Chega de gastar e nem perceber

Dia 324/365:

Não, a vida não está fácil pra ninguém e, por isso, não podemos bobear com os pequenos Bastos semanais! O “Obrigada, estou apenas olhando” sugere que você tenha uma semanada.

Sim uma semanada! Sim, de você para você mesma (o). Está é uma forma de controlar estes pequenos gastos que, muitas vezes nos fazem perder o controle das finanças.

Se conseguirmos dar mais atenção e foco para as finanças e não somente para pagar as contas, quem sabe não daria para diminuir os gastos à toa e, por que não, guardar uma graninha para as próximas férias, por exemplo!

Expressões como “dinheiro foi pelo ralo” ou “rasgando dinheiro” significam que você pode estar gastando sem perceber. Comprinhas pequenas, um cafezinho, almoços na rua, chocolatinho… Uma coisinha aqui, outra ali… Experimenta anotar todos esses pequenos gastos e vai ver quanto está indo para o ralo, todos os dias.

Experimente se dar uma semanada. Defina um valor para a semana. Saque o dinheiro na segunda-feira e programe-se para pagar esses pequenos gastos. Em dinheiro, o cuidado que você terá para não gastar vai aumentar (do que se você estivesse passando o cartão de débito ou de crédito).

E que Deus continue NOS orientando e protegendo do mal, do perigo e dos gastos excessivos. 😉

P.S.: o café do Starbucks foi pago pelo meu amigo. Detalhe, a moça não acertou ao tentar escrever o meu nome no copo heheheh

O futuro a Deus pertence, mas honre sua vida até lá

Dia 323/365:

Viver como se não houvesse amanhã ou deixar a vida te levar não é um bom conselho financeiro. E o “Obrigada, estou apenas olhando” vai te explicar o porquê.

O brasileiro esquece que vai envelhecer e, por isso, não consegue guardar dinheiro ou investir. As pesquisas apontam que poucos têm o hábito de “pensar no futuro”.

Quando as pessoas começam trabalhar e a gerar renda, elas não conseguem se organizar na ansiedade de gastar tudo agora, sem pensar ou se imaginar lá na frente. Pensam de forma imediata.

Não se esqueça de adaptar-se à cada nova realidade de vida. Mudar de emprego e ganhar menos, não significa que você deve continuar mantendo o mesmo padrão de vida, uma vez que a sua renda diminuiu. nova realidade de vida. Ou então uma família de 3 filhos com uma casa grande: quando esses filhos se saem de casa, o casal não precisa mais de uma casa grande. O ideal seria se mudar para uma casa menor e diminuir seus gastos para aproveitar melhor a renda.

Estão entendendo que se adaptar é fundamental para a saúde financeira agora e no futuro.

Já foi o tempo que uma pessoa com 60 anos era considerada velha. Hoje, essa geração cuida da saúde, do corpo e continua ativa. Aproveite também para se enriquecer por dentro. Fuja da armadilha de se achar velho e inapropriado para o mundo atual; ou, ao contrário, achar-se o senhor da verdade. Procure colaborar e ser útil para o mundo, ensinando o que sabe e aprendendo com as novas gerações. Essa também é uma maneira de se manter dinâmico e usufruir tudo o que conseguiu economizar.

Vamos viver o hoje sim, mas não nos descuidemos do futuro. Mantenhamos pelo menos um rabinho de olho daqui a 20 ou 30 anos. A partir do momento que nos imaginarmos lá, vamos conseguir definir como queremos chegar. Então pense e faça acontecer. Planeje!

O futuro a Deus pertence sim, mas temos que honrar este futuro e fazer o melhor a cada dia! Com fé Nele e a certeza de que Ele cuida de nós! 😉

Não confie na sua memória

Dia 319/365:

Hoje o alerta do “Obrigada, estou apenas olhando” é sobre a sua memória. Não confie nela? Ué, como assim?

Uma das regras da educação financeira é não confiar na memória. Muitas vezes as pessoas acham que estão com a vida financeira em ordem, mas, se vão colocar no papel todos os gastos e despesas mensais, percebem que estão gastando além do que poderiam.

A gente acha que consegue armazenar informações sobre contas, despesas, números de toda a ordem. Mas não dá: é impossível guardar tudo, e ainda mais lembrar de todos os dados, datas e tipos de despesa.

Ao comprar algo ou pagar o almoço, por exemplo, observamos o valor da conta e pensamos guardá-lo na memória. Minutos depois, aquele valor se perde em meio a outros pensamentos. Pronto, mais um pequeno número perdido na cabeça.

Imagine você no seu dia a dia se esquecendo de anotar as pequenas compras e despesas… No fim do mês os pequenos valores se transformaram em grandes somas e, pior, tudo descontado do seu orçamento.

