Gustavo Cerbasi orienta o que fazer neste momento

Hoje, o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ traz as dicas de Gustavo Cerbasi, consultor, professor, palestrante e autor de 16 livros sobre educação financeira, para nos ajudar a passar por este momento tão delicado que estamos vivendo.

Como é um tempo que nunca vivemos, vamos fazer coisas que nunca fizemos? Eu estou! Como estou trabalhando normalmente, com a graça de Deus, estou tirando um tempo pra treinar (estou seguindo as orientações e os treinos diários do Sergio Bertoluci e estou curtindo bastante), para ler a Bíblia e acompanhar as lives dos pastores da minha igreja e também para estudar. E venho acompanhando os vídeos e dicas do Gustavo Cerbasi.

Recentemente, nas redes sociais, ele falou sobre os aprendizados que podemos tirar desta crise  causada pela pandemia do coronavírus. Além de grande impacto na vida financeira das pessoas, elas estão passando por aprendizados bastante dolorosos. Diante disso, Cerbasi destaca três diferentes perfis que surgem em meio a tudo isso que estamos vivendo: os que estão com medo, os que estão aprendendo e os que estão investindo e, por isso, numa situação mais confortável. Este último grupo fez planejamento, sabe como contornar esta situação realocando seus investimentos para surfar na alta da bolsa de valores que ainda não começou.

“Não temos uma clareza dos impactos econômicos, a incerteza é muito grande! Estamos vivendo uma perda de riqueza muito grande no país. Mas a oportunidade de investir vai crescer ao longo do tempo”, avalia Cerbasi. “A situação hoje é mais grave daquela que vivemos em 1929”, reforça, orientando três atitudes que todos devem tomar neste momento.

Autoconhecimento – Cerbasi acredita que a crise não afeta a todos da mesma forma e cada um reage de uma maneira diferente: dependendo da situação financeira em que esta pessoa se encontra (um dos três perfis citados acima).  O autoconhecimento vai permitir que você avalie a sua situação e as suas condições financeiras e faça o que precisa ser feito, por exemplo: substituir seus ativos: venda itens mais caros e compre mais baratos. Importante é se preparar, se planejar montando uma estratégia para o momento de recuperação da economia. “A estabilidade emocional fará muita diferença nesta hora”, destaca.

Enxugue gastos – você se lembra do colchão financeiro? Aquela reserva de emergência que você deve ter para manter você e sua família por uns três meses? Cerbasi orienta a fazer mais cortes orçamentários a fim de que esta reserva dure até seis meses. “É muito importante contar com gorduras financeiras para poder investir e consumir quando oportunidades aparecerem”, explica. É aquela velha história, faça o que precisa ser feito até poder fazer o que você quiser.

Aproveite o tempo – mesmo quem tem pouca ou nenhuma reserva financeira deve usar o tempo a seu favor. Aproveite o tempo extra para estudar, os cursos on-line estão pipocando no google, saiba pesquisar e aproveite as opções gratuitas. Descubra uma renda extra, faça bolos, doces, venda produtos de beleza, aproveite os grupos de whatsapp para oferecer um seus serviços ao invés de ficar divulgando notícias (falsas ou verdadeiras) sobre a pandemia, gerando caos e terrorismo nas pessoas. Aproveite o seu tempo de maneira positiva.

Antes desta quarentena, sempre ouvi as pessoas dizerem não tenho tempo para estudar, não tenho tempo para treinar, não tenho tempo para cozinhar uma refeição saudável, não tenho tempo para ler a Bíblia… Agora, este discurso do “não tenho tempo” caiu por terra. Muita gente deve estar envergonhada com isso: perderam sua desculpa clássica.

Vamos juntos eliminar as desculpas fajutas e fazer o nosso melhor. Neste tempo, estou me aventurando na cozinha e não é que descobri que sou boa em fazer bolos? Já testei duas receitas: de cenouras com chocolate e de coco e, modéstia à parte, eles ficaram muito bons.

