O que o Filho Pródigo pode nos ensinar sobre dinheiro

Dia 297/365:

Hoje, saiu a nova edição do jornal da igreja e meu texto sobre Educação Financeira está lá! E para a Glória de Deus, que inspirou este tema, reproduzo aqui para você também!

A regra para uma situação financeira equilibrada é gastar menos do que ganha.

Educação financeira é um assunto que podemos aprender em muitos lugares e das mais diversas formas. Mas hoje, a fonte de aprendizado é a Bíblia. Sim, você sabia que a Bíblia traz profundos ensinamentos sobre o trato com o dinheiro?

A parábola do Filho Pródigo é um bom exemplo. Esta talvez seja uma das mais conhecidas parábolas de Jesus. Ela está Evangelho de Lucas (15:11-32). Você conhece esta passagem. Mas você sabe o significado da palavra pródigo?

Pródigo significa desperdiçador, extravagante… O filho pródigo sai pelo mundo com sua herança e, depois de perder TODA a sua fortuna, volta para casa arrependido. Com esta parábola, Lucas nos faz repensar todos os erros que cometemos ao longo de nossas vidas com relação ao dinheiro.

O perigo da relação com o dinheiro não está em quanto você ganha. Claro que todos que trabalham merecem ser reconhecidos pelo seu esforço e dedicação com bons salários, mas você pode não ter uma vida financeira equilibrada por conta da forma como você gasta o seu dinheiro.

Os ensinamentos do Filho Pródigo:

– Espere em Deus: o filho pródigo não soube esperar nem o falecimento de seu pai para receber a herança. Vivemos em um mundo onde o imediatismo reina. É por isso que as compras em parcelas a cada dia aumentam. Ninguém mais tem paciência (e disciplina) para juntar dinheiro e depois comprar.

 – Valorize sua família: o filho pródigo trocou a segurança da família para se aventurar no mundo, instigado pelas riquezas. Vivemos em uma sociedade que nos avalia pelo que temos e não pelo que somos. Andamos constantemente ansiosos por questões financeiras. Estamos rodeados por propagandas que valorizam o “poder” do dinheiro.

– Deposite sua fé em Deus: imaturo e inexperiente, o filho pródigo não queria uma vida de trabalho e acreditava que a resposta para suas frustrações estava no dinheiro. Cuidado, ele depositou a sua felicidade no dinheiro.

– Faça uma reserva financeira: a extravagância fez que o filho pródigo perdesse tudo. Ele não guardou, não poupou, não economizou e não investiu. Ele não separou os 10% de Deus, gastando tudo que tinha. Não pense somente no dia de hoje.

Espero que goste! Um beijo e fique com Deus! 😉

Usei a mão da minha mãezinha para ilustrar a força do amor e do perdão!

Vamos conversar sobre finanças lá em casa

Dia 263/365:

Conversar sobre finanças deveria ser tão tranquilo e transparente como conversamos sobre filmes, novelas… Política, religião e futebol não, porque dá briga heheheh

O “Obrigada, estou apenas olhando” já orientou sobre a importância de conversar com sua família sobre as finanças: maridos e esposas precisam saber quando ganha um e outro. Só assim será possível dividir as despesas de maneira que não sobrecarregue um ou outro.

Por outro lado, homens e mulheres têm medo de abrir para o seu cônjuge quanto ganham por mês por medo de ser cobrado ou ainda ser monitorado.

Não sou casada, mas fico aqui pensando na parceria entre marido e mulher e a questão financeira precisa fazer parte desta parceria. A mulher, sem medo do marido vigiar seus gastos extras em lojas ou no salão; e o homem, sem medo da esposa ou dos filhos pedirem dinheiro.

Pare com esse medo e envolva todos da família no planejamento financeiro da sua casa. Assim, você conseguirá viver, sem dúvida, com mais qualidade e reduzirá, sensivelmente, os níveis de estresse.

Evite crises conjugais! Esse é um pequeno passo para estabelecer a confiança. Vamos derrubar essa barreira!

Conversar sobre finanças em família vai deixar o ambiente mais saudável!

