Poupe para poder gastar (com sabedoria)

Dia 354/365:

Um ano sem compras, uma reserva financeira próxima da meta e mais de mil seguidores acompanhando este desafio… Fico muito feliz com os resultados do ‘Obrigada, estou apenas olhando’… Mas devo confessar que não pensei muito pra tomar a decisão.

Acho que se pensasse, analisasse prós e contras, talvez não entrasse nessa. Mas como decisões, a gente toma em segundos, estou aqui, quase um ano depois comemorando os resultados.

A ideia no início era ter uma reserva financeira. Com o blog percebi que poderia muito mais e depois do curso com o Pedro Braggio, aí o cenário se descortinou na minha frente e tive que corrigir a rota. Dicas sobre finanças pessoais, economia doméstica, educação financeira estão tão presentes no meu dia a dia que quando vejo me pego aconselhando alguém sobre isso ou levando o assunto para uma roda de conversa.

A tranquilidade financeira veio como consequência: deixei de comprar, diminui as idas ao cinema, os almoços fora, as pizzas à noite (pelo preço e pela dieta heheh). Percebo que quando o assunto finanças vira meme, normalmente, destacam o dilema entre guardar dinheiro ou aproveitar a vida (com o mantra ‘só se vive uma vez’).

O Indicador de Bem-Estar Financeiro mensurado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) também avaliou esse dilema e descobriu que 56% dos brasileiros reconhecem que não conseguem aproveitar a vida da maneira ideal em razão da forma com que administram seu dinheiro.

Bem-estar financeiro é o estado em que o indivíduo tem capacidade de honrar as suas obrigações financeiras, sente-se seguro com relação ao futuro financeiro e pode fazer escolhas que lhe permitam aproveitar a vida. E você sabe o que impacta o bem-estar financeiro do brasileiro? Pasme: a falta de preparo para lidar com gastos imprevistos!

Exatamente o que aconteceu comigo. Apenas 12% dos consumidores, segundo o estudo, teriam condições de cobrir uma despesa inesperada de valor expressivo, seja se utilizando recursos da própria renda ou de uma reserva financeira. A maioria (65%) não teria saídas práticas para enfrentar essa situação, segundo apurou o indicador.

Espero que NÓS estejamos entre os 12%. Depois do susto, a gente toma jeito, aprende com os erros e segue em frente, ajudando outras pessoas! Que Deus continue NOS orientando, abençoando e protegendo e que o Espírito Santo toque a NOSSA vida de uma maneira toda especial que resulte em TRANSFORMAÇÃO. Seja feliz! 😉

Não pagar empréstimo pode te deixar negativado

Dia 347/365:

O ‘Obrigada, estou apenas olhando’ teve acesso à nova pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) que revelou que 35% dos consumidores que contraíram empréstimo ficaram negativados por conta do atraso no pagamento das parcelas. Desse total, 20% já regularizaram a situação, enquanto 15% permanecem negativados.

De acordo com os órgãos, o empréstimo é uma prática recorrente para pagamento de dívidas, situações de imprevistos e até para reformar a casa ou trocar de carro. Mas a falta de controle financeiro e o fantasma do desemprego estão colaborando para que mais pessoas acumulem dívidas e não consigam honrar seus compromissos.

Gente, não pagou, fica negativado. De acordo com o levantamento, dois em cada dez brasileiros (23%) contrataram algum tipo de empréstimo nos últimos doze meses, sendo que 12% buscaram empréstimo pessoal em bancos e 7% em financeiras. Além disso, 14% optaram por empréstimo consignado em banco, principalmente entre o público com mais de 55 anos (27%), e 6% em financeiras, modalidade em que se desconta as parcelas diretamente do salário ou da aposentadoria.

E para piorar a situação, cada entrevistado que participou da pesquisa revelou que possui, em média, dois empréstimos. A maior parte do dinheiro obtido com o empréstimo pessoal é destinada ao pagamento de dívidas (24%), como outros empréstimos, fatura do cartão de crédito e prestações em atraso. Outros 19% utilizam o dinheiro para reformar a casa ou apartamento, 15% para abrir um negócio e 15% para viajar. Entre os que adotaram a modalidade de consignado, as principais finalidades apontadas são: pagar dívidas de outros empréstimos, cartão de crédito e contas em geral (30%), reformar a casa ou apartamento (20%), pagar contas de água, luz, telefone, aluguel, condomínio e escola (16%), comprar mantimentos para casa (14%) e comprar ou trocar de carro (13%).

Conforme fui lendo o resultado da pesquisa, os números me impressionaram ainda mais: o número médio de parcelas para quitar o empréstimo variam entre  15 e 24, esta última entre o público com mais de 55 anos.

