O que fazer com o 13º salário?

É gente, já estamos em outubro e, daqui a pouco, milhões de pessoas vão receber o 13º salário. E hoje, o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ quer te ajudar se planejar para aproveitar essa renda extra da melhor forma possível, sempre com objetivo de que ela lhe traga alegrias e não dores de cabeça.

Eu não recebo 13º salário. Trabalho como profissional autônoma e não tenho esse direito concedido apenas para aqueles profissionais com carteira assinada. E se você é um deles, aproveite e use essa grana com sabedoria e prosperidade.

Cuidado com a empolgação. O 13º salário é um rendimento  que chega num momento bem propício para ser gasto, afinal teremos pela frente as festividades de Natal e Ano Novo, uma época que é sinônimo de compras. No entanto, o 13º só deve ser usado livremente para compras, presentes ou viagens se você tiver sido disciplinado durante o ano inteiro.

Se você estiver endividado, aproveite este salário extra para quitar suas dívidas. Faça disso sua prioridade para entrar em 2019 com as contas no azul. “Quem está endividado pode aproveitar o mês de outubro para negociar as dívidas, principalmente, com bancos. Nesta época do ano, os bancos fecham seus balanços e este é o melhor momento para negociar”, aconselhou o educador financeiro Pedro Braggio. Ele ainda explicou que os bancos oferecem ótimas condições de negociação para que possam fechar seus balanços anuais com o menor nível de inadimplência.

Mas se você estiver com suas finanças em dia, divida o 13º em três partes:

Para presentear: afinal, você é um filho de Deus e pode sim, comprar presentes para seus familiares e amigos e merece ganhar um também! Então, reserve uma parte do 13º para comprar os presentes de Natal. Lembre-se de fazer uma lista de pessoas que deseja presentear e comece a pesquisar os valores das lembrancinhas. Faça com que o valor caiba no orçamento reservado.

Para investir: se você aprendeu a se organizar, já sabe que uma parte do 13º salário precisa ser guardada para realizar um sonho ou garantir tranquilidade financeira na hora de algum imprevisto. Então, uma parte desta renda extra vai para o nosso COLCHÃO FINANCEIRO.

Para as despesas de início de ano: todo início de ano, as despesas vêm e você pode reservar uma parte do 13º salário para cobrir estes gastos extras com IPTU, IPVA, matrícula dos filhos e material escolar.

Independente destas dicas, peça orientação de Deus. Ele é e sempre será o seu melhor conselheiro e vai te orientar como agir. Que você use o seu 13º com amor, paz, saúde e sabedoria. E que mais do que quitar dívidas, que o 13º salário possa lhe trazer prosperidade. 😉

Como eu era antes de você…

Amo este filme! Me lembro muito da minha mãe e isso não me entristece. Pelo contrário, me deixa em paz… Sempre choro, é claro, mas são lágrimas que lavam a alma e acalmam…

O desafio do “Obrigada, estou apenas olhando” acabou, mas, este talvez seria o título de um livro sobre esta experiência…

Como eu era antes de você… Eu era perdulária, sim! Confesso que sempre que passava no shopping para almoçar ou ir ao banco, saía com uma sacola…

O engraçado é que a sensação boa fica com a gente até chegar em casa… heheheh Depois vem a preocupação sobre como pagar e, algumas vezes, você olha para a sacola e de pergunta: porquê fiz isso?

Estou aqui lembrando de quando fazia isso… Realmente é como se passasse um filme pela minha cabeça. Lembro-me que eu NUNCA experimentava as roupas na loja… Talvez fosse para não mudar de ideia e, consequentemente, desistir da compra…

Eu gostava de comprar, do ato da compra, da sensação… E devo confessar que estou vivendo o “é agora?” E, se você está curiosa (o), fique tranquila (o)! Eu não fui às compras!

E não fui, não tive vontade, mas também tive medo… Medo de me descontrolar e, apesar de estar precisando de lingerie, vou esperar mais um pouco…

Esperar para entender todo esse turbilhão de sensações! E, com a graça de Deus, tudo vai se encaixando…. Como eu era antes de você, desafio? Não sei bem! Mas, agora, sou, divertidamente, uma mulher que para, pensa e consegue tomar a melhor decisão, graças a Deus! Seja feliz! Seja financeiramente, consciente! Sinta-se abençoado! 🙏🏻❤️😉

A foto do post mostra a alegria da personagem Louisa Clark ganhando seu presente de aniversário: as enigmáticas meias listradas! Ah as mulheres e sua paixão por roupas… hehehe

Doeu aprender que leva tempo…

Dia 362/365:

Palestras, cursos, textos, livros, dicas, pesquisas, orientação do Pedro Braggio… Nossa, quantas fontes de informação e aprendizado. Neste quase um ano, o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ aprendeu de muitas formas… Até errando…

Sim, nem tudo foram flores por aqui. Colocar em prática o que aprendemos, não significa que vai dar certo na mesma hora. Acredito que o que mais doeu foi aprender que leva tempo!

