E para colocar as finanças em dia, use a fórmula 50/30/20

No dia 2 de janeiro (isso mesmo, já no segundo dia do ano), começamos a falar sobre poupar. Mas não dá pra falar em poupar, sem ter dinheiro para poupar. Para isso, você precisa ajeitar suas finanças e fazer as suas despesas caberem no seu orçamento. E o “Obrigada, estou apenas olhando” vai te ajudar nesta tarefa, que parece difícil, mas não é não: eu garanto!

Você já ouviu falar da regra de ouro das finanças pessoais, a Fórmula 50/30/20?  Quando aprendi sobre ela no ano passado, muita coisa mudou na minha vida. Assim que entendi como ela funcionava, resolvi incorporar no meu dia a dia. Mesmo porque não adianta aprender sobre algo, saber que vai melhorar a sua vida e não se apropriar dos ensinamentos e transformá-los em hábitos não é?

A Fórmula 50/20/30 chega no melhor momento de nossas vidas: ano novo! Assim dá pra você se estruturar, organizar as finanças e se planejar para viver uma relação mais harmoniosa com o dinheiro ao longo de 2019.

Para que você entenda como funciona, vamos começar com um exemplo bem simples. Vamos simular o uso da fórmula em um salário de R$ 1.500,00. Destes, R$ 200,00 foram para pagar impostos (ah, os impostos do governo heheh), sobraram R$ 1.300,00, valor líquido que será depositado na sua conta corrente e é com este valor que você vai contar.

Agora imagine que dos R$ 1.300, 00, R$ 650,00 (ou seja, os 50%) vão para pagamento dos gastos essenciais da casa (água, luz, telefone, internet, tv a cabo, condomínio, aluguel, transporte). Da outra metade do salário, você separa 30% para o momento relax da vida: passeios, compras, diversão e os 20% restante, você separa para a sua reserva mensal.

Nossa, parece que não vai dar, né? Mas tem que dar heheh Se você está gastando além disso, precisa rever os valores:  me lembro que na época que fiz as contas, troquei a operadora do celular e consegui reduzir os gastos com telefone móvel em 50%, graças a Deus.  Faça uma pesquisa com as operadoras e veja qual oferece as melhores vantagens com a menor mensalidade. Tenho certeza de que vai encontrar alguma que atenda as suas necessidades.

Apesar de ser conhecida como uma regra de ouro, ou seja, uma regra que os educadores financeiros garantem sucesso na aplicação, não é uma regra fechada. Você pode adaptá-la ao seu estilo de vida, mantendo, claro, a consciência sobre seus gastos e sobre o fato de que a poupança é fundamental para que este planejamento todo renda bons frutos no futuro!

Você vai conseguir! Junte as orientações da Fórmula 50/30/20 de hoje à planilha que divulgamos ontem e você tem as ferramentas para organizar a sua vida financeira. Aproveite esta oportunidade e vamos dormir tranquilos, sem dívidas e com dinheiro no bolso e investido. Lembre-se, eus é bom e Ele espera que você consiga viver bem em paz e prosperidade! 😉

 

Doeu aprender que leva tempo…

Dia 362/365:

Palestras, cursos, textos, livros, dicas, pesquisas, orientação do Pedro Braggio… Nossa, quantas fontes de informação e aprendizado. Neste quase um ano, o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ aprendeu de muitas formas… Até errando…

Sim, nem tudo foram flores por aqui. Colocar em prática o que aprendemos, não significa que vai dar certo na mesma hora. Acredito que o que mais doeu foi aprender que leva tempo!

Mas é matemática pura: para sobrar dinheiro, você tem que gastar menos do que ganha! Isso é incontestável. E somente sentindo na pele a dificuldade de fazer sobrar que aprendi o quão importante é tomar esta decisão.

Vocês se lembram bem que os primeiros três meses foram os mais críticos. Eu estava pagando as despesas que havia feito com cartão de crédito e cartão de loja em meses anteriores ao início do desafio. Daí, a demora em acertar tudo…

Mas depois que as despesas cessaram tudo ficou mais fácil. Sem as compras supérfluas, a cada mês sobrava mais para poupar. A cada mês aumentava mais a porcentagem do valor que seria guardado. E deu certo… Hoje, o valor que vai pra reserva financeira gira em torno de 35%, sem deixar de lado os meus gostos: cinema e almoços.

Tive alguns probleminhas de saúde neste período e nem estes gastos extras impactaram os valores poupados, pois, o restante estava em dia… Sem dívidas, sem um monte de boleto para pagar, as coisas ficam muito mais fáceis. Pode acreditar.