Para não ser surpreendido todo mês com esses valores aparentemente “desconhecidos”, anote todos (sim, TODOS) os gastos feitos ao longo do dia. Ah, mas isso dá trabalho? Sim, mas controlando, você vai perceber, ao longo do tempo, onde estão os gargalos do seu orçamento e ficará mais fácil controlá-los.

Fique atento com suas coisas, suas finanças e seu dinheiro. Nós não somos doidos e nem estamos rasgando dinheiro para dar tanta sopa para o azar.

Busque encontrar alegria em fazer isso: controlar os gastos, poupar, economizar. Assim, você transfere a alegria de gastar em satisfação por poupar.

Que Deus continue abençoando nosso desafio e nossa trajetória! 😉

Vai casar? Dívida as contas

Dia 317/365:

Ontem, o “Obrigada, estou apenas olhando” falou sobre a fase do namoro. Suponhamos que o relacionamento evoluiu e vocês ficaram noivos.

Preparem-se, vai começar a cobrança. Preparem-se para começar a ouvir de amigos, parentes e até vizinhos: “Quando vai ser o casório?”. Calma, vocês não precisam casar imediatamente. Esta data pode ser o start para marcar Wedding Day e a partir daí vocês se planejam com tudo que vão precisar fazer JUNTOS!

DICA DE OURO: DEFINA UM VALOR E ORGANIZE TUDO DENTRO DESTE ORÇAMENTO: para que isso aconteça vocês terão que ficar atentos a três verbos: planejar, organizar e controlar.  Lembre-se de controlar os gastos, anotar tudo e, se estiver saindo do orçamento, reorganize as contas!

FAÇAM LISTAS! Faça uma agenda com tudo que terá que fazer. Defina tempos  como um ano antes da data, seis meses antes, três meses antes, um mês antes e depois diariamente até chegar o grande dia. Se você contratar uma cerimonialista, ela cuida de tudo isso pra você, mas aí você não vai aproveitar as delícias de correr atrás das coisas hehehe

FAÇAM UMA POUPANÇA: se vocês acabaram de ficar noivos, mas ainda não tem uma data prevista para o casório, comecem uma poupança juntos. Quem sabe não conseguirão pagar alguns serviços à vista? Lembrem-se, pagando à vista é possível negociar desconto.

ESCOLHA A MELHOR DATA: quando for escolher a data do casamento, é bom ficar atento aos meses de abril, maio (mês das noivas), setembro (início da primavera), novembro e dezembro (fim de ano) são os mais caros. A baixa temporada dos casamentos acontece nos meses de janeiro, fevereiro, março, junho e agosto segundo as organizadoras de casamento. Ah, é bom lembrar também que almoços sempre saem mais barato do que jantares, para a recepção aos convidados.

APERTEM OS CINTOS: combinem entre vocês que com a aproximação do grande dia, vocês vão economizar. Gastos supérfluos, além de jantares e cineminhas podem ser reduzidos para economizarem na reta final.

CUIDADO PARA NÃO ENGORDAR OU EMAGRECER DEMAIS: hehehe Sim, eu tenho que dizer isso! Alguém precisa dizer pra vocês heheh Com o estresse grande dos preparativos para o casamento, tanto a noiva, quanto o noivo, costumam engordar ou emagrecer, dependendo de como encaram o estresse: comendo ou perdendo a fome heheh Então, cuidado!

Ah, casar deve ser lindo né? Eu também já sonhei com isso… Mas é melhor ficar aqui trabalhando e  imaginando o dia de vocês… hehehe Pedindo a Deus para que seja tudo lindo, maravilhoso e abençoado. 😉

As pessoas ainda guardam dinheiro em casa!

Dia 315/365:

Pasmem, gente: as pessoas ainda guardam dinheiro em casa! O “Obrigada, estou apenas olhando” teve acesso a uma nova pesquisa do SPC Brasil que constatou que 25% dos poupadores preferem guardar dinheiro em casa a investir.

Outro dado divulgado pela pesquisa revelou que a Poupança ainda é a preferida por 60% dos brasileiros que possuem recursos guardados. Apenas 16% dos brasileiros conseguiram terminar o mês de maio com recursos para aplicar. Por outro lado, 46% dos poupadores resgataram dinheiro guardado.

Guardar dinheiro em casa está errado por pelo menos dois motivos: é uma opção arriscada por questões de segurança e um hábito negativo do ponto de vista da rentabilidade, uma vez que o dinheiro fica parado sem render juros.

O SPC Brasil sempre defende que “guardar dinheiro no final do mês não é um hábito comum do consumidor brasileiro”. Não concordo e não gosto deste tipo de orientação dos economistas. As pessoas não devem esperar chegar o fim do mês para guardar dinheiro.