Que Deus nos proteja neste momento e que o Espírito Santo nos inspire a escolher sempre as melhores opções entre tantas a que estamos expostos diariamente. Faça o melhor por você e pelos seus e que Deus NOS abençoe e olhe por NÓS!  Fique bem e cuide-se, por você e pelos seus! 😉

Organizando as finanças a dois

Dia 146/365:

Mais uma encomenda ao ‘Obrigada, estou apenas olhando’ chegou pelo Facebook.: um seguidor preocupado com as finanças do casal. Imagino que mais casais tenham essa dúvida. Quando o assunto é vida a dois, diálogo, respeito e transparência têm que caminhar de mãos dadas, seja qual for a área do relacionamento.

Recentemente, o  Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) divulgou uma pesquisa sobre finanças do casal. Os resultados apontaram que apenas 39% dos entrevistados sabiam quanto o cônjuge ganhava. E aí podem começar os problemas: se o casal não conversa sobre isso, podem estar vivendo um estilo de vida que não condiz com a realidade financeira dos dois.

As conversas sobre as finanças do casal devem ser bem honestas em relação à situação monetária da família e às preocupações com o futuro, aquilo que vocês desejam alcançar e em quanto tempo.  Definam um projeto de vida juntos e entrem em sintonia para alcançar cada meta.

Sobre receitas e despesas, é importante que cada um saiba exatamente quanto o outro ganha e quais as despesas de cada um.  Quando surge a dúvida, quem vai pagar o quê, vocês precisam sentar e conversar.

Como sou solteira, recorri ao livro do Gustavo Cerbasi, “Casais Inteligentes Enriquecem Juntos” (Editora Gente, 2004). Lá ele  ensina como casais apaixonados podem morar sob o mesmo teto sem desgastar a relação por causa de dinheiro (ou pela falta dele). Um dos alertas do autor é sobre a competição sobre quem ganha quanto ou quem paga o quê pode trazer consequências sérias para o relacionamento. Agindo desta forma, com o passar do tempo, alerta Cerbasi no livro, um dos dois pode se tornar uma pessoa frustrada por não conseguir acompanhar o ritmo do outro.

Quem está começando a aventura a dois e não sabe como administrar esse assunto, Cerbasi aconselha  a estabelecer prazos para que o casal assuma níveis crescentes de união financeira. “Nos primeiros doze meses de união, todas as contas comuns são divididas meio a meio e o casal contribui igualmente para um fundo de escolhas (como férias, presentes a amigos e decoração da casa)”, sugere.

Decidam juntos sobre o orçamento e as despesas: decidir juntos, por exemplo, quanto gastar nas contas de consumo (como água, luz, telefone e gás) e quais outros serviços serão adquiridos (como internet, academia, faxineiros etc.), impede que haja frustrações quanto a um padrão de vida irreal ou desentendimentos quanto a gastos supérfluos. Ainda, é preciso colocar em uma planilha todos os custos fixos do casal, como impostos, aluguel, condomínio ou prestações adquiridas, para que haja um melhor controle sobre o orçamento disponível para as compras mensais.

Façam uma reserva financeira: é impossível prever todos os percalços que podem aparecer. Ainda mais quando compartilha-se a vida com alguém — a probabilidade dobra. Portanto, é importantíssimo que haja uma reserva para qualquer problema que, no futuro, represente gastos ou queda no orçamento do casal.

Separem parte da receita para passeios e compras: parte da minha receita é separada para cinema, almoço e outros passeios. Como não posso comprar bolsas, roupas, sapatos e afins, então separei um valor menor para esses mimos. Mas para o casal, é possível separar uma parte da receita para fazerem juntos o que gostam. A partir do momento em que vocês estão gerindo a renda familiar juntos, fica fácil decidir, com diálogo e transparência, quanto vai para o quê.

Importante, como disse no início, é ser o mais honesto possível com seu cônjuge sobre o assunto. Desta forma, um não correrá o risco de se endividar para fazer as vontades do outro e vice-versa. Além do que viverão de acordo com o padrão de vida condizente com a realidade financeira dos dois.

Este foi um dos temas mais difíceis de escrever. Mas acho que consegui hehehe E que o Deus que uniu o casal ajude-os a lidar com o dia a dia de maneira honesta, saudável e com amor. Respeito e carinho são fundamentais para manter um relacionamento saudável. Que Ele NOS ajude também a NOS mantermos firmes no caminho de poupar e buscar uma vida mais equilibrada e uma relação mais tranquila com as finanças. 😉