Mas é matemática pura: para sobrar dinheiro, você tem que gastar menos do que ganha! Isso é incontestável. E somente sentindo na pele a dificuldade de fazer sobrar que aprendi o quão importante é tomar esta decisão.

Vocês se lembram bem que os primeiros três meses foram os mais críticos. Eu estava pagando as despesas que havia feito com cartão de crédito e cartão de loja em meses anteriores ao início do desafio. Daí, a demora em acertar tudo…

Mas depois que as despesas cessaram tudo ficou mais fácil. Sem as compras supérfluas, a cada mês sobrava mais para poupar. A cada mês aumentava mais a porcentagem do valor que seria guardado. E deu certo… Hoje, o valor que vai pra reserva financeira gira em torno de 35%, sem deixar de lado os meus gostos: cinema e almoços.

Tive alguns probleminhas de saúde neste período e nem estes gastos extras impactaram os valores poupados, pois, o restante estava em dia… Sem dívidas, sem um monte de boleto para pagar, as coisas ficam muito mais fáceis. Pode acreditar.

E não, não é um sonho impossível. Não, não é uma meta inatingível!

É possível! É atingível! Planeje-se, organize seus gastos, diminua as compras (lembre-se, você não precisa ficar um ano sem compras, como eu fiz), você pode diminuir suas compras, domine a sua vontade de gastar. Envolva toda a família em seu propósito, faça com que seja um desafio para todos! E, principalmente, viva de acordo com suas posses. Não ostente, não aparente o que não é, acredite, você vai sofrer menos.

Aprenda a dizer NÃO: para si mesmo, para seus filhos e cônjuges, para os amigos e colegas de trabalho! Não se endivide para seguir a galera, para mostrar para o vizinho… Ninguém tem inveja daqueles que estão endividados!

Que Deus continue NOS abençoando e NOS protegendo em todos os momentos de nossas vidas e em todas as áreas: finanças, pessoal, profissional, familiar… Seja feliz! 😉

 

 

Poupe para poder gastar (com sabedoria)

Dia 354/365:

Um ano sem compras, uma reserva financeira próxima da meta e mais de mil seguidores acompanhando este desafio… Fico muito feliz com os resultados do ‘Obrigada, estou apenas olhando’… Mas devo confessar que não pensei muito pra tomar a decisão.

Acho que se pensasse, analisasse prós e contras, talvez não entrasse nessa. Mas como decisões, a gente toma em segundos, estou aqui, quase um ano depois comemorando os resultados.

A ideia no início era ter uma reserva financeira. Com o blog percebi que poderia muito mais e depois do curso com o Pedro Braggio, aí o cenário se descortinou na minha frente e tive que corrigir a rota. Dicas sobre finanças pessoais, economia doméstica, educação financeira estão tão presentes no meu dia a dia que quando vejo me pego aconselhando alguém sobre isso ou levando o assunto para uma roda de conversa.

A tranquilidade financeira veio como consequência: deixei de comprar, diminui as idas ao cinema, os almoços fora, as pizzas à noite (pelo preço e pela dieta heheh). Percebo que quando o assunto finanças vira meme, normalmente, destacam o dilema entre guardar dinheiro ou aproveitar a vida (com o mantra ‘só se vive uma vez’).

O Indicador de Bem-Estar Financeiro mensurado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) também avaliou esse dilema e descobriu que 56% dos brasileiros reconhecem que não conseguem aproveitar a vida da maneira ideal em razão da forma com que administram seu dinheiro.

Bem-estar financeiro é o estado em que o indivíduo tem capacidade de honrar as suas obrigações financeiras, sente-se seguro com relação ao futuro financeiro e pode fazer escolhas que lhe permitam aproveitar a vida. E você sabe o que impacta o bem-estar financeiro do brasileiro? Pasme: a falta de preparo para lidar com gastos imprevistos!