E não, não é um sonho impossível. Não, não é uma meta inatingível!

É possível! É atingível! Planeje-se, organize seus gastos, diminua as compras (lembre-se, você não precisa ficar um ano sem compras, como eu fiz), você pode diminuir suas compras, domine a sua vontade de gastar. Envolva toda a família em seu propósito, faça com que seja um desafio para todos! E, principalmente, viva de acordo com suas posses. Não ostente, não aparente o que não é, acredite, você vai sofrer menos.

Aprenda a dizer NÃO: para si mesmo, para seus filhos e cônjuges, para os amigos e colegas de trabalho! Não se endivide para seguir a galera, para mostrar para o vizinho… Ninguém tem inveja daqueles que estão endividados!

Que Deus continue NOS abençoando e NOS protegendo em todos os momentos de nossas vidas e em todas as áreas: finanças, pessoal, profissional, familiar… Seja feliz! 😉

 

 

Quem é mais rico?

Dia 332/365:

Você sabia que riqueza não tem a ver com o quanto você ganha, mas como você usufrui do quanto você ganha? Sim, e o ‘Obrigada, estou apenas olhando vai te explicar o porquê.

Vamos usar dois exemplos para que possamos avaliar o que um e outro fazem de certo ou errado. Vamos imaginar o Senhor A e o Senhor B:

Senhor A Senhor B
Renda mensal R$ 10.000,00 R$ 3.000,00
Custo mensal  R$ 10.500,00 R$ 2.000,00
Reserva para emergência 0 R$ 20.000,00
Saldo do mês – R$ 500,00 R$ 21.000,00

Consegue perceber a diferença? Apesar da renda mensal relativamente alta, o Senhor A gasta tudo que ganha. Não tem reserva financeira e termina o mês sempre no vermelho.

Embora o Senhor B tenha uma renda mais modesta, ele é mais rico que o Senhor A. Todo mês, ele consegue reservar 1/3 de sua renda para uma Reserva de Emergência que vem crescendo ao longo do tempo. Resultado, se algo acontecer como imprevisto, o Senhor A terá que recorrer a um empréstimo, enquanto o Senhor B, recorre às suas próprias economias e não fica devendo para ninguém.

A riqueza neste caso não está no valor, mesmo porque ninguém é rico com R$ 21 mil. Mas a forma como ele administra sua renda mensal pode nos ajudar muito.

Ontem falamos sobre hábitos e prioridades. Vamos analisar os hábitos de consumo destes dois senhores:

Senhor A Senhor B
Transporte utilizado no dia a dia Carro (60 x R$ 1.500) Bicicleta R$ 1.200,00
Sapatos 3 x R$ 100,00 R$ 90,00
Terno 4 x R$ 500,00  R$ 200,00

Enquanto o Senhor B vive e mantém seus hábitos de acordo com sua renda e tudo que tem está pago, o Senhor A, compra parcelado todos os meses, comprometendo o orçamento da sua família.

Se as coisas não andam bem pra você, financeiramente, falando, você precisa rever seus hábitos, seus gastos e suas prioridades. Não gaste além do que pode e faça sempre uma reserva financeira. Compre sempre à vista e, principalmente, não ostente uma vida que não é capaz de bancar.

Já fui como o Senhor A. Mas como Deus é maravilhoso na minha vida, consigo dominar as minhas vontades e, por conta disso, sou uma nova pessoa: transformada, focada e, principalmente, despreocupada. Espero nunca mais viver o estresse de não saber como resolver um imprevisto por falta de recursos financeiros.

Que Ele continue NOS abençoando e NOS protegendo em todos os momentos, NOS orientando, inspirando e ensinando! 😉

Você ganha bem?

Dia 285/365:

Se você é daqueles que tem um bom salário, mas mesmo assim vive reclamando que não tem dinheiro? Então, o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ quer falar com você!

Pois é, mas depois de tudo que passei antes de começar esse desafio e de tudo que aprendi nestes quase 10 meses, posso afirmar, sem sombra de dúvidas, que não ter dinheiro não tem nada a ver com o quanto você ganha. Outro dia, na igreja, ouvi a história do senhor Serafim, que ganhava 2 salários mínimos, mas devolvia, religiosamente, o seu dízimo, emprestava dinheiro para os amigos e vez ou outra trocava os móveis da casa. Milagre? Não! Administração!

