Pare de reclamar

Dia 346/365:

A contagem regressiva que começamos há quase um ano está chegando ao fim e, nesse tempo, com o “Obrigada, estou apenas olhando”, ouvi muita reclamação.

Além das reclamações ouvi muito desdém, piadas e senti o descrédito das pessoas (amigos ou não).

Mas hoje, quando as pessoas ouvem que estou próxima da minha meta de reserva financeira (colchão), ficam impressionadas e começam a entender o porque disso tudo.

Não tinha dívidas, pois pagava em dia as minhas contas. Mas não tinha uma reserva financeira e foi isso que me motivou a ficar um ano sem comprar as bolsas, sapatos e supérfluos que eu adorava comprar semana sim e a outra também heheheh

Mas sabe o que percebi também? As pessoas querem ter uma reserva financeira, mas não querem pagar o preço. As pessoas querem diminuir suas contas, mas não querem parar de comprar….

Aí fica difícil, né, gente? O que você acha? Como vai conseguir parar de reclamar da fatura do cartão, se você não para de comprar?

Os esforços, a dedicação e a perseverança, mesmo quando parece que não vai conseguir, precisam ser mantidos firmes.

O começo não foi fácil, mas agora, perto do fim, parece que a vida inteira fui assim e já estou pensando em continuar por mais um ano… Quem sabe!? Quem vem comigo!? Podemos trocar experiências sobre este período!

Quem sabe Deus não toca o seu coração lendo este post e você não decide me acompanhar! 😉

Confissões de um guarda-roupas

Dia 217/365:

Você teria coragem de ouvir as confissões do seu guarda-roupas? Pense bem, pode ser que doa. Você sabe quantas roupas tem lá? Conta pra gente: o “Obrigada, estou apenas olhando” quer saber.

Se você for sincero (a), pelo menos 40% do espaço do seu armário é ocupado por roupas que você comprou porque estava barato mas não usa porque não tem com o que combinar.

Isso sinaliza compra supérflua, motivada pela ansiedade de comprar só porque estava escrito “promoção”, “desconto”, “liquidação” e afins. A gente sequer olha direito o que está comprando, dificilmente experimenta e, ao chegar em casa, a peça vai pro armário e lá fica.

Posso falar com conhecimento de causa. Fiz muito isso em outros tempos. Mas nunca deixei a roupa muito tempo parada. Doei muita coisa o ano passado quando começou este desafio e fiquei somente com o que uso realmente!

Outros 20% do seu guarda-roupas é ocupado por aquelas roupas que você está esperando emagrecer para caber nelas. Essas roupas poderiam fazer a alegria de muita gente! Pense nisso!

Em 20% dos cabides estão penduradas as roupas que estão precisando de reparos. Gente, toma coragem e manda consertar a roupa, quem sabe você não descobre peças que nem se lembrava que tinha.

15% do espaço do armário está ocupado por roupas de outras épocas e que você está esperando voltar à moda para usar novamente. A gente sabe que a moda é cíclica, então, se as roupas ainda lhe servem, guarde-as, caso contrário, doe ou entre nestes sites tipo o Enioei e venda! Você ainda pode fazer uma grana hehehe

Se você fez as contas, faltam apenas 5% do armário. E é lá que estão aquelas peças que amamos e usamos quase TODOS os dias! Hehehehe

Quem mais? Hoje meu guarda-roupas mudou um pouco. Lá tenho roupas que ganhei de doação (não posso comprar, tá lembrada? hehehe) e roupas da época em que comprava feliz da vida. Como doei bastante, o que sobrou eu uso mesmo!

Espero que este post faça você repensar e te leve até o seu armário para ouvi-lo um pouco. Avalie o que precisa de conserto e o que não te serve mais e você pode doar. Deus vai se agradar da sua atitude se você doar àqueles que precisam. Seja solidário e até aqui você pode pedir orientação de Deus, Ele vai ficar feliz em poder te orientar para quem você deve doar… Fale, já aconteceu comigo, Ele vai te responder! Seja em Deus 😉

Prioridades x gastos supérfluos

Dia 203/365:

Se você é daqueles que espera ansiosamente o pagamento ‘cair’ na conta para gastar, pode parar. Hoje, o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ vai falar sobre prioridades x gastos supérfluos.

Sim, vem mais verdades por aí… E sim, sim, prepare-se, porque vai doer de novo! hehehe

Nada, brincadeira, mas gente, as verdades precisam ser ditas e, se está doendo, é porque você está se identificando com o que estamos dizendo. Ontem, uma amiga comentou sobre o post dizendo: ‘doeu e como doeu’ hehehe

O blog vem com este intuito: fazer você pensar, sacudir você. Assim, você consegue enxergar onde está errando e já encontra um caminho para se corrigir. Simples assim? É, simples assim! Mas, depois que você toma consciência do que está errado, se continuar insistindo no erro é burrice, concorda? (ixi, mais verdades hehehe)

As compras por impulso (e isso posso falar  com conhecimento de causa) são perigosas: tome cuidado! Como diria o Chapolin Sincero (nosso guru no Facebook e Instagram heheh) compras por impulso é um caminho sem volta heheh.

