A liberdade de dizer não!

As compras estão liberadas desde o dia 8 de setembro, mas os aprendizados com o “Obrigada, estou apenas olhando” pulsam no meu dia a dia e espero que no seu também!

Muita gente imaginava que eu fosse começar a comprar e gastar como louca a partir do dia seguinte, ledo engano…

Deles e meu também! Confesso que fiquei com medo num primeiro momento, mas depois me lembrei do Deus que está comigo, me amparando, protegendo e cuidando de mim… Ele não iria me deixar cair novamente depois de tudo que passei e aprendi.

O medo passou e com ele veio a satisfação e o sentimento de liberdade! Sim, liberdade! A melhor das sensações!

Durante um ano deixei de comprar obrigada, por mim mesma, a não fazer isso! Agora, eu posso escolher NÃO comprar! Tenho a liberdade de olhar para roupas, bolsas, sapatos, bijus, que tanto agradam os meus olhos, e dizer NÃO PRECISO!

Poder comprar e escolher não comprar porque não preciso é uma sensação fantástica!

Fiz uma lista de coisas que, depois de um ano, estou precisando, entre elas, uma calça jeans, uma camisa branca, uma saia verde… Mas estou pesquisando o melhor preço, não comprei ainda porque não encontrei o modelo e o preço que quero pagar! Sim, agora sou eu que dito o quanto vou gastar com as compras!

Até agora comprei lingerie (as minhas estavam num estado deplorável) e uma sapatilha (da Moleca, que estava em promoção de 59,90 por 39,90).

Espero, do fundo do coração que você tenha aprendido como eu aprendi! Espero que continue firme, poupando, economizando e gastando somente o necessário! Lembre-se de manter seus sonhos e objetivos na ordem do seu dia, com a certeza de que temos um Deus que cuida de NÓS! 😉

Foi Deus que me fez puxar conversa com você!

A coisa mais difícil de nosso relacionamento com bancos é desabilitar algum serviço que eles tenham “gentilmente” nos oferecido. Com o “Obrigada, estou apenas olhando”, foi uma novela cancelar o título de capitalização, tá lembrado?

Ah, aproveitando se você tem um, melhor cancelar também: você está perdendo dinheiro. Mas, para entender melhor, clica aqui e descobre o motivo!

Voltando ao título deste post, essa semana fui ao banco e enquanto aguardava ser atendida por um dos gerentes, uma moça, senta-se ao meu lado e logo puxa conversa, reclamando justamente da relação com o banco.

“Aumentaram o limite do meu cheque especial e preciso cancelar”. Fiquei feliz por ela naquele momento, mostrava maturidade na atitude, mas depois fiquei preocupada com a próxima revelação: “Já estou usando esse novo limite, parcelei a fatura do cartão de crédito e estou com o nome ‘sujo’ por ficar devendo para outro banco”.

Aí pensei sobre a irresponsabilidade do banco em dar um cartão de crédito para uma pessoa que já estava negativada.

Tentei explicar – com todo o cuidado do mundo – que ela tinha que se controlar e gastar dentro do seu orçamento. Mas quando perguntei se ela sabia quanto gastava, a resposta foi negativa. “Mas meu marido sempre diz que compro muito”, revelou, envergonhada.

Se as pessoas estão percebendo, então deve ser verdade. Expliquei da importância de fazer um planejamento, de monitorar e controlar os gastos e, de repente, ela vira pra mim e diz: “você deveria dar aulas sobre isso!”

Foi o melhor elogio que poderia ter recebido. Contei pra ela sobre o meu desafio, sobre o “Obrigada, estou apenas olhando” e ela comentou: “Foi Deus que me fez puxar conversa com você”, sim, querida, foi mesmo!

Quando saí do banco, ela ainda conversava com o gerente e espero, do fundo do coração, que ela tenha conseguido resolver a sua situação. Orientei como ela deveria conversar com o gerente e tomara que tenha dado certo.

Pessoal, cuidado com o banco e os produtos que eles oferecem. E, lembre-se, o gerente é do banco e não seu! Ele sempre vai trabalhar para o que for melhor para o banco, fique atento e faça valer seus direitos.