E a harmonia no lar é tudo que Deus quer para as nossas vidas! Se ficar apreensivo (a) na hora de iniciar esta conversa, peça a orientação de Deus: Ele vai te ajudar! Assim como nos defende, orienta e inspira todos os dias, em todos os momentos. 😉

Pare de sabotar seu bolso, sua carteira, suas finanças…

Dia 244/365:

A gente já falou sobre os sentimentos sabotadores do nosso dia a dia e que podem impactar diretamente o nosso orçamento. Mas hoje, o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ vai abordar algumas atitudes que também podem sabotar a sua carteira, o seu bolso, as suas finanças…

A gente sabe que não é fácil poupar, mas não é impossível. Mas se você ainda está naquele círculo vicioso de prometer guardar um dinheirinho e não está conseguindo, pois surgem compromissos ou gastos extras que falam mais alto, está na hora de reavaliar as suas prioridades.

Primeiro porque poupar deve ser uma prioridade também e segundo, não conseguir poupar é uma cilada: você precisa sair da inércia e resolver as coisas. Se você não está conseguindo anotar seus gastos numa planilha, aplicativo ou num caderno/agenda alegando a falta de tempo, esta pode ser uma desculpa do seu inconsciente, sabia? Você está tentando se proteger de descobrir o problemão que pode ter virado a sua vida financeira sem controle.

Esta semana tive gastos extras, um que estava planejado (um presente) e dois que não estavam previstos, mas foram resolvidos facilmente porque as finanças estão em dia.

O primeiro foi com a caixa d’água. E toda a vez que a gente chama um prestador de serviço vai dinheiro hehehe Apesar de ser um senhor conhecido e fazer um preço que ele intitula como ‘justo’, não fica barato heheh  E o segundo gasto aconteceu hoje com a compra de um novo liquidificador: o copo que havia quebrado e estava remendado há pelo menos uns dois anos, hoje deu seus últimos suspiros heheh Até tentei comprar um novo copo, mas era quase o preço de um liquidificador novo. Conclusão: comprei um novo, paguei à vista e chorei desconto.

As contas do mês também já estão pagas e sempre me surpreendo com a queda considerável no número de boletos, com a graça de Deus. E as suas contas como estão? Você está conseguindo pagar antes do vencimento, sem juros e multas? Contas de água, luz, telefone, precisam ser pagas em dia para que o serviço não seja cortado. Cartão de crédito? Ah, esse a gente já explicou que é um dinheiro que não pode ser considerado como seu, né?

Não se iluda com o cartão de crédito. O cartão de crédito dá a sensação de que você pode comprar tudo o que quiser. Essa coisa de comprar hoje e pagar só a partir do próximo mês dá a falsa ilusão de que você consegue pagar, afinal, você passou o cartão e saiu com as suas compras, mas lembre-se que a fatura vem heheheh Usar cartão de crédito nos dá a falta impressão de que sempre temos dinheiro para gastar.

Todo gasto é gasto. Chega de pensar que aquele cafezinho diário, guloseimas e comprinhas de baixo valor não pesar no seu orçamento mensal. Pesam sim! Defina um valor diário para gastar com coisas que deseja e fique atento para não ultrapassar esse valor.

Não tenha vergonha de ficar em casa. Toda sexta-feira, os colegas de trabalho combinam uma happy hour e você, mesmo apertado financeiramente, vai junto. E você vai por, pelo menos dois motivos: seja porque tem vergonha de dizer que está sem grana; seja porque tem medo de admitir que  a sua situação financeira não está boa. Afinal, quando você admite e passa a enxergar a situação como ela é, você tem que mudar seu comportamento, suas atitudes… Conhecimento gera responsabilidades.

Viu, gente, não é tão difícil. A gente só precisa de um pouco de disciplina, determinação. Plantar para colher. E, principalmente, parar de se sabotar. Comece a agradecer pelas contas pagas em dia, pela diminuição dos boletos e pelas bênçãos que Deus vai derramar sobre sua vida se você for solidário e generoso. Aprenda e compartilhe. Os resultados vem, pode acreditar! Seja feliz e próspero. Que Deus continue NOS abençoando, protegendo e inspirando! 😉

O que as pessoas (bem sucedidas) pensam sobre o dinheiro

Dia 218/365:

A gente já falou muito aqui sobre o poder das nossas crenças sobre finanças. Aquelas que aprendemos na infância e teimam em continuar na vida adulta… O ‘Obrigada, estou apenas olhando que te ajudar a se livrar delas.