Quando você não tem dívidas, nem cartão de crédito estourado, nem tem empréstimos, tá tudo certo comprar uma bolsa, um sapato ou uma roupinha nova. O problema está quando a sua receita ultrapassa as despesas, você não tem controle sobre isso e, mesmo assim, continua comprando, passeando no shopping, viajando no fim de semana, curtindo a balada com os amigos…

Quando colocamos sobre a mesa suas prioridades e  as compras supérfluas, você saberia identificar qual é qual? Suas prioridades devem estar relacionadas àquilo que você precisa para viver, ou seja, concentre o seu orçamento em alimentação, gastos com moradia, plano de saúde, escola…

Mais da metade dos brasileiros, como já divulgamos aqui, não está nem aí para controlar suas finanças pessoais e é daí que vem a raiz de todo o mal.  E você sabia que quase metade dos brasileiros (46%) admite que poderia ter evitado a compra. E a coisa fica ainda pior: segundo pesquisas do SPC Brasil, 66% dessas pessoas acreditam que a compra realizada não era necessária. Fico pasma com a sinceridade das pessoas e, mais ainda, com a situação delas.

Vamos imaginar uma situação. Se você precisa comprar um celular novo porque o seu quebrou, foi roubado, ou você perdeu: isso é um gasto essencial. Agora, se você quer trocar o celular porque a marca que você usa lançou um modelo mais novo e você pirou quando viu (aconteceu isso comigo semana passada e consegui resistir): isso é um gasto supérfluo.

Quando vir uma coisa que faz você pirar, sai de perto! É sério! Se você não consegue dominar a sua vontade, é melhor evitar a tentação. Não estou dizendo pra você parar de viver o lado bom da vida (diversão, almoços e jantares, passeios, roupas novas…) e ficar somente com o essencial (pagar contas). Você só precisa aprender a se organizar para conseguir sair do sufoco para viver com mais tranquilidade e depois, com planejamento, fazer o que quiser!

Hoje não tenho dívidas, nem gastos extras, mas mesmo assim, não estou comprando (firme e forte até setembro). O que resultou de todo o esse aprendizado? A mudança de comportamento! E é isso que quero que você entenda e tome a decisão também: reveja seus hábitos e avalie a sua situação antes de sair por aí gastando.

Tenho certeza de que tudo vai se resolver da melhor forma! E como sei disso? Sou a prova viva da mudança! Tudo é possível, com Deus no comando de nossas vidas até nossas vontades se transformam. Outro dia ouvi de um amigo: ‘tudo é lícito, mas nem tudo me convém’. Ou seja, nós podemos qualquer coisa (afinal nos foi dado o livre arbítrio), mas nem tudo nos convém (por conta das consequências).

Pense nisso e que Deus continue NOS orientando, NOS inspirando e NOS mostrando sempre os melhores caminhos e que possamos aproveitar todas as oportunidades, com muita saúde e sabedoria. 😉

O dinheiro é um tempo de vida que se foi…

Dia 192/365:

Acho fantástico quando as pessoas vêm alguma coisa sobre consumismo e me marcam nas postagens ou compartilham na minha página. Na verdade elas não estão se lembrando de mim, especificamente, mas do propósito. Elas se lembram do ‘Obrigada, estou apenas olhando’.

Agora pouco também recebi pelo whats um link que vamos bordar no próximo post. Um tema inspirado por nossos seguidores. Isso é demais e fico muito, muito, muito feliz e agradecida a Deus por estar cuidando de nós desta forma tão carinhosa.

Mas o post de hoje é sobre um vídeo em que o ex-presidente uruguaio e senador José Pepe Mujica fala sobre a sociedade do consumo, que ele descreve como ‘uma gigantesca teia de aranha que está montada em função da acumulação’.

Acumulação de quê? De coisas! Mas ele levanta uma análise interessante e que vale a pena debater aqui.

Mujica defende que quando a gente gasta com alguma compra, o instrumento é o dinheiro, mas, que na verdade, estamos comprando com o nosso tempo de vida que se foi. Faz sentido. Nosso dinheiro é fruto do trabalho. Muitos pais e mães de família trabalham, trabalham, trabalham e esquecem do mais importante: viver a vida!

Quando chegam em casa estão cansados demais para brincar com o cachorro, ouvir a esposa ou o marido, brincar com as crianças. Estas pessoas estão, equivocadamente, escolhendo colocar todo seu tempo e atenção em ganhar dinheiro e se esquecendo de todo o resto.