Exatamente o que aconteceu comigo. Apenas 12% dos consumidores, segundo o estudo, teriam condições de cobrir uma despesa inesperada de valor expressivo, seja se utilizando recursos da própria renda ou de uma reserva financeira. A maioria (65%) não teria saídas práticas para enfrentar essa situação, segundo apurou o indicador.

Espero que NÓS estejamos entre os 12%. Depois do susto, a gente toma jeito, aprende com os erros e segue em frente, ajudando outras pessoas! Que Deus continue NOS orientando, abençoando e protegendo e que o Espírito Santo toque a NOSSA vida de uma maneira toda especial que resulte em TRANSFORMAÇÃO. Seja feliz! 😉

Como está o seu humor financeiro?

Dia 294/365:

Hoje, o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ foi lembrado numa palestra na Construtora Santa Angela. O PedroBraggio estava palestrando para a equipe do administrativo da construtora e num dado momento ele olhou pra mim e perguntou: “você gosta de comprar roupas?”

Hahahah Ele deu a deixa e respondi: “Não olha pra mim, não! Você sabe que não posso comprar”. Mesmo sem saber porquê, os colaboradores riram do meu comentário e aí, veio o incentivo do Pedro para que eu contasse a minha história.

Em poucos minutos resumi o propósito deste desafio, falei do blog, convidei as pessoas para acessarem e curtirem a página do Facebook (claro!). Mas, mas do que isso, contei pra eles que é possível se reeducar financeiramente, se você tiver orientação, conhecimento, planejamento, dedicação e meta.

E hoje, por conta deste trabalho, posso dizer que meu humor financeiro é 🙂 ou seja, positivo: uma relação estável e que vai num crescente de melhora, de descobertas e de resultados. Estou feliz e posso dizer, sem sombra de dúvidas, que está valendo a pena.

O que está valendo a pena? Tudo! Até as dores como a ansiedade contida (o domínio sobre a vontade). Mas tem coisa boa também, claro: as despesas contidas e reduzidas, a reserva financeira aumentando a cada mês (30% da minha renda vai pra lá), uso do cartão de crédito com planejamento, conta corrente no azul.

O Pedro vem desenvolvendo um trabalho de reeducação financeira para todos os colaboradores da construtora. Nas palestras, de maneira bem lúdica, para entreter as pessoas – e fazer com que elas se soltem e revelem sua relação com o dinheiro – ele orienta, dá bronca (com muito carinho), mostra caminhos e, principalmente, faz as pessoas acreditarem. Sim, as pessoas saem da palestra acreditando que é possível sair da situação em que se encontram.

E é mesmo! Eu sou a prova viva de que é possível. É possível se reeducar financeiramente e que não é um bicho de sete-cabeça. E reforço: você só precisa de orientação (reeducação financeira), conhecimento (aprender e entender o que vem fazendo de errado), planejamento (saber quanto e como está gastando o seu dinheiro), dedicação (acompanhar as suas finanças e controlar os gastos), meta (colocar seus sonhos para se tornarem realidade).

E como eu sempre digo, Deus quer NOS honrar, com tudo isso! Ele NOS dá todos os dias a oportunidade de tomarmos a decisão de mudar. Então, quando você sentir que Deus está falando com você e soprando no seu ouvido que é hora de mudar, aproveite! Ele sabe de todas as coisas. Confie e você vai ver o milagre acontecer na sua vida! 😉

Quebrou? Conserta e paga à vista

Dia 286/365:

E quando algo que você usa todos os dias quebra? Pois é, hoje meu computador foi novamente para o conserto. Mas a coisa foi mais séria hoje: teve que formatar. E, graças ao ‘Obrigada, estou apenas olhando’, não cedi à tentação do parcelamento no cartão heheh

O Jean, dono da Codarin Informática, sempre me ajuda. Acredito que é um dos melhores prestadores de serviço da área. Quando precisei a primeira vez, levei o notebook até ele, mas depois, diante da minha aflição e necessidade do computador, ele foi até onde eu estava (num evento de um dos meus clientes) para entregar o aparelho novinho em folha.

Agora, o problema foi com a lentidão dele. Diante do bom atendimento anterior, você imagina que eu buscaria outro profissional? Nem pensei duas vezes e mandei uma mensagem no whatsapp da Codarin. Ele veio ver o computador e orientou o precisava ser feito e resolveu tudo rapidinho e me entregou o notebook antes do horário previsto (senão, não estaria agora escrevendo aqui).

