O que fazer com o 13º salário?

É gente, já estamos em outubro e, daqui a pouco, milhões de pessoas vão receber o 13º salário. E hoje, o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ quer te ajudar se planejar para aproveitar essa renda extra da melhor forma possível, sempre com objetivo de que ela lhe traga alegrias e não dores de cabeça.

Eu não recebo 13º salário. Trabalho como profissional autônoma e não tenho esse direito concedido apenas para aqueles profissionais com carteira assinada. E se você é um deles, aproveite e use essa grana com sabedoria e prosperidade.

Cuidado com a empolgação. O 13º salário é um rendimento  que chega num momento bem propício para ser gasto, afinal teremos pela frente as festividades de Natal e Ano Novo, uma época que é sinônimo de compras. No entanto, o 13º só deve ser usado livremente para compras, presentes ou viagens se você tiver sido disciplinado durante o ano inteiro.

Se você estiver endividado, aproveite este salário extra para quitar suas dívidas. Faça disso sua prioridade para entrar em 2019 com as contas no azul. “Quem está endividado pode aproveitar o mês de outubro para negociar as dívidas, principalmente, com bancos. Nesta época do ano, os bancos fecham seus balanços e este é o melhor momento para negociar”, aconselhou o educador financeiro Pedro Braggio. Ele ainda explicou que os bancos oferecem ótimas condições de negociação para que possam fechar seus balanços anuais com o menor nível de inadimplência.

Mas se você estiver com suas finanças em dia, divida o 13º em três partes:

Para presentear: afinal, você é um filho de Deus e pode sim, comprar presentes para seus familiares e amigos e merece ganhar um também! Então, reserve uma parte do 13º para comprar os presentes de Natal. Lembre-se de fazer uma lista de pessoas que deseja presentear e comece a pesquisar os valores das lembrancinhas. Faça com que o valor caiba no orçamento reservado.

Para investir: se você aprendeu a se organizar, já sabe que uma parte do 13º salário precisa ser guardada para realizar um sonho ou garantir tranquilidade financeira na hora de algum imprevisto. Então, uma parte desta renda extra vai para o nosso COLCHÃO FINANCEIRO.

Para as despesas de início de ano: todo início de ano, as despesas vêm e você pode reservar uma parte do 13º salário para cobrir estes gastos extras com IPTU, IPVA, matrícula dos filhos e material escolar.

Independente destas dicas, peça orientação de Deus. Ele é e sempre será o seu melhor conselheiro e vai te orientar como agir. Que você use o seu 13º com amor, paz, saúde e sabedoria. E que mais do que quitar dívidas, que o 13º salário possa lhe trazer prosperidade. 😉

Enquanto isso, na hora de comprar material escolar…

Dia 120/365:

Ah, como prometi, hoje vamos ajudar as mamães e papais a comprar material escolar sem enlouquecer. Gente, como com o IPTU e IPVA você só vai conseguir economizar se pagar à vista, o material escolar, vocês tem que economizar batendo perna ou gastando internet (pra pesquisar on-line) heheh

Mas acredito que a melhor forma de economizar é batendo perna mesmo. Lembra da minha experiência no Natal: foram três horas pesquisando mas gastei metade do que havia planejado. Portanto, vale a pena pesquisar. Esta é a primeira regra de ouro!

A segunda é reaproveitar. Faça uma triagem de tudo que sobrou do ano passado. Se a escola devolveu o que sobrou, verifique neste material o que pode ser reaproveitado. Se a escola não devolveu e seu filho vai continuar estudando lá, verifique com a diretoria se é possível utilizar o material remanescente do ano passado. Sim, pergunte, corra atrás, não é vergonha nenhuma: tenho certeza de que o diretor (a) também faz economia em casa.

