da Codarin. Ele veio ver o computador e orientou o precisava ser feito e resolveu tudo rapidinho e me entregou o notebook antes do horário previsto (senão, não estaria agora escrevendo aqui).

Ele me deu a opção de parcelar em até 3 x. Mas fui forte e pedi para pagar à vista. E ganhei desconto, claro! Peço mesmo, sem medo e sem vergonha. No máximo que pode acontecer é ele dizer não. Mas o não eu já tinha, então fui em buscar do sim.

O valor do reparo saiu da minha reserva financeira. É para isso que ela serve. Assim não preciso impactar meu planejamento futuro com parcelas extras no cartão de crédito. E no próximo mês, vou repor este valor que tirei, para não desfalcar o meu colchão.

Estas são as orientações do nosso educador financeiro, Pedro Braggio. Esta é uma lição que se aprende na prática. Agora você entende a importância da reserva financeira? Você precisa ter uma para te socorrer em momentos como este.

Reserve da sua renda um valor. Faça como se fosse uma conta a pagar, todo mês e inclua no seu planejamento. E quando um pneu furar, um computador quebrar, você vai saber onde recorrer sem impactar o seu orçamento futuro.

Fica por aqui. Todos os dias aprendemos alguma coisa. Agora estou pesquisando para resgatar os pontos do Livelo. Tá lá parado e corro o risco dos pontos expirarem. Depois conto para vocês. Mas vai ser sem gastar. Vou usar apenas os pontos que tenho. Vamos ver o que vou conseguir.

Até amanhã e que Deus continue NOS protegendo e NOS abençoando em todos os momentos. NOS orientando em cada decisão e NOS mostrando como é bom ter um relacionamento tranquilo com nossas finanças. 😉

 

 

Pare de sabotar seu bolso, sua carteira, suas finanças…

Dia 244/365:

A gente já falou sobre os sentimentos sabotadores do nosso dia a dia e que podem impactar diretamente o nosso orçamento. Mas hoje, o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ vai abordar algumas atitudes que também podem sabotar a sua carteira, o seu bolso, as suas finanças…

A gente sabe que não é fácil poupar, mas não é impossível. Mas se você ainda está naquele círculo vicioso de prometer guardar um dinheirinho e não está conseguindo, pois surgem compromissos ou gastos extras que falam mais alto, está na hora de reavaliar as suas prioridades.

Primeiro porque poupar deve ser uma prioridade também e segundo, não conseguir poupar é uma cilada: você precisa sair da inércia e resolver as coisas. Se você não está conseguindo anotar seus gastos numa planilha, aplicativo ou num caderno/agenda alegando a falta de tempo, esta pode ser uma desculpa do seu inconsciente, sabia? Você está tentando se proteger de descobrir o problemão que pode ter virado a sua vida financeira sem controle.

Esta semana tive gastos extras, um que estava planejado (um presente) e dois que não estavam previstos, mas foram resolvidos facilmente porque as finanças estão em dia.

O primeiro foi com a caixa d’água. E toda a vez que a gente chama um prestador de serviço vai dinheiro hehehe Apesar de ser um senhor conhecido e fazer um preço que ele intitula como ‘justo’, não fica barato heheh  E o segundo gasto aconteceu hoje com a compra de um novo liquidificador: o copo que havia quebrado e estava remendado há pelo menos uns dois anos, hoje deu seus últimos suspiros heheh Até tentei comprar um novo copo, mas era quase o preço de um liquidificador novo. Conclusão: comprei um novo, paguei à vista e chorei desconto.

As contas do mês também já estão pagas e sempre me surpreendo com a queda considerável no número de boletos, com a graça de Deus. E as suas contas como estão? Você está conseguindo pagar antes do vencimento, sem juros e multas? Contas de água, luz, telefone, precisam ser pagas em dia para que o serviço não seja cortado. Cartão de crédito? Ah, esse a gente já explicou que é um dinheiro que não pode ser considerado como seu, né?

Não se iluda com o cartão de crédito. O cartão de crédito dá a sensação de que você pode comprar tudo o que quiser. Essa coisa de comprar hoje e pagar só a partir do próximo mês dá a falsa ilusão de que você consegue pagar, afinal, você passou o cartão e saiu com as suas compras, mas lembre-se que a fatura vem heheheh Usar cartão de crédito nos dá a falta impressão de que sempre temos dinheiro para gastar.