A boa notícia é que 75% dos pesquisados consegue controlar o pagamento das parcelas. Desse universo, 34% fazem esse acompanhamento por meio de anotações em agenda ou caderno, 24% usam planilhas no computador e 17% aplicativos de celular.

Mas o que mais me deixou triste foi o percentual expressivo de consumidores que NÃO controlam suas despesas: 25% entre as classes C e D, e 38% entre as classes A e B. Gente, se você não fizer controle financeiro, qualquer imprevisto pode te deixar numa situação complicada e fazer com que suas dívidas se transformem numa bola de neve!

Ah meus queridos, não tem como fugir das contas e dos boletos… Eles batem à nossa porta, regularmente, todo mês, naquele dia marcado. Então, procure controlar suas finanças para que os boletos comecem a diminuir até que sejam eliminados por completo.

Não façam parte das estatísticas negativas, só das positivas heheh Espero que você não esteja entre os 35% negativados. Com a graça de Deus, estamos no caminho certo, tenho certeza! Que Deus continue NOS abençoando e NOS protegendo em todos os momentos e, quem sabe, até de nós mesmos… 😉

 

As pessoas ainda guardam dinheiro em casa!

Dia 315/365:

Pasmem, gente: as pessoas ainda guardam dinheiro em casa! O “Obrigada, estou apenas olhando” teve acesso a uma nova pesquisa do SPC Brasil que constatou que 25% dos poupadores preferem guardar dinheiro em casa a investir.

Outro dado divulgado pela pesquisa revelou que a Poupança ainda é a preferida por 60% dos brasileiros que possuem recursos guardados. Apenas 16% dos brasileiros conseguiram terminar o mês de maio com recursos para aplicar. Por outro lado, 46% dos poupadores resgataram dinheiro guardado.

Guardar dinheiro em casa está errado por pelo menos dois motivos: é uma opção arriscada por questões de segurança e um hábito negativo do ponto de vista da rentabilidade, uma vez que o dinheiro fica parado sem render juros.

O SPC Brasil sempre defende que “guardar dinheiro no final do mês não é um hábito comum do consumidor brasileiro”. Não concordo e não gosto deste tipo de orientação dos economistas. As pessoas não devem esperar chegar o fim do mês para guardar dinheiro.

Entre os tipos de investimento, a Caderneta de Poupança ainda é a modalidade de investimento mais conhecida pelos entrevistados: ao menos 81% das pessoas que possuem dinheiro guardado já ouviram falar a seu respeito. Em seguida aparecem os Títulos de Capitalização (48%), planos de Previdência Privada (45%), ações em bolsas de valores (39%), fundos de investimentos (33%) e o Tesouro Direto (24%).

Eu sei que as escolhas de investimento são influenciadas tanto pelo conhecimento escasso sobre as possibilidades de investir como pelo comodismo.

Não seja preguiçoso. Faça o melhor por você e sua família. Vá buscar informação sobre outras possibilidades. As oportunidades são infinitas e você só terá a ganhar se buscar conhecimento.

Faça o seu dinheiro render. Quem sabe não sobra até para você ajudar alguém que precisa! Já pensou? Que Deus te abençoe em todos os sonhos! Gente, pé de meia, a gente só faz de meia mesmo, mas sem guardar em casa hein! 😉

Inadimplência aumenta entre idosos/aposentados

Dia 312/365:

O ‘Obrigada, estou apenas olhando’ teve acesso ao novo estudo do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) que estima que o país fechou o primeiro semestre com 63,6 milhões de inadimplentes.

E você não vai acreditar, mas o volume maior de inadimplentes está na faixa etária dos 65 aos 84 anos. Espero, do fundo do coração, que não sejam as dívidas que os filhos/netos fazem em nome dos pais e avós. A gente já alertou isso aqui, você se lembra? Idosos emprestam seu nome para filhos e netos que acabam não honrando os pagamentos e endividando os familiares.

Não peça dinheiro emprestado no nome dos seus pais/avós. A gente sabe que eles têm a vantagem de fazer empréstimo consignado diretamente na aposentadoria, mas não vá deixá-los pagando a dívida por você.  Não coloque outra pessoa no sufoco para sair do seu. Os aposentados podem estar sofrendo com a inadimplência por não sobrar dinheiro para eles, uma vez que as parcelas do empréstimo são debitadas no benefício que eles recebem. Resultado? Ele está recebendo menos, o que já era bem pouco.

O estudo do SPC Brasil apontou ainda que cada inadimplente brasileiro tem em média duas dívidas em aberto, ou seja, são mais de 127 milhões de contas atrasadas. Gente, isso é muito ruim para as pessoas e para o país. E, as pendências que mais cresceram em junho foram as contraídas em instituições financeiras (empréstimos/cartão de crédito).