Por conta de tudo que passei, entendo porque você, mesmo ganhando bem não consegue colocar sua vida financeira nos eixos, tem dívidas, atrasa o pagamento das contas, tem empréstimos ou financiamentos e chega sem dinheiro no fim do mês.

Sei bem porque eu era assim também. Não tinha dívidas, graças a Deus. Sempre pagava as contas em dia, mas não sobrava. O salário durava no máximo 5 dias. E você sabe o que vem fazendo de errado?

1) Avalie seus gastos. Se você nunca fez isso está na hora de fazer. Coloque tudo no papel: quanto ganha e como está gastando o seu dinheiro. Este será um choque de realidade, mas necessário para você começar a colocar sua vida nos eixos. Vai doer, porque você vai perceber que a conta não vai bater.

2) Viva o seu padrão de vida! Você tem que viver de acordo com as suas posses. Não queira ostentar para os amigos, colegas de trabalho ou vizinhos uma situação que não condiz com a sua realidade.

3) Acompanhe os seus gastos. Não faça nada ‘mais ou menos’. Anote tudo, até o cafezinho após o almoço. E você vai conseguir identificar os gargalos das suas finanças.

4) Faça uma reserva financeira. Experimente definir um valor mensal como se fosse uma conta a pagar, inclua no seu orçamento e guarde fielmente.

Depois que conseguir fazer tudo isso, a gente volta a conversar. O seu problema tem solução. E assim como aconteceu comigo, também quero que você viva feliz, tranquilo, sem dívidas, sem gastos supérfluos e atento ao vai e vem do seu dinheiro. Que Deus NOS abençoe e NOS acompanhe neste desafio de olhar de frente para o seu problema e enxergar. Se precisa de ajuda, conte comigo! 😉

Fim do mês: tem dinheiro aí?

Dia 235/365:

Hoje é o último dia do mê e como está a sua conta bancária? Com o ‘Obrigada, estou apenas olhando’, a situação da minha melhorou bastante, espero que NOSSO blog esteja te ajudando também.

É possível esticar o salário e conseguir terminar o mês sem entrar no vermelho ou apelar para o cartão de crédito. Para isso é necessário fazer um bom planejamento financeiro e reeducar sua mente para as compras com o objetivo de não se endividar.

1. Analise detalhadamente todos os seus gastos. Anote tudo aquilo que comprar durante uma semana e depois observe o que foi comprado impulsiva ou desnecessariamente.

2. Registre todos os seus gastos gastos diários, incluindo o cafezinho e a gorjeta.

3. Avalie o que pode ser cortado desses gastos e passe a fazer isso de olho numa poupança para emergências.

4. Defina o seu padrão de vida com realismo, viva dentro do seu padrão, com a sua receita, seja ela individual ou familiar.

5. Separe uma quantia para poupar todos os meses e coloque em uma conta poupança assim que seu salário chegar.

6. Planeje suas compras e evite as por impulso.

7. Deixe o cartão de crédito em casa. Você sabia que a maioria das pessoas não volta para comprar quando tem a oportunidade de pensar melhor?

8. Tenha foco e metas e convoque todos em casa para colaborar.

Depois de parar de reclamar, está na hora de trabalhar para fazer o seu salário esticar e durar mais do que os fatídicos três dias. Se você tem dinheiro na carteira, agradeça. Se não sobrou, agradeça por esta oportunidade de ler este post e perceber o que pode fazer para que dia 31 de maio, você tenha. E com Deus no controle de tudo, chegamos ao fim de mais um mês, com este desafio cada vez mais perto do fim. Obrigada, Senhor, por mais um dia. 😉

Pé-de-meia: faça, mas não guarde na meia!

Dia 228/365:

Hoje, me lembrei da expressão pé-de-meia (coisa das nossas avós né?). E resolvi pesquisar o seu significado. E, o “Obrigada, estou apenas olhando” alerta: entendam o significado, mas não levem ao pé da letra hehehe

Pé-de-meia é uma expressão popular usada para se referir a uma reserva financeira (aquela que a gente já batizou aqui de colchão financeiro lembra? E porquê colchão? Para que a gente possa recheá-lo mais e mais até ficar bem fofinho e, quanto mais alto, melhor hehehe). O pé-de-meia pode ser feito com o intuito de realizar um sonho, ou seja, tem data pra começar e acabar, ou pode ser feito pensando no futuro, numa aposentadoria, ou para suprir imprevistos.

Acredita-se que a expressão tenha surgido na Europa, chegando ao Brasil com os portugueses. Naquela época, as pessoas desconfiavam dos bancos, principalmente, aquelas que moravam em áreas rurais e, como estavam longe das cidades e o acesso aos bancos era dificultado pela distância, as famílias preferiam guardar o dinheiro em suas próprias casas.