Ele me deu a opção de parcelar em até 3 x. Mas fui forte e pedi para pagar à vista. E ganhei desconto, claro! Peço mesmo, sem medo e sem vergonha. No máximo que pode acontecer é ele dizer não. Mas o não eu já tinha, então fui em buscar do sim.

O valor do reparo saiu da minha reserva financeira. É para isso que ela serve. Assim não preciso impactar meu planejamento futuro com parcelas extras no cartão de crédito. E no próximo mês, vou repor este valor que tirei, para não desfalcar o meu colchão.

Estas são as orientações do nosso educador financeiro, Pedro Braggio. Esta é uma lição que se aprende na prática. Agora você entende a importância da reserva financeira? Você precisa ter uma para te socorrer em momentos como este.

Reserve da sua renda um valor. Faça como se fosse uma conta a pagar, todo mês e inclua no seu planejamento. E quando um pneu furar, um computador quebrar, você vai saber onde recorrer sem impactar o seu orçamento futuro.

Fica por aqui. Todos os dias aprendemos alguma coisa. Agora estou pesquisando para resgatar os pontos do Livelo. Tá lá parado e corro o risco dos pontos expirarem. Depois conto para vocês. Mas vai ser sem gastar. Vou usar apenas os pontos que tenho. Vamos ver o que vou conseguir.

Até amanhã e que Deus continue NOS protegendo e NOS abençoando em todos os momentos. NOS orientando em cada decisão e NOS mostrando como é bom ter um relacionamento tranquilo com nossas finanças. 😉

 

 

Já venci 265 dias sem compras; faltam APENAS 100

Dia 265/365: 

Já se passaram 265 dias deste desafio. Lembrei-me agora de quando comemorei o primeiro mêsversário do “Obrigada, estou apenas olhando”…. Já contei pra vocês que os primeiros 90 foram os piores, né?

E agora, faltam 100 dias para acabar. E a minha vida mudou tanto nestes 8 meses. Foram tantos aprendizados, tantas dores, mas também muita alegria, satisfação e orgulho. Sim, me sinto orgulhosa de ter vencido, de ter conseguido atingir o patamar do domínio sobre a vontade…

É uma delícia comprar roupa nova, um sapato, uma bolsa… Ai ai… Faz tempo que não sei o que é isso. Mas sabe que ao longo deste período ganhei alguns presentes. Em uma das vezes, a pessoa me deixou escolher, pra me dar a sensação de estar comprando. Eu tinha uma loja inteira à minha disposição e fiquei preocupada com os preços. Não apenas porque não era eu que iria pagar, mas, principalmente, porque doía ver os preços das etiquetas hehehe Ainda bem!

Outro ponto que preciso destacar é que não parei de comprar por parar! Eu parei de comprar pra cumprir um propósito: ter uma reserva financeira. Parar por parar, sem uma meta, acredito que não conseguiria. Mesmo porque no início doeu e doeu muito! hehehe

Chamar este propósito de desafio foi a melhor coisa que fiz. Porque é desafiador mesmo. Quando comento com alguém que não sabe um ano sem compras, a pessoa se espanta e já emenda: “como você está conseguindo? eu não conseguiria”. Consegue sim, eu sempre respondo. Mas é importante ter um propósito, uma motivação ou uma necessidade.

Tudo acontece por amor ou pela dor. No meu caso começou com a dor e foi evoluindo. Hoje faço satisfação. Não com dinheiro, mas por  tê-lo dominado! Satisfação de vê-lo se acumulando e crescendo heheh De fazê-lo trabalhar pra mim, satisfação de me libertar da escravidão que era a nossa relação.

Se você está me acompanhando neste desafio, mas, quando passa na porta de uma loja em promoção, fica tentada? Lembre-se dos seus desejos maiores. Lembre-se dos seus sonhos, das suas metas, aquela viagem, um carro novo, seu apartamento… São tantas coisas que você pode fazer por você mesma no futuro… A roupa? Ah, deixa ela pra lá neste momento, enquanto você se prepara para voos maiores. E depois, quando conquistar tudo que almeja, compre uma roupa nova pra comemorar. 🙂

Estou muito feliz! Parabéns pra mim! Parabéns pra NÓS! Pra você também, claro, por estar acompanhando este desafio. Espero que não tenha se cansado dos meus textos, das minhas histórias e das minhas experiências. Espero e peço a Deus que Ele continue NOS abençoando e NOS protegendo em todos os momentos, a cada desafio e possa comemorar CONOSCO  cada vitória, cada conquista. Obrigada, Senhor! 😉

A foto deste post traz onde tudo começou: o curso do meu amigo e educador financeiro Pedro Braggio, foi a partir deste momento que percebi o que quanto poderia melhorar e conquistar.