Os resultados desta pesquisa vão contra tudo que a gente vem pregando aqui, não é? Pagar as contas em dia (para evitar multas, juros e o nome negativado), pagar o valor integral da fatura do cartão de crédito e fugir dos empréstimos bancários por conta dos juros.

O SPC Brasil credita esta situação à lenta recuperação da economia. E, de acordo com dados apurados, o volume de consumidores com contas em atraso e registrados em cadastros de devedores acelerou no último mês de junho, ao crescer 4,07% na comparação com o mesmo período do ano passado. Trata-se da nona alta consecutiva na série histórica do indicador.

Na avaliação do presidente da CNDL, José Cesar da Costa, o ano de 2018 vem frustrando as expectativas de que haveria uma consolidação no processo de retomada econômica, inclusive com reflexos positivos na vida dos consumidores. “Embora os juros estejam menores e a inflação dentro da meta, o desemprego ainda é elevado e acaba reduzindo a capacidade de pagamento das famílias. A recuperação está mais lenta do que o esperado e as projeções mostram que teremos um segundo semestre ainda difícil para as finanças do brasileiro”, analisa o presidente.

A boa notícia (a gente sempre tem que ver o lado bom em tudo, não é?), a inadimplência diminuiu -23,31% entre os jovens na faixa dos 18 a 24 anos. Na faixa dos 25 aos 29 anos, a queda foi de -5,28%.

Fica aqui a minha torcida para que os seguidores do ‘Obrigada, estou apenas olhando’ não façam parte das estatísticas. Já passei por isso e sei que não é fácil dormir, trabalhar, cuidar da família e administrar uma cabeça cheia de preocupação por conta de dívidas que não consegue pagar. E o meu apelo para que você não endivide outras pessoas para resolver os seus problemas.

Mas desejo que se você estiver nesta situação, consiga sair o mais rápido possível. Quero que você sinta a sensação de receber o salário, pagar suas despesas e conseguir guardar dinheiro. Ter planejamento financeiro não é frescura é bem-estar, é qualidade de vida.

Que Deus continue NOS abençoando e NOS mostrando os melhores caminhos, NOS inspirando para não entrarmos em dívidas e NOS protegendo de todo o mal. 😉

Pior do que não controlar é entrar no rotativo

Dia 301/365:

A gente vai falar de cartão de crédito! O “Obrigada, estou apenas olhando” teve acesso à nova pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) que revelou que 33% dos usuários de cartão de crédito não sabem o quanto gastaram em maio.

Para tudo! Tá tudo errado! Mas os resultados da pesquisa ficam ainda pior quando o SPC apura que 21% dos usuários de cartão caíram no rotativo em maio.

Qual é a regra número 1 do uso do cartão de crédito? Pagar o valor total da fatura! Mas antes desta regra vale um alerta: NÃO use o cartão de crédito heheh Assim você não vai entrar no rotativo!

Compras em supermercados e remédios lideram gastos no cartão, de acordo com a pesquisa! O problema que vejo em colocar supermercado e remédios no cartão é que são compras que provavelmente ocorrerão no próximo mês e, caso precise parcelar, vai juntando uma parcela na outra e essa coisa não terá fim!

O cartão de crédito é um meio de pagamento prático e já bastante popular, mas que se não bem utilizado, pode trazer problemas para as finanças dos consumidores que não se organizam.

O cartão de crédito proporciona praticidade, pois concentra em um único meio diversos gastos realizados. Para quem é disciplinado, isso pode ser um facilitador na hora da organização. Mas pra quem é disciplinado e controla seus gastos!

Gente, de verdade, cuidado com o cartão de crédito: os juros são muito altos se você não pagar o valor total da fatura.

Como não estou comprando nada, estou usando o cartão de crédito apenas para pagar um curso online de marketing digital: parcelando no cartão ficou mais fácil, dilui o valor para acompanhar o curso que é de um ano.

Cuidado com os gastos! A facilidade de “passar o cartão” ajuda a comprar por impulso. Controle-se com as compras e com o cartão de crédito! Vocês se lembram que quebrei os dois cartões de loja que eu tinha né!? Vocês não imaginam o quão libertador é olhar pra carteira e não ter aquele monte de cartões.

Lembro quando era mais jovem, achava o máximo ter muitos cartões na carteira! Agora só os do banco, um de crédito e outro de débito e o do plano de saúde! Graças a Deus à maturidade!