Lembro-me quando era criança e meu avô chegava com o pagamento, entregava nas mãos da minha avó e ela separava os valores correspondentes às contas que tinham que ser pagas em envelopes e o dinheiro que sobrava ela enrolava num lenço e escondia no fundo da gaveta da cômoda.

A relação de pé-de-meia com a reserva financeira é mais ou menos essa: os antigos guardavam o dinheiro a ser poupado numa meia e escondiam (como minha avó fazia) em locais de segurança. Ah, antes de guardá-las, as meias eram costuradas para que aquele que guardou pudesse perceber caso alguém mexesse no dinheiro.

Enquanto nossas avós guardavam nas meias, nossos políticos guardam na cueca… Ah, gente, desculpe, não resisti hehehe

Ainda bem que o costume está em desuso, mas é importante lembrar que guardar dinheiro em casa tá errado, não é? Mesmo com a queda da taxa Selic e da inflação, diminuindo os rendimentos dos investimentos, como poupança e Tesouro Direto, usar o banco ainda é a melhor opção.

Guardar dinheiro é uma boa prática. E se você está conseguindo fazer, não deixe o dinheiro parado em casa. Você pode deixar uma ‘caixinha’ para pequenos gastos como comprar pão, por exemplo. Dinheiro parado você perde, não se esqueça disso!

Que Deus continue abençoando NOSSAS vidas, orientando e NOS inspirando para que possamos continuar fazendo as coisas que O agradem. E posso garantir, fazer uma gestão financeira do nosso dinheiro agrada a Deus, com certeza. Honre seus compromissos e faça o bem, que o resto vem! 😉

 

 

 

Só nós estamos poupando?

Dia 227/365:

Gente, o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ teve acesso à última pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL)  que apontou que APENAS 16% dos brasileiros pouparam em fevereiro.

Para tudo! Este é o  menor percentual em 15 meses. Acredito que só nós (eu e vocês que estão seguindo o blog) estamos poupando. Graças a Deus que vocês estão aqui, meus amigos e me aguentando todo dia batendo na mesma tecla: economiza, poupa, guarda dinheiro, investe, pára de gastar com bobagem e por aí vai… heheh

A gente entende que sempre que a situação aperta e as pessoas recorrem ao dinheirinho que tá guardado. Já ouvi testemunhos de que até o cofrinho de moedas dos filhos é ‘assaltado’ quando a mãe não tem dinheiro pra ir buscar pão, por exemplo.

Não tem problema de ‘assaltar’ o cofrinho dos filhos, mas lembre-se de devolver o dinheiro depois, lembre-se de repor, pois o seu filho está vendo e criança aprende muito mais pelo exemplo do que pelo conselho ou orientação.

Em média, o valor poupado gira em torno de R$ 498,81. É um bom valor para guardar. Se você estiver fazendo isso, religiosamente, todo mês, palmas pra você. Lembre-se sempre de reservar o valor que será poupado, como se fosse uma conta a pagar. Não espere sobrar. Não fique nessa de usar a desculpa: ‘ganho tão pouco’ ou ‘não sobra pra guardar’. Estas desculpas são utilizadas por 42% das pessoas que não pouparam em fevereiro.

Independente se você ganha muito ou pouco, se você tiver gestão sobre a sua renda, você vai conseguir guardar dinheiro para imprevistos ou realizar sonhos de consumo. Se você não tiver controle sobre suas finanças, sobre o quanto você ganha e como está gastando o seu dinheiro, ele vai faltar da mesma forma, você ganhando mil ou 10 mil reais. Fique atento para não se descontrolar, gastar além do que ganha ou até viver, iludido, um padrão de vida que não é seu.

Se você faz parte desta estatística do SPC e não conseguiu guardar dinheiro em fevereiro está na hora de parar e avaliar os seus hábitos e atitudes. E fica aqui com a gente, todos os dias nós orientamos, alertamos e chegamos até a ser chatos com isso: TEM QUE GUARDAR DINHEIRO!

Domingo é sempre um bom dia para fazer este tipo de análise. Aproveita e começa já! Que Deus te oriente para fazer isso o mais rápido possível, vai ser bom pra você e pra sua família: eu garanto! Que Ele continue NOS abençoando, NOS orientando em todas as NOSSAS decisões, mudando NOSSOS hábitos e transformando NOSSAS vidas. 😉