O livro ‘O Segredo da Mente Milionária’ de T. Harv Eker (gente, ele está no Brasil, hoje, amanhã e domingo para o Millionaire Mind Intensive‎, um treinamento que não consegui participar desta vez, o investimento era muito alto, mas não vai faltar oportunidade, tenho certeza) fala sobre isso: como as pessoas bem sucedidas encaram o dinheiro e o que pensam sobre suas finanças. 

1 – Eu crio minha vida   |   Minha vida acontece

2 – Obstáculos são oportunidades    |   Sou sempre bloqueado

3 – Eu sei como gerenciar o dinheiro   |   Tenho dificuldade em gerenciar o dinheiro

4 – Estou sempre aprendendo e crescendo   |   Já sei tudo o que preciso saber

Com quais pensamentos você se identifica? Quais precisa eliminar da sua vida? Quais precisa trabalhar para alcançar? Quantas perguntas né?

Acredito  que você já percebeu qual o lado é a forma como as pessoas prósperas pensam e aquelas que ainda não atingiram essa maturidade financeira pensam.

Mas tenha sempre em mente que à medida que nos damos conta de que a natureza é rica, abundante, generosa e próspera, fica mais fácil lembrar que fazemos parte disso também. Ou seja, então você vai encarar, normalmente, que também podemos ser ricos, prósperos e abundantes. E que tudo pode, sim, vir para nós, sem limites.

Você merece ter uma relação saudável e equilibrada com sua Saúde Financeira. Eu posso, você pode, nós podemos, TODOS podem! Que Deus continue abençoando NOSSA vida, abrindo NOSSA mente, transformando a NOSSA história, pra melhor, sempre! 😉

 

Inteligência financeira: nós temos!

Dia 174/365:

Nosso mentor financeiro, o educador Pedro Braggio, deixou o seguinte comentário na página do Facebook do  ‘Obrigada, estou apenas olhando’, sobre o Desafio das 52 semanas:

“Muito legal… Iniciar uma reserva é sempre um ato de inteligência financeira”.

Fiquei curiosa com a expressão que ele usou ‘inteligência financeira’e fui entender um pouco mais sobre isso e descobri que está ligada ao nosso comportamento e nossas emoções. Ou seja, está relacionado às decisões que tomamos com relação às finanças. Ou seja, utilizar corretamente a inteligência financeira é mais do que saber quanto ganha, é ter autodisciplina e clareza de objetivos, em outras palavras, saber quanto ganha, monitorar quanto e como gasta.

Mas o melhor foi descobrir que qualquer um pode desenvolver inteligência financeira. Como? Fazendo exatamente o que todos os nossos seguidores fazem: controle sobre ganhos, gastos, economizando, poupando e, principalmente, vivendo com o seu padrão de vida.

Como desenvolver a inteligência financeira

1) Mudança de hábitos: encontre motivação para fazer diferente no seu dia a dia. Trace objetivos e foque neles: assim, tenho certeza de que vai conseguir fazer diferente;

2) Resista às compras a prazo: nosso mantra de novo por aqui! Compre à vista e peça desconto!

3) Proteja seu dinheiro: faça um planejamento financeiro a curto, médio e longo prazo, assim, se passar por algum imprevisto, não precisará recorrer a empréstimos (Deus NOS livre);

4) Controle seus gastos: esta é uma habilidade indispensável para aqueles que querem atingir inteligência financeira. Identifique os gargalos da sua situação financeira e minimize-os o máximo que puder;

5)Multiplique seu dinheiro: estágio mais alto daqueles que tem uma boa saúde financeira. Se você já está no estágio de poupar, então está preparado para buscar outras formas de investir. Procure uma corretora de valores. Não deixe nas mãos do banco no qual você tem conta.

Abençoados já somos. Agora inteligentes, sábios e espertos com relação às nossas finanças. E que Deus continue NOS inspirando para aproveitar as melhores oportunidades, com amor, saúde e inteligência (financeira)! 😉

 

Seja firme e diga não!

Dia 161/365:

Gente, lembra que ontem comentei que iríamos falar sobre aprender a dizer não? Na hora de dizer não precisamos de toda a ajuda possível e, por isso, o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ foi buscar orientações com um profissional especialista na área de persuasão e em como falar em público.

Jornalista, radialista e palestrante (além de meu amigo hehehe), Carlos Cunha, lida o tempo todo com pessoas que frequentam os seus cursos e palestras com dificuldade de se expressar. E essa é um problema que pode impactar todas as áreas da sua vida.