Você também vai se encontrar! Eu creio! Não esquece de pedir a Deus que continue NOS orientando, inspirando e protegendo em todos os momentos! 😉

Para limpar o nome: 16% recorreram ao empréstimo

Dia 284/365:

O ‘Obrigada, estou apenas olhando’ anunciou há dois dias que 63,29 milhões de brasileiros deixaram de pagar suas dívidas a ponto de ter o nome negativado. Destes, 16% que estão tentando ‘limpar o nome’ recorreram ao empréstimo.

TV, jornal e internet bombardeiam todos os dias propagandas que oferecem sempre as melhores taxas de juros e os prazos mais estendidos para pagar…  Alguns até sinalizam com ‘crédito para negativados’…

Agora, por outro lado, imagine a situação de uma pessoa neste mar de 60 milhões: contas em atraso, ameaças de credores por falta de pagamento, sem dinheiro para comprar o básico para o cônjuge e filhos. Não deve ser fácil. Estas pessoas são presas fáceis destas propagandas. Uma pesquisa rápida no Google, com a expressão “empréstimo pessoal”, é possível encontrar mais de 9 milhões de resultados.

Imagina isso martelando na cabeça de uma pessoa que está inadimplente. A internet ainda facilita a contratação de empréstimos sem a chateação de olhar para a cara do analista (e ter que explicar o motivo de tal empréstimo. É humilhante, já passei por isso a long time ago).

Mas não pense que é somente a classe C e D que recorrem ao empréstimo. De acordo com o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) o  percentual de inadimplentes sobe para 21% entre os consumidores das classes A e B.

As pessoas inadimplentes, no desespero de resolver a situação, não avaliam que os empréstimos para negativados, apesar de serem concedidos de forma ágil e com o mínimo de burocracia, cobram juros altíssimos. Cuidado, pois você está contraindo uma nova dívida para quitar outra. Avalie o valor das parcelas (se cabem no seu orçamento) e os prazos de pagamento, se vai conseguir honrar este novo compromisso, ou vai contrair uma dívida que pode se tornar praticamente impagável.

Independente da forma que contrair o empréstimo, pesquise sobre a idoneidade da empresa a fim de evitar fraudes ou golpes: busque informações sobre a empresa, busque informações em bancos a respeito da financeira, cheque o CNPJ e busque informações no Reclame Aqui.

Depois do empréstimo, busque negociar suas dívidas com seus credores. Mas, se durante as negociações você ficar com alguma dúvida, não decida na hora. Peça uma cópia da proposta e um tempo para avaliar. Leve pra casa e converse com a família. Avalie se a quitação desta dívida não vai impactar o dia a dia da sua família. Faça uma contraproposta e boa sorte!

Vai dar tudo certo. E pense bem antes de fazer uma nova compra que pode te complicar lá na frente. As próximas compras? Não faça! heheheh Vou ficar aqui torcendo para que você consiga quitar suas dívidas para poder dormir tranquilo (a) como a moça da foto que até esquece o relógio tocando heheh Tenha fé e confie, pois, o Deus que servimos não NOS desampara. Nunca… 😉

 

Mais de 60 milhões de inadimplentes

Dia 281/365:

Mais uma pesquisa do SPC Brasil que deixou o “Obrigada, estou apenas olhando” de boca aberta: o Brasil encerrou o mês de maio com 63,29 milhões de inadimplentes.

É muita gente com dívidas em atraso. E adivinhem quem lidera a lista de credores: os bancos, claro!As pessoas estão se endividando, cada vez mais, por conta de empréstimos e cartões de crédito.

O volume de consumidores brasileiros com contas em atraso e registrados em lista de devedores voltou a crescer em maio. De acordo com dados apurados pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), a quantidade de inadimplentes cresceu 2,78% no mês de maio na comparação com igual mês do ano passado.

Em números absolutos, estima-se que aproximadamente 63,29 milhões de brasileiros estejam com o CPF restrito. Dessa forma, não conseguem fazer compras a prazo ou contratar crédito.

Tanto o SPC Brasil, quanto o CNDL creditam a inadimplência à crise e à lenta recuperação da economia. Mas a gente sabe que não é só isso! A gente precisa parar de culpar a política ou a economia.

Temos que assumir as responsabilidades pelas nossas ações. Quando me encontrei uma situação delicada na minha vida, fui buscar ajuda. Graças a Deus não tinha dívidas e nem estava inadimplente. Mas cheguei no meu limite e precisei fazer alguma coisa.

E fiz! Busquei orientação, aprendi muita coisa e agora consigo compartilhar com você! Mais e esqueça das dicas de como sair desta situação. A primeira delas é admitir que precisa de ajuda!

Só assim você estará pronto para ser ajudado. Que Deus ilumine as NOSSAS vidas para que SEMPRE consigamos escolher os melhores caminhos e tomar as melhores decisões. 😉