 

Crenças sobre o dinheiro

Dia 213/365:

Quantas frases ouvimos ao longo da nossa vida sobre o dinheiro. Ouvi algumas dessas quando era criança e, quando ditas por adultos (que teoricamente, são as pessoas que sabem tudo, na visão de uma criança) passam a ser incorporadas como verdades. E hoje, o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ vai derrubar algumas delas.

Lembro bem que minha avó separava o dinheiro que meu avô trazia para as contas: isso é para mercado, isso é para pagar as contas de água e luz, isso é para a igreja. Sim, meus avós, devolviam o dízimo. Ela dizia: ‘10% é de Deus, foi Ele que nos deu tudo que temos’. Mesmo sem entender a grandeza do que aquilo significava, eu respeitava.

Ontem, a aula na Escola Bíblica foi sobre dízimo e sua importância. E a professora deixou muito claro: “este é um assunto sério e faz parte da intimidade entre você e Deus”. Sim, eu acredito muito nisso. Já tive uma experiência com dízimo, já recebi um milagre por ser fiel dizimista.

E uma das primeiras crenças que precisam cair por terra é exatamente sobre o dízimo: se você devolver o dízimo não vai lhe faltar! Muita gente tem medo de ser dizimista por acreditar que o dinheiro que ela está devolvendo vai faltar no seu orçamento. Não vai! Vai sobrar… Sou testemunha disso. Não tenha medo de viver o sobrenatural de Deus com medo de passar necessidades. Você acredita que Deus, vendo a sua fidelidade, vai deixar lhe faltar alguma coisa? Ou à sua família? Faça esta experiência. Tente, desapegue, seja generoso.

O dinheiro não traz felicidade é outra crença que precisa ser quebrada. Muita gente brinca, que ele não traz felicidade, ele manda buscar. Antes de mais nada você tem que definir ao que a sua felicidade está atrelada: às coisas que você tem (casa, carro, smartphone?). Neste sentido, o dinheiro será um meio para você alcançar tudo isso. E por conta disso, o dinheiro nos dá poder de escolha, de ter algo que queremos. Mas o dinheiro também pode lhe proporcionar felicidade associada à sua saúde, viagens, aproveitar a vida com os amigos e familiares…   Ele sempre será um meio. E ele traz felicidade, sim. Basta você saber relacionar-se bem com ele. E não tenha medo de dizer isso. Não se limite!

O dinheiro não cresce em árvores: minha mãe dizia isso para gente não gastar à toa. Mas, essa frase mostra o quão difícil e penoso pode ser ganhar dinheiro. E não deve ser assim. Para termos abundância, o correto seria alterar essa frase para ‘o dinheiro cresce como uma árvore’. Claro, você planta uma semente (aprende a poupar), faz a árvore crescer (investindo o seu dinheiro) e, com o tempo é possível colher os frutos (ou os resultados dos seus investimentos). Da próxima vez que for falar: ‘não posso comprar isso’,  pense “o que preciso fazer para comprar isso”. Assim, vai ficar mais fácil conquistar o que você almeja.

O dinheiro é sujo/corrupto: isso a gente vem vivendo nos últimos dias e muita gente associa a corrupção ao dinheiro. Mas corrupção não tem a ver com o dinheiro, tem a ver com caráter. Não é o dinheiro que é corrupto, as pessoas é que são. São as pessoas que fazem mal uso do dinheiro. Esqueça isso e veja o dinheiro como um meio para conquistar o que você precisa. Como? Trabalhando, ganhando seu salário honestamente, poupando, investindo e planejando.

Espero que você pare um pouco para pensar nestas frases e comece a transformar esses conceitos que podem estar arraigados aí dentro de você. Na sexta-feira foi dia de pagar as contas do mês. E vocês se lembram que me encontrei com o Pedro Braggio né? Quando comentei isso com ele, ele me disse: “Não sofra por pagar suas contas. Pegue seus boletos dê um beijinho neles e diga: obrigada pela oportunidade de pagar minhas contas”. E foi assim que fiz. Há algum tempo  não sofro mais para pagar as contas, pois sei que vou pagar tudo, vou separar o valor dízimo, o do colchão financeiro e vai sobrar!