Uma pessoa que tem dificuldade para se expressar, pode, por exemplo, alegar medo ou vergonha de pedir desconto, de reclamar seus direitos ou simplesmente de dizer não para uma vendedora simpática e compra, o que muitas vezes não queria, para conseguir sair de uma situação constrangedora. Quem nunca?

Mas, fique tranquilo, nem tudo está perdido para você, meu amigo (a) que já passou por isso. Você pode aprender a posicionar-se, de acordo com Carlos Cunha. “É possível deixar claro o seu posicionamento diante das mais diferentes situações: você só precisar utilizar-se dos próprios argumentos para esclarecer, informar e eliminar dúvidas e mal-entendidos. Sempre se utilizando das palavras certas e do momento certo”, explicou o especialista.

Ah, gente, mas uma coisa que ele fez questão de deixar muito claro é que o ato de posicionar-se nada tem a ver com omitir informação ou até mesmo mentir. “Muita gente acredita nisso, confunde e se utiliza deste artifício para sair de alguma situação, infelizmente”, alerta.

Carlos explicou que a maioria das pessoas que o procuram, em palestras, cursos ou treinamentos (gente, ele ajuda todo mundo que precisa aprender, não só a falar em público, como se expressar melhor, #FicaADica) está em busca de clareza na hora de se comunicar, na hora de tomar uma posição. “As pessoas se sentem inseguras, se preocupam em não ofender e, com isso travam até quando estão em ambientes pequenos, como uma reunião, por exemplo”, reforça. Tá vendo, gente, isso é mais comum do que a gente imagina.

A timidez deve piorar toda essa dificuldade de se comunicar. Mas, amigos, tenho a dizer que NÃO é resposta sim! Pode não ser a resposta que a pessoa queria ouvir, mas é uma resposta. E que muitas vezes precisa ser dita! Carlos explica que para muita gente dizer NÃO é uma tarefa das mais complicadas. “É necessário ter tato e saber para quem iremos negar alguma coisa. Caso contrário, ao invés de passarmos uma imagem de pessoa objetiva e bem resolvida, acabamos sendo vistos como omissos”, explica.

Isso é verdade, as pessoas podem enxergar isso  como grosseria ou má vontade, mas, na verdade, você está apenas se defendendo e se posicionando. Depois de um NÃO deve vir uma explicação bem argumentada sobre o por quê da negativa. “Numa loja, seja polido e explique ao vendedor a razão de não levar, de não comprar naquele momento. Até o ‘obrigado, estou apenas olhando’ é um NÃO, de maneira educada (risos!)”, argumenta Carlos. Uia, gente, ele usou nosso mantra heheh Estamos ganhando o mundo!

Uma das mais importantes perguntas que fiz pra ele foi sobre como se posicionar diante da família. Por exemplo, quando o pai ou a mãe não tem condições de comprar algo ou de bancar uma viagem de férias. Carlão, como é conhecido pelos amigos, explicou que saber dizer não é super importante para ter uma vida financeira saudável.

“Dizer não em casa dói na alma. A sensação de impotência que isso dá, principalmente em questão de finanças, é insuportável e tira o sono. Nesta hora, cabe o bom senso e a aplicação das palavras certas”, aconselha. “Escolha um momento que não vá causar tanta turbulência e um ambiente tranquilo pra falar sobre o assunto. Pense, avalie e discuta com o seu cônjuge se não é possível criarem juntos um plano B”, alertou.

Carlão explica também (e isso já falamos muito aqui) que é melhor adiar algum projeto para não se apertar financeiramente depois. “Essa disposição em ter um plano B para a situação deve ficar muito clara na hora de falar e expor o assunto e as implicações do NÃO para o seu cônjuge. Lembre-se, a apresentação de argumentos claros, ajuda na compreensão da mensagem”, completa.

Viu só gente, não é um bicho de sete cabeças. Aprenda a falar NÃO e se proteja! É isso mesmo: se posicionar vai te ajudar a viver melhor, sem preocupação de ter que honrar uma dívida que sabe que vai atrapalhar o seu planejamento. !

Espero que estas dicas ajudem você a se posicionar melhor no seu dia a dia, em casa, no trabalho, na rua, no shopping hehehe Se você precisa falar não, tome coragem e diga exatamente o que está sentindo. Não confunda com grosseria. Não tem nada a ver ser sincero com ser sem educação. E como diz o Carlão, é isso!