Que Deus continue NOS orientando e inspirando a falar com as pessoas certas nos momentos cruciais da nossa vida e que possamos estar atentos para orientar, ouvir sem julgar e ajudar todos que precisarem! Seja feliz! 😉

Como eu era antes de você…

Amo este filme! Me lembro muito da minha mãe e isso não me entristece. Pelo contrário, me deixa em paz… Sempre choro, é claro, mas são lágrimas que lavam a alma e acalmam…

O desafio do “Obrigada, estou apenas olhando” acabou, mas, este talvez seria o título de um livro sobre esta experiência…

Como eu era antes de você… Eu era perdulária, sim! Confesso que sempre que passava no shopping para almoçar ou ir ao banco, saía com uma sacola…

O engraçado é que a sensação boa fica com a gente até chegar em casa… heheheh Depois vem a preocupação sobre como pagar e, algumas vezes, você olha para a sacola e de pergunta: porquê fiz isso?

Estou aqui lembrando de quando fazia isso… Realmente é como se passasse um filme pela minha cabeça. Lembro-me que eu NUNCA experimentava as roupas na loja… Talvez fosse para não mudar de ideia e, consequentemente, desistir da compra…

Eu gostava de comprar, do ato da compra, da sensação… E devo confessar que estou vivendo o “é agora?” E, se você está curiosa (o), fique tranquila (o)! Eu não fui às compras!

E não fui, não tive vontade, mas também tive medo… Medo de me descontrolar e, apesar de estar precisando de lingerie, vou esperar mais um pouco…

Esperar para entender todo esse turbilhão de sensações! E, com a graça de Deus, tudo vai se encaixando…. Como eu era antes de você, desafio? Não sei bem! Mas, agora, sou, divertidamente, uma mulher que para, pensa e consegue tomar a melhor decisão, graças a Deus! Seja feliz! Seja financeiramente, consciente! Sinta-se abençoado! 🙏🏻❤️😉

A foto do post mostra a alegria da personagem Louisa Clark ganhando seu presente de aniversário: as enigmáticas meias listradas! Ah as mulheres e sua paixão por roupas… hehehe

Quando o feedback vem do inesperado…

Dia 361/365:

Hoje recebi mais um feedback positivo com o “Obrigada, estou apenas olhando” é fiquei extremamente feliz.

Por vários motivos:

1º) Eu nem imaginava que a pessoa acompanhava o blog e lia as postagens;

2º) A pessoa em questão faz parte da minha história, da minha infância. A Sonia foi minha vizinha desde sempre. Há alguns anos se mudou e agora só temos contato via facebook.

Ela já ajudou minha mãe a terminar de cozinhar o feijão (ela me contou isso), uma certa vez quando havia acabado o gás em casa e estava quase no horário que eu costumava chegar do trabalho. E minha mãe preocupada pediu ajuda pra ela.

Eu não sabia dessa história! Ela me contou faz pouco tempo e como fiquei orgulhosa da minha mãe por conta disso!

3º) Ela me mandou o recado mais fofo destacando a sua experiência com o blog e tudo que vem aprendendo. Confere só:

Cíntia querida, graças a vc estou colocando minhas contas em dia, nada de gastos!!!! Obrigada linda! (…) Cintia, acompanho desde o começo, vc me ajudou muuuuito querida!!! Tudo o que vc escreve é muito útil a todos os que querem mudanças!!! Gastar nunca mais!!!!!💰💰💰💰

É pra ficar feliz da vida, não é, gente? Nesta reta final, receber uma mensagem destas é pra dar pulos de alegria! Obrigada, Sonia, pelas suas palavras e por fazer parte da minha história!

Que Deus continue abençoando NOSSAS vidas e fazendo todo mundo feliz! 😉

Foto da Sonia fazendo tricô? Ou seria crochê? Heheh

Uma árvore de dinheiro

Dia 357/365:

Dinheiro não dá em árvores, isso a gente já sabe, infelizmente. Mas hoje, o ‘Obrigada, estou apenas olhando’ quer propor um jogo de imaginação…

Suponhamos que você recebesse a semente de uma árvore de dinheiro. Mas, para ela dar frutos (dinheiro) dependeria, única e exclusivamente, das suas ações. Como seria?

Enquanto uma árvore comum cresceria com água, poda, adubo e sol, esta precisaria de bons hábitos, controle financeiro, conhecimento, persistência, investimento… Só assim conseguiria crescer forte e frutificar para todo o sempre.