Entre os tipos de investimento, a Caderneta de Poupança ainda é a modalidade de investimento mais conhecida pelos entrevistados: ao menos 81% das pessoas que possuem dinheiro guardado já ouviram falar a seu respeito. Em seguida aparecem os Títulos de Capitalização (48%), planos de Previdência Privada (45%), ações em bolsas de valores (39%), fundos de investimentos (33%) e o Tesouro Direto (24%).

Eu sei que as escolhas de investimento são influenciadas tanto pelo conhecimento escasso sobre as possibilidades de investir como pelo comodismo.

Não seja preguiçoso. Faça o melhor por você e sua família. Vá buscar informação sobre outras possibilidades. As oportunidades são infinitas e você só terá a ganhar se buscar conhecimento.

Faça o seu dinheiro render. Quem sabe não sobra até para você ajudar alguém que precisa! Já pensou? Que Deus te abençoe em todos os sonhos! Gente, pé de meia, a gente só faz de meia mesmo, mas sem guardar em casa hein! 😉

Para conquistar o poder do dinheiro

Dia 309/365:

Por conta do “Obrigada, estou apenas olhando”, comecei a pesquisar livros que falem sobre educação financeira e, recentemente, participei do lançamento do livro do Tiago Brunet “O Maior poder do mundo”.

No livro, tem um capítulo com questionamentos sobre dinheiro. Não precisa responder pra mim, avalie e responda pra você mesmo (a):

1) Você tinha alguma resistência à teoria de que o dinheiro é um dos poderes que regem o mundo?

2) Se você entende a importância de ter recursos financeiros enquanto vivemos esta vida terrena, o que fará a partir de hoje para conquistar esse poder?

3) Os livros que você lê e as pessoas com as quais você convive são assertivos para a aquisição desse poder?

4) Em sua opinião, o que esse poder não consegue ou não pode comprar?

5) Vice já se deu conta de que quem tem o poder do dinheiro consegue potencializar tudo aquilo que for a a vida extraordinária?

6) Qual a criptonita do dinheiro?

Reflita sobre essas questões. Tenho certeza de que poderão ajudar você a mudar sua relação com o dinheiro. E que Deus abençoe NOSSAS reflexões e NOSSO modo de encarar a vida! Nada é para sempre e você pode pisar a sua forma de ver o mundo e encarar seus problemas. 😉

Ter dívidas não é normal

Dia 307/365:

Dívidas e aperto financeiro já faz tão parte do seu dia a dia que você acabou se acostumando com essa situação? Sinto dizer, mas isso não é normal. E o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ vai te ajudar a entender o porquê.

Você pode até se esforçar, mas no fim do mês é sempre a mesma coisa: sem dinheiro para bancar pequenas compras e até para guardar?  Você precisa entender que as pequenas decisões de gastos supérfluos (e que muitas vezes você não pode bancar), recorrentes, acabam no fim do mês minando as suas finanças.

Cuidado com a forma com que lida com o dinheiro. Se as dívidas não acabam nunca é um indício de que você está gastando além do que pode. Organize-se para quitar todas as dívidas para só então voltar a comprar.

Dívida é toda conta que você deixou de pagar na data do vencimento. Se você recebe  no dia 15 e suas contas vencem dia 5, verifique a possibilidade de alterar a data do vencimento de cartão de crédito, água, luz, telefone. Coloque sempre uma semana após a data do seu pagamento. Vai ficar mais fácil acabar com o atraso nos pagamentos desta forma.

Acompanhar as finanças é olhar tanto para a fatura do cartão de crédito, quanto para o saldo da sua conta corrente TODA semana. Acompanhe seu orçamento e planejamento financeiro com a mesma periodicidade.

Escolha a melhor forma de controlar suas finanças (no caderninho, na planilha do computador, usando aplicativo, não importa). Não importa como, desde que faça! E a partir de todas as despesas anotadas, vá avaliando onde é possível economizar. Monitorando você também conseguirá, inclusive, visualizar quando estará livre das dívidas.

Monitorar vai te ajudar, por exemplo, a se disciplinar. Sempre que vir um saldo na conta, não pense em gastar. O monitoramento vai te ajudar a lembrar que você precisará daquele dinheiro para pagar uma conta alta (como aluguel, financiamento ou empréstimo).

Vai por mim que dá certo. Primeiro livre-se das dívidas, pague suas contas em dia e só depois volte a comprar hein. Dê um tempo das compras que garanto que você vai conseguir doar, dizimar e até ajudar outras pessoas. Deus vai se alegrar com sua atitude e sua maneira de tratar o dinheiro, com liberdade para fazer o que quiser, sem se endividar. 😉