Todo gasto é gasto. Chega de pensar que aquele cafezinho diário, guloseimas e comprinhas de baixo valor não pesar no seu orçamento mensal. Pesam sim! Defina um valor diário para gastar com coisas que deseja e fique atento para não ultrapassar esse valor.

Não tenha vergonha de ficar em casa. Toda sexta-feira, os colegas de trabalho combinam uma happy hour e você, mesmo apertado financeiramente, vai junto. E você vai por, pelo menos dois motivos: seja porque tem vergonha de dizer que está sem grana; seja porque tem medo de admitir que  a sua situação financeira não está boa. Afinal, quando você admite e passa a enxergar a situação como ela é, você tem que mudar seu comportamento, suas atitudes… Conhecimento gera responsabilidades.

Viu, gente, não é tão difícil. A gente só precisa de um pouco de disciplina, determinação. Plantar para colher. E, principalmente, parar de se sabotar. Comece a agradecer pelas contas pagas em dia, pela diminuição dos boletos e pelas bênçãos que Deus vai derramar sobre sua vida se você for solidário e generoso. Aprenda e compartilhe. Os resultados vem, pode acreditar! Seja feliz e próspero. Que Deus continue NOS abençoando, protegendo e inspirando! 😉

É possível reduzir as despesas?

Dia 226/365:

Chega o fim de semana a gente tem mais tempo pra pensar, né? E hoje o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ vai falar sobre despesas. Sabe quais são elas? Sabe a diferença entre fixas e variáveis? Então, vamos aproveitar o fim de semana para entender, avaliar a situação da sua casa e começar a colocar em prática já na segunda-feira, ou agora mesmo se quiser.

A principal diferença entre as despesas fixas e variáveis é a sua periodicidade. As fixas, como o próprio nome já diz, vêm, religiosamente, todo mês. Mas não tem um valor fixo, algumas despesas têm valor que pode variar de acordo com o consumo, como por exemplo, água, luz, telefone. Mas se você e a sua família consumirem com consciência, vão conseguir ficar nos valores mínimos de consumo. Aqui entra também os custos com aluguel, condomínio, transporte, supermercado.

Embora não possam ser evitadas, as despesas fixas podem ter seu valor reduzido. Já as variáveis podem ser evitadas, reduzidas ou até eliminadas (como no meu caso). Estas são os gastos com compra de roupas, sapatos, produtos de beleza, as idas ao salão de cabeleireiro. Se você precisa poupar, uma boa dica é reduzir ou até eliminar os gastos com as despesas variáveis.

Lembra que mudando de operadora de celular consegui reduzir o valor mensal em 50%? Pois é. Consumir conscientemente energia elétrica e água em casa fará com que você reduza os valores mensais (aquelas dicas básicas e que todo mundo conhece: apagar as luzes dos cômodos que não estão sendo usados, tomar banhos mais curtos, escovar os dentes com a torneira fechada e por aí vai… ).

Então antes que a falta de dinheiro aperte e te force a cortar despesas, faça isso porque você, conscientemente, quer fazer isso. Vai ser importante pra você, para as despesas da casa, para a sua família, que vai aprender sobre desperdício e, principalmente, para o meio ambiente, que agradece imensamente.

E no supermercado, é possível? Sim! Antes de ir ao supermercado, elabore uma lista de tudo o que você precisa. Desta forma, evitará gastos desnecessários. Fique atento à disposição dos produtos nas prateleiras: supérfluos e itens mais caros estão, normalmente, sempre ao alcance do seu olhar. Lembre-se de que as pessoas têm maior tendência a comprar supérfluos quando vão ao supermercado com fome. Se conseguir faça suas compras após as refeições e em horários alternativos, como no meio da manhã, da tarde, ou após às 20h.

Aluguel e condomínio – Procure não comprometer mais do que 1/3 de seu orçamento com o aluguel e condomínio. Pague sempre em dias essas despesas, evitando juros e multas. Participe regularmente das assembleias de condomínio para saber todos os valores que você está pagando. Lembre-se de usufruir de todos os benefícios que o seu condomínio oferece, afinal, você está pagando! Ah, impostos como IPVA, IPTU e outros devem ser considerados na elaboração de seu orçamento.

Hoje me lembrei desse assunto porque estava arrumando as contas da casa: apenas guardando a documentação paga do mês. E é tão engraçado, ainda acho que alguma coisa está faltando quando olho para a ausência de boletos. E está né? Os das lojas que, graças a Deus, estou livre heheh Esta sensação é muito boa.