Se você ganhasse esta semente hoje, como reagiria?

Como a sua semente se desenvolveria? Forte e saudável? Ou murcharia até morrer?

Como você trata o seu dinheiro? Quais as suas atitudes positivas?

Quais atitudes podem estar impactando a sua vida financeira a ponto de perder a semente?

Não precisa responder pra mim. Faça para si mesmo! E que Deus permita que você encontre respostas e saídas para todos estes questionamentos. Seja feliz! 🙂

 

Como definir uma meta?

Dia 356/365:

Ontem falamos sobre como nos manter motivado. E hoje ouvi uma coisa que completa esse post do “Obrigada, estou apenas olhando” sobre sonhos e metas.

A sabedoria popular é mesmo fantástica: uma senhorinha me disse hoje enquanto aguardávamos atendimento: “um objetivo sem plano é apenas um desejo”.

O que ela quis dizer é que você precisa traçar as suas estratégias e metas para atingir o seu objetivo. Se você já se frustou na tentativa de realizar sonhos e não conseguiu, talvez esteja faltando definir melhor como chegar lá! Já pensou nisso?

Então pra começar, faça como eu: escreva! Sim, simples não? Escrever seus sonhos/planos pode ser o início de tudo! A partir daí você conseguirá enxergar o que precisa fazer para chegar lá!

A vida segue, coisas acontecem e para você se desviar do seu plano é muito fácil. Mas se estiver escrito e num lugar visível pra você, estará sempre ali te lembrando, te alertando de maneira objetiva.

Suponhamos que você tenha o sonho de comprar um apartamento. Não coloque apenas “quero um apartamento”. Seja mais explícito: “quero economizar R$ 50 mil para dar como entrada no meu novo apartamento”.

Parece simples e é! Não é mágica, não é milagre: é planejamento, organização e perseverança. Mantenha-se motivado (você já sabe como) e tenho a convicção que você vai conseguir, com a graça de Deus. Seja feliz! 😉

Tenha sempre um bom motivo

Dia 353/365:

Poupar por poupar é sempre mais difícil. Este foi um dos ensinamentos que aprendi com o “Obrigada, estou apenas olhando”.

E fazendo uma retrospectiva, já vivi isso em 2012, quando decidi que iria aprender a dirigir e compraria meu carro à vista! Apesar de não saber ao certo, estava colocando em prática uma orientação de educação financeira.

Naquela época comecei a guardar 1/5 do meu salário e, e em 2015, consegui comprar o carro à vista. O meu erro foi parar de poupar quando consegui atingir meu objetivo.

Mas a vida me deu uma nova oportunidade de fazer o que é certo. Me assustei quando precisei de dinheiro para contornar um imprevisto e não tinha… E o choque me fez cair na real!

Passei a avaliar as minhas atitudes e os meus hábitos e percebi que estava fora de controle. Estudei, li muita coisa sobre o assunto e aprendi como organizar a minha vida financeira.

A meta desta vez era ter uma reserva financeira. Parar de comprar foi uma das estratégias para atingir o objetivo. E voilá, deu certo!

O desafio de não comprar acaba em 12 dias, mas a reserva financeira vai continuar ‘ad aeternum’, ou seja, para sempre! E porquê? Por que é a coisa certa a fazer. Por que é o propósito de Deus na minha vida: ter uma vida tranquila e feliz, por mim mesma…

Viver em paz e sem ansiedade por causa de dinheiro é algo que muitos desejam alcançar mas poucos conseguem. Mas eu digo que NÓS vamos conseguir!

Comece a poupar hoje mesmo! Se você ainda não tem um objetivo claro, faça por você e pela sua independência financeira: aquela tranquilidade que muitos buscam, mas só aqueles que se propõem a viver os sacrifícios é que conquistam!

Que Deus abençoe NOSSAS vidas em todos os momentos e que o Espírito Santo continue NOS inspirando a sempre tomar as melhores decisões para NÓS mesmos! Seja feliz! 😉

A foto com minha mãezinha é uma forma de agradecê-la por ser minha inspiração em muitos momentos da minha vida. Inclusive neste! Espero que ela esteja orgulhosa de mim! Te amo, mãe… Sinto sua falta! 🙏🏻❤️