E Deus está em tudo isso, gente. Ele está em nosso trabalho (sustento para os nossos dias), Ele está em nosso salário (fruto do trabalho e meio para conquistarmos nossos sonhos). Seja íntimo Dele e agradeça por conseguir fazer com que o dinheiro dure mais que três dias. Que Ele continue NOS abençoando, NOS protegendo e NOS orientando em todas as decisões de NOSSAS vidas, em todos os momentos. 😉

Finanças? Está na hora de acordar!

Dia 212/365:

Como prometi, queria falar um pouco sobre o livro “Dinheiro é bom e eu gosto”, que o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ ganhou do Pedro Braggio.

Como eu já comentei aqui, o Pedro é uma das pessoas mais educadas que conheço e mesmo pra dar bronca ele o faz com muita delicadeza. Eu tomei várias hehehe Mas o segundo capítulo do livro dele me chamou a atenção. Fala sobre acordar para a situação que você está vivendo.

Se você gasta mais do que ganha, não guarda dinheiro, não controla suas finanças e chega ao fim do mês sem um centavo e ainda pensa: “puxa, a conta fechou este mês, então tá tudo bem”, você é um iludido!

“De nada adianta ter algo impactante, se não for usual; belo, se não for útil; erudito se não for esclarecedor”, sinaliza Pedro. De que adianta comprar uma roupa (por impulso) e deixá-la guardada porque nem se lembra o motivo que a fez comprar? De que adianta passar horas para comprar um novo modelo de smartphone se você liga a cobrar?

Em tempos midiáticos, de Facebook e Instagram, onde todos são felizes e fazem questão de mostrar essa satisfação com tudo que são e tem, três comportamentos podem ser identificados como nocivos à sua saúde financeira: ostentação, comparação e ansiedade.

Clique aqui e baixe o Capítulo 2 em pdf: você vai gostar. Ele fala sobre a questão da imagem que temos de nós mesmos e dos outros e ainda questiona sobre a mania das pessoas se compararem umas às outras e o quanto isso é prejudicial.

E se você gostar, acesse  este link, o livro pode te ajudar, assim como fazer o curso com ele me ajudou. Eu garanto que você vai gostar. Tá vendo! Mais uma oportunidade que Deus nos dá pra mudar: faça algo pela sua vida e pela sua situação financeira. Dê o primeiro passo: Ele está sinalizando pra você que é possível. Basta querer! 😉

“Dinheiro é bom e eu gosto”

Dia 211/365:

Hoje estive com o mentor do ‘Obrigada, estou apenas olhando’, o educador financeiro Pedro Braggio.  E, como não posso comprar e o Pedro, mais do que ninguém sabe disso hehehe, ele me presenteou com o livro “Dinheiro é bom e eu gosto”.

E o que me chamou a atenção na capa foi o subtítulo: ‘O caminho assertivo para a sua independência financeira – Sem mágicas, nem milagres’. A escolha das palavras deve ter sido cuidadosa e merece ser analisada.

Quando vemos a palavra CAMINHO já nos remete a um percurso a ser percorrido, mas apesar de ser um caminho desconhecido por aqueles que estão em uma situação financeira delicada, Pedro diz que é ASSERTIVO, isso quer dizer que esta é uma afirmação categórica. Como toda asserção, Pedro assume a responsabilidade pelo caminho que ele vai indicar.

E foi essa mesma segurança que a gente sente quando ele explica alguma coisa ou mostra como fazer. Ele mostra um caminho e assume toda a responsabilidade por ele: não tem como dar errado. Ele me ensinou, eu compartilho com vocês.

Ao longo dos próximos posts vamos falar sobre este livro. Mas para você ir se preparando, o livro vem com uma linguagem acessível: são apenas cinco capítulos e um bônus no epílogo hehehe

Acredito, fielmente, que Deus está no controle de tudo na NOSSA vida. Ganhar este livro, participar de entrevistas, me tornar colunista num jornal da região, é tudo obra Dele. E vem mais coisa boa por aí, vocês sabem que tudo que venho aprendendo compartilho com vocês, porque este é o espírito: inspirar as pessoas com o dom que Deus me deu… E a novidade que vem por aí vai por essa linha… E que Deus abençoe as novas ideias, parcerias e projetos. Que possamos testemunhar tudo de bom que Ele vem promovendo em nossas vidas. Que todos sejamos abençoados e protegidos! 😉