Algumas amigas entraram no desafio de um ano sem compras e estou acompanhando o que elas chamam de ‘dor e sofrimento’. Logo passa, meninas, e tenham a certeza de que vão me agradecer heheheh Vai ser bom para vocês, para a família e para suas finanças. Que Deus continue NOS inspirando por caminhos que NOS levem para vivermos o melhor que Ele tem pra nós. Vai dar certo: TUDO vai dar certo! Disponha-se a ouvir a voz de Deus e deixe Ele agir na sua vida! Não tem como dar errado. 😉

Quem são os cúmplices da sua situação financeira?

Dia 150/365: 

Você sabe quais são os cúmplices da sua situação financeira?  Avaliando esta pergunta que li hoje no Instagram, percebi que com o ‘Obrigada, estou apenas olhando’, estou aprendendo muita coisa sobre mim mesma.

Você sabe que nossa vida é resultado direto de nossas escolhas, não é? Sim, é! E por conta disso, somos os únicos responsáveis por todas as consequências de nossas escolhas. Mas, apesar desta responsabilidade, temos alguns co-responsáveis neste processo: os nossos cúmplices nas decisões que tomamos.

Os meus maiores cúmplices de compras impulsivas eram os cartões de loja, sem sombra de dúvidas.  Eram eles que me ajudavam a sabotar esta área da minha vida. Encarar o cartão da loja como um facilitador das compras foi o meu maior erro. Eu nem considerava o cartão de loja como cartão de crédito, e, acredito que vinha daí o descontrole.

Graças aos ensinamentos do educador financeiro, Pedro Luiz Braggio, foi possível entender o que estava errado nas minhas atitudes para conseguir mudar.

Temos que optar pelas compras à vista e em dinheiro. Desta forma, tenho certeza de que vamos conseguir parar e pensar antes de gastar. Isso por que nós atribuímos valores diferentes ao dinheiro dependendo do meio de pagamento que escolhemos para fazer uma compra.

Sim, é verdade. Comece a prestar atenção: se for comprar algo que custa R$ 100,00 no cartão de débito ou de crédito é sempre mais fácil do que se você for pagar em dinheiro ‘vivo’. Isso porque, quando vamos parcelar, a gente não pensa no valor total da compra, mas no valor das parcelas.

Era assim que eu fazia minhas compras. Eu não olhava o preço de uma roupa de 100,00, mas avaliava o valor das parcelas: ‘ah, dá pra parcelar em 5 x R$ 20,00 e não vai pesar’. O problema é que não era só uma peça e nem só uma compra por mês.

Temos que começar a encarar o cartão de crédito como dinheiro, aí, quem sabe, sejamos capazes de segurar mais as compras. Afinal, mesmo adiando o pagamento, as faturas do cartão de cartão de crédito também vão chegar. Pergunte-se se você gastaria essa quantia (seja ela qual for) caso fosse pagar em dinheiro. Se a resposta for não ou não sei, não compre!

Adiar o pagamento de suas contas também pode ser outro gatilho negativo para a sua atual situação financeira. Não adie o pagamento de suas dívidas, elas não vão sumir hehehe Acredito que você já ouviu aquela história de que não pagar uma dívida, após cinco anos ela caduca. Após este tempo, apenas o seu nome sai dos registros de inadimplência. A dívida continua existindo e você pode ser cobrado (e com juros altíssimos) a qualquer momento.

Não atrase pagamentos: se você é daqueles que paga suas contas todo mês atrasado, tá pagando juros e perdendo dinheiro, não é mesmo? Pode até não ser culpa sua. Pode ser que a data do seu salário não coincida com os vencimentos dos boletos. Para parar de pagar juros e multas, adeque as datas dos boletos para, de três  a cinco dias após a data em que seu salário ‘cai’ na sua conta. Você vai ver quanto vai conseguir economizar, mensalmente, apenas adequando as datas.

Temos que nos livrar de nossos cúmplices. Você se lembra que já consegui me livrar dos meus cúmplices, não é? E isso é libertador viu! Desde que comecei este desafio, até o sono ficou mais tranquilo e reparador: aquele que é capaz de renovar mesmo nossas forças para o dia seguinte. As preocupações atrapalham a nossa vida e a nossa paz de espírito… Não deixe!

Que Deus continue NOS abençoando em nossas escolhas. Que elas tragam os melhores resultados e consequências positivas para a NOSSA vida. Que as oportunidades sejam aproveitadas com saúde e sabedoria! 😉