Algumas dicas que todo mundo sabe, mas na hora que precisa esquece. Não vou ensinar nada novo para vocês, apenas lembrá-los o que vocês já sabem:

1. Antes de comprar, avalie a lista: observe bem a lista de material escolar. Cuidado com as exigências abusivas. Confira se são solicitados itens de uso comum, como produtos de higiene e limpeza, ou itens usados na área administrativa.  Para organizar-se melhor, procure classificar também os livros didáticos, os literários e os materiais de papelaria. Sempre que tiver dúvidas, questione a escola.

2. Pesquisar: é a palavra de ordem para conseguir bons preços e produtos de qualidade. Não compre na primeira loja. Não compre no dia em que está fazendo a pesquisa. Leve sempre papel, caneta ou o celular e vá anotando, fotografando tudo que você precisa comprar.

3. Reaproveite: não é vergonha nenhuma reaproveitar o que sobrou do ano passado. Veja lápis, canetas, papéis, cadernos, uniformes, mochilas… Acredito que uniformes não será possível reaproveitar, porque as crianças crescem e crescem numa velocidade que a gente não consegue acompanhar, não é mesmo? Mas outros itens tenho certeza de que é possível fazer um arranjo. Importante conversar com a criança também. Explicar pra ela os motivos de utilizar a mesma mochila do ano passado, por exemplo.

4. Organize um grupo de compra coletiva: reúna os pais de alunos da turma dos seus filhos e monte um grupo de compra coletiva. Aproveite para liderar o grupo e disseminar nos outros pais a ideia do consumo consciente. Esta dica está no post que escrevi há algum tempo sobre o Homem-Desconto. Depois de reunir os pais, busque as lojas que vendem no atacado. Como vocês vão comprar em grandes quantidades, alguns produtos mais simples, como lápis e canetas, podem sair com até 90% de desconto.

5. Esqueça os personagens: cadernos e mochilas de personagens de desenho animado ou super-heróis só vão complicar as suas compras. Os valores são absurdamente mais altos que aqueles sem o glamour dos personagens. Se optar por não comprar estes personalizados já vai conseguir economizar bastante..

6. Compre à vista: você já sabe que este é o nosso mantra, né? Sempre que possível, compre à vista. Se for parcelar, verifique se é o mesmo valor. E para pagar à vista, peça desconto. Peça, hein, ninguém vai lhe oferecer desconto por conta dos seus belos olhos azuis hehehe (os meus são castanhos, nessa eu já teria perdido heheh).

7. Livros? Tente trocar: outra opção com o grupo de pais é propor para a escola uma feira de livros. Assim você doa os do seu filho e tenta trocar pelos livros que ele vai usar este ano. Vá em grupo conversar com o diretor (a) da escola. Leve a ideia, converse, proponha, você nem vai precisar explicar a situação do país: TODOS VIVERAM A CRISE! Todo mundo vai sair ganhando, eu tenho certeza, você vai ver. Você, os outros pais e a escola que vai ser vista pelos pais como uma instituição que se preocupa com o consumo consciente e, ao mesmo tempo, é empática com as famílias de seus alunos.

Espero que estas dicas (que eu tenho certeza você já sabia) te ajudem nesta saga do material escolar. Ah, sobre as mensalidades, converse com o diretor, peça desconto, não aceite os valores como a última palavra. Se tiver mais de um filho na mesma escola, este desconto tem que ser maior. Repito, peça! Ninguém vai oferecer desconto pra você. Participe das reuniões escolares e fique atento às datas de concursos de bolsas. Normalmente, elas ocorrem em outubro para o próximo ano letivo. Participe da vida escolar do seu filho, tenho certeza que você só vai tirar proveito disso, em todos os sentidos.

Mesmo as compras necessárias precisam ser conscientes. Ajude os outros pais a enxergarem também. Vamos juntos disseminar estes conceitos e esta nova maneira de enxergar o consumo e a forma de nos relacionarmos com o dinheiro. Eu sei que você pode. Ele também sabe, porque tenho certeza de que Ele está NOS acompanhando e NOS orientando dia a dia, decisão em decisão, em todos os momentos de nossas vidas. Obrigada, Pai! 😉