E Mujica coloca de uma forma para assustar mesmo. Ele diz: ‘você está gastando o tempo de sua vida que se foi”. Se foi, não volta mais. Os filhos estão crescendo e não dá pra resgatar isso… Importante que façamos um exercício para avaliar se estamos empregando nosso tempo em coisas que o dinheiro não compra…

Por isso que devemos avaliar ainda mais nossas compras. Comprar exatamente o que precisamos para não gastar nosso dinheiro com coisas que não valem a pena, pois, nosso dinheiro acaba de ganhar um valor a mais agora: é o nosso tempo de vida (que não volta mais).

Fica assustador pensarmos desta forma. Mas é necessário para que o choque de realidade nos encontre e faça com que reavaliemos cada vez mais as nossas decisões. Para Mujica, pobre é aquele que precisa muito de coisas.

Que você precise cada vez menos de coisas, e mais das pessoas, dos amigos, da família e de Deus. Busque a Deus, clame por Ele nos momentos desesperados e nos alegres também. Lembre-se de partilhar com Ele as coisas boas, suas vitórias. Da mesma forma como Ele está com você na aflição, também quer participar da comemoração! Que Ele continue NOS abençoando e NOS protegendo a cada dia, em cada momento.  Seja feliz, aproveite o seu tempo com sabedoria. 😉

Baixei o valor das compras no supermercado em 50%

Dia 178/365:

Depois de avaliar os primeiros meses deste desafio e com a ajuda dos aprendizados com o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ consegui identificar que o supermercado era um dos gargalos das despesas mensais.

E se a sua conta do supermercado também não está cabendo no bolso, está na hora de fazer alguma coisa com relação a isso. A gente sabe que os preços sobem a cada semana, mas você pode, assim como eu, estar jogando dinheiro fora.

Comece avaliando o seu lixo (esse mesmo que fica em cima da pia): você está jogando muito resto de comida fora? Seja a sobra do prato ou os alimentos que acabam se estragando por conta de não ter dado tempo de comê-los. Às vezes, estamos gastando demais no mercado e comprando além do que conseguimos consumir.

Descobri que o ideal é fazer compras semanalmente: assim você vai comprar quantidades menores e o risco do alimento se estragar diminui.

Compre de acordo com o número de pessoas na casa. Faça uma estimativa para frutas, frios e laticínios, carnes de acordo com as bocas para alimentar hehehe

Estipule um valor máximo para gastar na sua compra semanal. Lembre-se de que é você quem prioriza as necessidades na sua vida, não as “promoções” de um estabelecimento comercial. Ao atingir o limite que você fixou, pare de comprar.

Faça uma lista do que precisa comprar e pesquise preços. Alguns mercados vendem no atacado. Nestes estabelecimentos, as compras de arroz, óleo, feijão, papel higiênico, produtos de limpeza podem sair mais baratos. Quando for num atacado, combine com os vizinhos e faça compras conjunta. O valor do desconto pode ser maior ainda.

Tente ir ao mercado sem as crianças. Assim, a pressão para comprar produtos supérfluos é bem menor, pois os pequenos são alvos mais suscetíveis ao marketing. Agora, com a época de Páscoa, cuidado! Os ovos de páscoa, principalmente, aqueles que vêm com brindes e custam muuuuito mais caros, já estão por toda a parte.

Sempre vou ao supermercado no meio da manhã, ou seja, sem fome heheh Geralmente vou aos sábados ou domingos e compro frutas, verduras, legumes, leite e torradas para a semana toda. As compras de arroz, feijão, macarrão acontecem apenas uma vez ao mês.  Até o dezembro do ano passado, gastava em  média, R$ 130,00 nesta ida ao mercado. Hoje, comprei tudo que precisava e paguei apenas R$ 69,00. Na semana passada, foi R$ 74,00… Está diminuindo e tenho tudo que preciso.

A gente vai aprendendo e aprimorando as coisas. Gastando menos, comprando com mais consciência… Educação financeira é um aprendizado diário. Controlar os impulsos também! Aos poucos, baixamos as emoções, compramos apenas o que é preciso e não nos sentimos mal por isso. Até o lixo reciclável diminuiu! Sinal de que estou consumindo menos produtos embalados e mais in natura: a saúde agradece heheh

E assim, o valor da reserva financeira vai aumentando. Vamos fazer render o dinheiro suado que ganhamos, poupando. Não tenha medo de dizer não quando for necessário. Este é um aprendizado para toda a família. Seus filhos vão te agradecer por este ensinamento. Serão pessoas melhores e mais conscientes no futuro.

Que Deus continue NOS abençoando e NOS protegendo em cada situação, em cada momento e NOS inspirando em cada compra. E até NOS puxando as orelhas quando extrapolarmos. Que possamos ser felizes, acima de tudo. 😉