Que Deus continue NOS abençoando e colocando em nosso caminho pessoas que só fazem acrescentar. 😉

 

 

Se você se interessou pelo trabalho do Carlos Cunha e quer saber mais sobre Falar em Público, acesse o site e conheça um pouco mais do trabalho dele: lá também tem artigos e dicas. Aprenda a dizer não, você vai ser uma nova pessoa! Eu garanto!

Quem são os cúmplices da sua situação financeira?

Dia 150/365: 

Você sabe quais são os cúmplices da sua situação financeira?  Avaliando esta pergunta que li hoje no Instagram, percebi que com o ‘Obrigada, estou apenas olhando’, estou aprendendo muita coisa sobre mim mesma.

Você sabe que nossa vida é resultado direto de nossas escolhas, não é? Sim, é! E por conta disso, somos os únicos responsáveis por todas as consequências de nossas escolhas. Mas, apesar desta responsabilidade, temos alguns co-responsáveis neste processo: os nossos cúmplices nas decisões que tomamos.

Os meus maiores cúmplices de compras impulsivas eram os cartões de loja, sem sombra de dúvidas.  Eram eles que me ajudavam a sabotar esta área da minha vida. Encarar o cartão da loja como um facilitador das compras foi o meu maior erro. Eu nem considerava o cartão de loja como cartão de crédito, e, acredito que vinha daí o descontrole.

Graças aos ensinamentos do educador financeiro, Pedro Luiz Braggio, foi possível entender o que estava errado nas minhas atitudes para conseguir mudar.

Temos que optar pelas compras à vista e em dinheiro. Desta forma, tenho certeza de que vamos conseguir parar e pensar antes de gastar. Isso por que nós atribuímos valores diferentes ao dinheiro dependendo do meio de pagamento que escolhemos para fazer uma compra.

Sim, é verdade. Comece a prestar atenção: se for comprar algo que custa R$ 100,00 no cartão de débito ou de crédito é sempre mais fácil do que se você for pagar em dinheiro ‘vivo’. Isso porque, quando vamos parcelar, a gente não pensa no valor total da compra, mas no valor das parcelas.

Era assim que eu fazia minhas compras. Eu não olhava o preço de uma roupa de 100,00, mas avaliava o valor das parcelas: ‘ah, dá pra parcelar em 5 x R$ 20,00 e não vai pesar’. O problema é que não era só uma peça e nem só uma compra por mês.

Temos que começar a encarar o cartão de crédito como dinheiro, aí, quem sabe, sejamos capazes de segurar mais as compras. Afinal, mesmo adiando o pagamento, as faturas do cartão de cartão de crédito também vão chegar. Pergunte-se se você gastaria essa quantia (seja ela qual for) caso fosse pagar em dinheiro. Se a resposta for não ou não sei, não compre!

Adiar o pagamento de suas contas também pode ser outro gatilho negativo para a sua atual situação financeira. Não adie o pagamento de suas dívidas, elas não vão sumir hehehe Acredito que você já ouviu aquela história de que não pagar uma dívida, após cinco anos ela caduca. Após este tempo, apenas o seu nome sai dos registros de inadimplência. A dívida continua existindo e você pode ser cobrado (e com juros altíssimos) a qualquer momento.

Não atrase pagamentos: se você é daqueles que paga suas contas todo mês atrasado, tá pagando juros e perdendo dinheiro, não é mesmo? Pode até não ser culpa sua. Pode ser que a data do seu salário não coincida com os vencimentos dos boletos. Para parar de pagar juros e multas, adeque as datas dos boletos para, de três  a cinco dias após a data em que seu salário ‘cai’ na sua conta. Você vai ver quanto vai conseguir economizar, mensalmente, apenas adequando as datas.

Temos que nos livrar de nossos cúmplices. Você se lembra que já consegui me livrar dos meus cúmplices, não é? E isso é libertador viu! Desde que comecei este desafio, até o sono ficou mais tranquilo e reparador: aquele que é capaz de renovar mesmo nossas forças para o dia seguinte. As preocupações atrapalham a nossa vida e a nossa paz de espírito… Não deixe!

Que Deus continue NOS abençoando em nossas escolhas. Que elas tragam os melhores resultados e consequências positivas para a NOSSA vida. Que as oportunidades sejam aproveitadas com saúde e sabedoria! 😉